Vasco começa o Brasileiro empolgado e termina de forma melancólica

Tanto Vanderlei Luxemburgo, quanto os jogadores do Vasco da Gama adotaram o silêncio antes e depois do jogo.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  26 de fevereiro de 2021 às 01:19-  Atualizada em 26 de fevereiro de 2021 às 01:19
Jogadores do Vasco deixando o gramado cabisbaixos após jogo no Brasileiro 2020
Jogadores do Vasco deixando o gramado cabisbaixos após jogo no Brasileiro 2020(Foto: André Durão)
data-full-width-responsive="true"

Para falar a verdade, a quase inexistência de preocupação com a parte defensiva fez o jogo ser movimentado. Mas a despedida – em campo – do Vasco da Série A do Campeonato Brasileiro foi de uma melancolia incompatível com a história do Cruz-Maltino.

Na noite desta quinta-feira, a vitória por 3 a 2 sobre o Goiás teve capítulos inéditos e altamente incomuns no futebol do time de São Januário. Para começar, na última partida da temporada, o treinador à beira do campo já sabia que não continuará no clube. Ele nem quis falar com o Premiere, que transmitiu o jogo.

Vanderlei Luxemburgo não falou antes, não falou depois e nenhum jogador falou em momento algum. Para completar, na hora do primeiro gol, após a breve comemoração, ouviu-se um silêncio e, em seguida, Cano apontou e abraçou Luxa.

– Somos todos culpados – ninguém disse, mas é o que o gesto simbolizou.

E pensar que o time já chegou praticamente rebaixado no último desafio da competição. E pensar que o time teve chances de reagir. E pensar que o time foi líder do campeonato na véspera do aniversário do clube. E pensar que houve o esperançoso Ramonismo.

O tempo e o aproveitamento dos treinadores mostram que a demissão de Ramon Menezes foi pouco ou quase nada produtiva. O time e o clima do clube degringolaram ladeira abaixo e o último jogo foi quase tão triste quanto a reta final. O jejum de seis jogos sem vencer chegou ao fim, mas o rebaixamento foi confirmado – mesmo que ainda não juridicamente aceito.

Fonte: Lancenet

Leia Mais Sobre