Vasco joga mal e perde para o Coritiba por 1 x 0 no Couto Pereira

Derrota por 1x0 para o Coritiba na tarde deste domingo (20) colocou o Vasco da Gama na 5ª colocação do Campeonato Brasileiro.

Raphael Fernandes
Por Raphael Fernandes
-  20 de setembro de 2020 às 18:13-  Atualizada em 20 de setembro de 2020 às 19:18
Marcos Júnior, volante do Vasco, disputando bola com jogador do Coritiba
Marcos Júnior, volante do Vasco, disputando bola com jogador do Coritiba (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
data-full-width-responsive="true"

Na tarde deste domingo (20), o Vasco da Gama foi derrotado por 1×0 pelo Coritiba, no Couto Pereira, na capital paranaense, em partida válida pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol do jogo foi marcado por Robson, de pênalti. Com o revés, o Gigante da Colina ocupa agora a 5ª colocação na competição, com 17 pontos.

Sem Ramon Menezes à beira do campo, devido ao técnico cruzmaltino estar cumprindo isolamento por ter sido infectado pela Covid-19, o Vasco foi comandado pelo auxiliar Thiago Kosloski. E a atuação da equipe de São Januário, mais uma vez, não encheu os olhos dos torcedores.

Com posse de bola consideravelmente superior à do Vasco, o Coritiba quase abriu o placar aos 14 minutos do primeiro tempo. Depois de ótimo passe de Matheus Bueno, Robson invadiu a área e, sozinho, chutou por cima do gol de Fernando Miguel.

A melhor chance do Vasco na primeira etapa foi aos 29. Após desarmar Hugo Moura, o artilheiro Germán Cano ajeitou a bola e acertou um chutaço, que entraria no canto superior esquerdo de Wilson. Mas o goleiro do Coritiba estava bem posicionado e fez uma bonita defesa, mandando para escanteio.

No segundo tempo, a partida, de maneira geral, melhorou um pouco, e o Vasco teve uma ótima chance aos 11 minutos. Após cruzamento de Bruno César pela esquerda, Cano se antecipou à zaga do Coritiba, e, em finalização parecida com a de Romário contra a Holanda na Copa do Mundo de 1994, obrigou Wilson a operar um milagre no Couto Pereira, impedindo a abertura do placar. Seria um golaço.

Cinco minutos depois, isto é, aos 16, foi a vez de Cano ser garçom. Pelo lado direito do ataque, próximo à entrada da área, ele rolou na medida para Talles Magno finalizar da região da meia-lua, acertando um chutaço na trave esquerda de Wilson, que já estava vendido no lance. O Vasco melhorava no jogo.

E a terceira grande chance do Gigante da Colina veio aos 34. Em jogada individual de Talles pela esquerda, o atacante cruzmaltino cruzou e a bola acabou sobrando para Guilherme Parede, que entrara na vaga de Ygor seis minutos antes. Ele, que é ex-jogador do Coxa, finalizou no cantinho inferior esquerdo de Wilson, que fez a defesa.

E mais uma vez a velha máxima futebolística de ”quem não faz, leva” prevaleceu. Aos 39, após cruzamento da direita que passaria por toda a defesa do Vasco, Yago Pikachu, de maneira bastante precipitada, acabou derrubando Robson. O lance foi revisado pelo VAR, que indicou a marcação da penalidade máxima.

Na primeira cobrança, Sabino, com seu jeito peculiar de cobrar, no estilo ”paradinha”, não conseguiu surpreender Fernando Miguel, que fez a defesa e também salvou o Vasco no rebote. O goleiro cruzmaltino, porém, acabou colocando os pés à frente da linha antes do zagueiro do Coritiba encostar na bola, e a cobrança teve que voltar.

Daí, mudou-se o cobrador, com a responsabilidade ficando a cargo de Robson. E o atacante do Coxa deslocou Fernando Miguel, cobrando à esquerda do goleiro vascaíno, que pulou para o outro canto. Um a zero.

E no último lance da partida, o VAR poderia ter sido utilizado a favor do Vasco. Isso porque, após tentativa de Neto Borges adentrar a área do Coritiba, o lateral-esquerdo cruzmaltino acabou levando um pisão de Rodolfo Filemon. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira foi ao monitor, checou o lance, mas optou por não marcar o pênalti. E ficou nisso.

Com a derrota, o Vasco, com 17 pontos atualmente, caiu da 4ª para a 5ª colocação no Brasileirão. No próximo domingo (27), pela 12ª rodada da competição, o Cruzmaltino recebe o Red Bull Bragantino em São Januário, às 11h.

Antes disso, no entanto, na quarta-feira (23), o Gigante da Colina tem um confronto decisivo pela 4ª fase da Copa do Brasil, diante do Botafogo, também em São Januário, às 21h30min. A partida vale vaga para as oitavas de final do torneio. No primeiro jogo, vitória alvinegra por 1×0. Com isso, para se classificar no tempo normal, o Vasco precisa derrotar o time de General Severiano por dois ou mais gols de diferença. Caso vença por um gol, a disputa da vaga vai para os pênaltis.

Coritiba 1 x 0 Vasco – Campeonato Brasileiro – 11ª Rodada

Data: 20 de setembro de 2020 (domingo)

Horário: 16h

Estádio: Couto Pereira – Curitiba (PR)

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) | Luiz Alberto Andrini Nogueira (SP)

VAR: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Público e Renda: Portões fechados

Cartões Amarelos: Sarrafiore (Coritiba) | Yago Pikachu e Ygor (Vasco)

Cartões Vermelhos: Não houve

Gols: Robson (Coritiba), aos 44 minutos do segundo tempo (1-0)

Coritiba: Wilson; Natanael; Rodolfo Filemon, Sabino e William Matheus; Hugo Moura, Matheus Sales e Giovanni Augusto; Matheus Bueno, Sarrafiore e Robson

Técnico: Jorginho

Vasco: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Miranda, Marcelo Alves e Neto Borges; Bruno Gomes (Fellipe Bastos), Marcos Júnior e Bruno César (Ribamar); Ygor (Guilherme Parede), Talles Magno (Lucas Santos) e Germán Cano

Técnico: Thiago Kosloski (auxiliar)