Fred Lopes explica como pretende trabalhar o futebol do Vasco

O candidato à presidência do Vasco da Gama, Fred Lopes, contou a forma como trabalhará o futebol do Gigante caso seja eleito.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  10 de junho de 2020 às 13:06-  Atualizada em 30 de agosto de 2020 às 16:59
Fred Lopes
Fred Lopes (Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)
data-full-width-responsive="true"

Não resta dúvidas que a corrida pela cadeira da presidência do Vasco da Gama já começou, mesmo ainda sem a definição de todos so candidatos. Os que confirmaram seus nomes na disputa estão ativos em suas campanhas, concedendo entrevistas para TV, sites e canais no Youtube. 

Entre os confirmados, Leven Siano e Fred Lopes estão mais intensos na campanha, e Luis Manuel Fernandes em menor proporção, ele que tem se mostrado contra a agitação política em meio à pandemia de Coronavírus. O segundo citado, que já foi entrevistado pelo site Vasco Notícias, assim como o último, teve uma nova conversa com o repórter Willams Meneses.

O intuito do novo contato com Fred Lopes foi para que pudesse explicar de forma detalhada as suas ideias para o futebol do Vasco. Logo na sequência, você poderá observar o que o candidado, líder do grupo Avante Gigante, pretende implementar no departamento caso se torne presidente do Cruzmaltino.

Possíveis vendas de garotos serão decisivas para o cenário em 2021

– É preciso que se entenda qual vai ser o patamar que o Campello vai deixar para nós, uma vez que a gente entende que pode ter vários cenários. Por exemplo: pode vender o Marrony e o Talles, botar ali em torno de R$ 120 ou R$ 130 milhões, e assim com certeza vai conseguir pagar o ano e negociar algumas coisas de dívida. Isso vai ser suficiente para o Vasco resolver seus problemas? Não, mas sem dúvida quita o ano. Eu concordo? Acho que os 2 estão sendo vendidos por valores baixos. O Marrony é um jogador que se for vendido em torno de 4 milhões de euros é muito pouco para o seu potencial, ele que é um atleta que já despertou o interesse de Palmeiras, agora chamou a atenção do Atlético-MG, existem sondagens de outros clubes para fora. Eu entendo também a necessidade que o Vasco tem hoje, que é real, de vender um ativo para amenizar a sua crise financeira que foi agravada inclusive pela própria questão do Coronavírus.

Busca por um ídolo que será importante em campo e no marketing

– Existem vários trabalhos que vão ser feitos através de marketing, como ações de venda de produtos oficiais licenciados, como a questão de um foco muito grande na questão do plano de sócios, assim como metas que vamos colocar, inclusive criando ações. Por exemplo, a gente tem a ideia de fazer como o Botafogo: pegar um atleta, que seja um ídolo, que a gente traga pagando um salário e mais, obviamente ele vai propor um valor de salário, e a outra parte será de participação numa linha de produtos oficiais, e também estamos estudando a implementação de um plano de sócios que seja para ajudar a pagar esse jogador. Isso é apenas uma das tantas outras ações.

Mudança na filosofia de contratações

– O que leva a isso é um crescimento gradativo, num ano de 2021 com dificuldade onde vamos trabalhar com muita austeridade e cortar custos necessários, por exemplo, você tem que gastar o dinheiro bem gasto. O Vasco não só que não tem dinheiro, ele também gasta mal. Ele contrata um monte de jogadores ganhando R$ 100, R$ 120, R$ 150 mil, às vezes até mais, que vêm muitas vezes para ser reserva, que vêm muitas vezes para perder posição para menino que estava na base e subiu ganhando R$ 15, R$ 20, R$ 30, R$ 40 mil. A gente precisa ser mais acertivo no futebol,  precisa montar uma espinha dorsal para que a gente possa realmente mesclar bons jogadores de nível, que realmente tenham condição de jogar em alto nível com experiência, com garotos da base subindo, e com o próprio trabalho do CIA Vasco. A gente vai conseguir compor boas contratações, promovidas por análise técnica, por scoutt e não por amigo do amigo, pelo conhecimento, e sim por avaliações mais precisas, que a gente acredite que por si só, pelo próprio método que vamos implementar, nós vamos ter menos erros, ser mais acertivos nas contratações, ou seja, vamos ter uma valorização do nosso dinheiro, vamos investir melhor, não vamos gastar tanto dinheiro como o Vasco errou nos últimos anos, sobretudo antes da vinda do Mazzuco, depois que ele veio já melhorou bastante.

Corte de gastos desnecessários para utilizar recursos no futebol

– Agora, é claro, esse é um trabalho constante, então é isso, na medida que você poupa, fecha torneiras, que você corta custos desnecessários, faz projetos de lei de incentivo onde hoje se gasta dinheiro do Vasco, muita coisa vai ser feita através de lei de incentivo, então esse dinheiro que o Vasco estava gastando com o colégio, que estava gastando, por exemplo, com o remo e tudo mais, você arrecada dinheiro através da lei dela e esse dinheiro sobra na sua folha. Com isso, a cada redução de custo em contratos como de gramado, de equipamentos, informática, na própria compra, que a gente bem sabe que tem muita coisa para evoluir, os contratos do Vasco não são apertados, espremidos, a gente sabe que muitas das vezes os contratos têm muita margem para redução, como eu encontrei em vários lá, seja na empresa que faz o aéreo terrestre, do gramado, que trabalha a informática, que fornece a alimentação, que faz o transporte, que faz a telefonia, e na questão da água e da luz. Enfim, tem muita coisa para você trabalhar para reduzir as despesas, para que esse dinheiro sobre e que você foque na melhora do futebol. Obviamente que é uma coisa que cresce paralela, na medida em que você vai conseguindo êxito de redução de dinheiro e vai sobrando capital, você automaticamente vai fazendo investimento. Com isso, você continua fazendo investimento nas categorias de base, como a gente vem fazendo e já mostrou que sabe trabalhar. Fomos nós que trouxemos o Carlos Brazil e montamos essa estrutura que está aí dando muito certo. O Vasco hoje é um dos clubes que mais sobe jogadores das categorias de base para o profissional.

Menos despesa e mais investimento no futebol que se transforma em mais receitas

– É a soma de ações propositivas para aumento de receita, com várias ações que vão se traduzir em diminuição de despesa. Dessa forma você vai reequilibrando o orçamento, tirando da despesa e investindo no futebol. Quando você investe em futebol aumenta pay-per-view, plano de sócios, bilheteira, venda de produtos oficiais e licenciados, e claro, times mais fortes conseguem arrecadar mais em campeonatos. Por exemplo, a Copa do Brasil passa de R$ 80 milhões de remuneração para o time que for campeão. Quando mais longe você vai nessas competições, mais você é remunerado. Quanto mais longe você chegar no Campeonato Brasileiro, mais você ganha em participação de televisionamento e de premiação. É dessa forma que você vai conseguir, mas não é do dia para noite, as coisas levam um tempo. Eu acredito num 2021 com dificuldade, um 2022 com uma condição mais estável porque a gente já vai estar colhendo frutos das reestruturações que nós vamos fazer ao longo de 2021, da própria reciclagem no departamento de futebol como operações na questão financeira, fruto da questão do plano de sócios, das receitas de bilheteria e também no aumento de produtos oficiais licenciados, e em 2022 a gente espera já ter um time que realmente possa disputar os principais campeonatos brasileiros e sul-americanos.

Vale ressaltar que o Vasco Notícias está à disposição para ouvir todos os candidatos. Além dos que nós já conversamos e que foram entrevistas, o site está mantendo contato com outros para que, em breve, também possam apresentar as suas ideias para o Gigante. A meta é contribuir para que esta seja uma das eleições mais democráticas da história do Clube.

Leia Mais Sobre