Entrevista coletiva de Ricardo Sá Pinto após o jogo contra o Fluminense

O técnico Ricardo Sá Pinto avaliou de forma positiva a atuação do Vasco da Gama contra o Fluminense, neste domingo.

Ricardo Sá Pinto lamentando jogada contra o Fluminense
Ricardo Sá Pinto lamentando jogada contra o Fluminense (Foto: André Durão)

Em entrevista coletiva depois do empate por 1 a 1 com o Fluminense – gols de Wellington Silva e Germán Cano, no fim da partida -, o técnico do Vasco, Ricardo Sá Pinto, lamentou o gol no início da partida do adversário e disse que sua equipe merecia vencer o clássico nesta noite de domingo, em São Januário. O resultado deixou o Vasco com 25 pontos e ainda na zona de rebaixamento.

O treinador fez avaliação positiva da partida. Viu o time mais “fresco” em campo, com boa reação, mas disse que precisa encontrar soluções ofensivas. Em referência à clara dependência do time aos gols de Germán Cano. Só ele marcou 21 vezes em 2020.

– Essa semana de trabalho foi muito boa, o time reagiu bem, vimos um Vasco mais fresco, com maior pressão, um Vasco a jogar melhor. Falta a vitória que é o que faz diferença. Não temos vitórias morais. É o caminho, é o trabalho, são também os outros que jogam em posições ofensivas também. Não podemos depender só do Cano. Não é justo. Assim é difícil conseguir vitórias. Acredito que há vontade para isso e há também qualidade. E vamos acreditar no crescimento desses jogadores e eles vão conseguir ajudar o Vasco – disse o treinador.

Na primeira pergunta, o técnico português foi questionado sobre o primeiro tempo ruim do Vasco. O treinador discordou e ponderou sobre a atuação da equipe. Disse que o Fluminense marcou logo no primeiro ataque da partida.

– Sua opinião em relação ao time (primeiro tempo) ruim, não concordo. Na nossa entrada no jogo, tivemos três chegadas. No primeiro cruzamento, fizeram um gol (o Fluminense). Tiveram mais posse num momento, mas acho que a equipe não fez um primeiro tempo ruim – afirmou Sá Pinto.

O treinador foi enfático sobre a necessidade de retomar a confiança do grupo.

– Precisamos ganhar. A vitória que traz confiança. O time hoje fez tudo para ganhar. E, infelizmente, os detalhes não estão do nosso lado. O adversário vai lá uma vez e faz o gol num cruzamento aos 10 minutos. Antes não tinha chegado nenhuma vez. OK, numa bola parada… Mas não foi através de ações. Nós chegamos lá através de nossas ações e não decidimos bem. Vamos continuar a trabalhar em soluções ofensivas para a equipe – disse Sá Pinto.

Andrey deve voltar ao time

O treinador também foi questionado sobre o não aproveitamento de Andrey, que não joga há três partidas, e Juninho, que chegou a ir para a posição de substituição, mas seguiu no banco. Para o jogo contra o Santos, no próximo domingo, às 16h, em São Januário, o time tem três desfalques: Talles Magno, Leo Gil e Neto Borges.

– Todos fizeram boas coisas comigo. O Andrey, o Juninho, que não teve tanto tempo. Já jogaram, fizeram boas coisas e coisas menos boas. Não posso dar oportunidade a todos no mesmo tempo. Conto muito com Andrey, mas Marcos e Léo Gil têm feito bons jogos e, portanto, felizmente tenho o Andrey. Muito provavelmente será opção no próximo jogo porque perdemos Léo Gil. Juninho está no processo. Quando cheguei, não jogava muito. Temos que também entender que temos um plantel com qualidade parecida. Não posso por todos ao mesmo tempo. Tento fazer o melhor em prol do Vasco, e isso está acima de tudo para mim – disse o treinador.

Sobre a cobrança dos torcedores e a pressão para sair da zona de rebaixamento, Sá Pinto encarou como situação natural em clube grande. Justificou a queda de rendimento depois de enxergar equipe em crescimento no seu início de trabalho em São Januário.

– Acho que um treinador está sempre pressionado por resultados, é uma realidade, e eu tenho vivido isso em minha carreira toda. Aceito responsabilidades, decisões e as pessoas não estarem satisfeitos também. A equipe ia numa linha ascendente quando aconteceram 1.001 coisas dentro da própria equipe. Tivemos Covid-19, eu mesmo fui mesmo afastado, tivemos problemas de jogadores importantes. Nessa semana recuperamos toda a gente, infelizmente perdemos Talles, Neto e Léo para o próximo jogo, mais uma contrariedade. Acho que o trabalho poderia ser melhor não fossem tanta contrariedades – ponderou Sá Pinto.

O treinador voltou a falar da partida contra o Defensa y Justicia, da Argentina. Na última semana, a derrota por 1 a 0 eliminou os vascaínos da Copa Sul-Americana. Dias depois, sofreu a goleada para o Grêmio (4 a 0), em Porto Alegre. Na sexta-feira, pequeno grupo de torcedores invadiu o centro de treinamento em Jacarepaguá para cobrar o técnico e os jogadores.

– Com toda a justiça temos que aceitar de forma civilizada as reclamações dos nossos torcedores. Na Sul-Americana, sofremos aquele gol, poderíamos fazer gols, não nos deram dois pênaltis. Houve circunstâncias que não nos foram favoráveis. Equipe está mais fresca agora física e mentalmente. Temos mais 14 jogos. Sabemos que é uma luta até o final, sabemos que é um caminho difícil. O que cabe a mim nessa altura é continuar a trabalhar para chegarmos às vitórias, que é o que queremos. Acho que essa equipe já mereceu mais vitórias no meu tempo do que já conquistamos. Estamos atrás dessa sorte e vamos continuar a procurá-la – afirmou o treinador português.

Opção por Vinicius

No segundo tempo, Sá Pinto preferiu manter Vinicius em campo, mesmo depois do atacante vascaíno relatar cãibras. O técnico perguntou se o jovem atleta poderia permanecer mais um pouco dentro da partida e só o substituiu perto do fim do confronto. Ele explicou o que se passou:

– O Vini não está na sua melhor forma. Estava muito bem quando saiu da equipe, contra o São Paulo. Teve uma lesão no treino, acho que ninguém soube disso. Desde a semana passada está a treinar bem, senti que estava bem para o jogo e que ele defensivamente e ofensivamente poderia acrescentar à equipe. Não o tirei mais cedo porque o árbitro não me deixou fazer mais cedo uma substituição. Se tiro imediatamente o Vini, eu perderia mais um jogador a entrar, que foi o caso do Ribamar – explicou.

Confira a entrevista de Ricardo Sá Pinto

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Fonte: Globo Esporte

Nenhum comentário ainda.
Deixe sua opinião

Últimas notícias
22 de outubro de 2021
Henrique repete desempenho do Vasco no Lyon e é criticado: ‘Volte para a favela’

O lateral-esquerdo Henrique, revelado pelo Vasco da Gama, vem sendo criticado por torcedores do Lyon após desempenho ruim nos jogos.

Vasco TV destaca reta final de preparação para o Mundial de Beach Soccer; assista

O Vasco da Gama está encerrando a preparação para buscar o bicampeonato mundial nas areias de Moscou, na Rússia.

Vasco pode ter mudanças para o jogo contra o Náutico

O técnico Fernando Diniz pode fazer algumas mudanças na escalação do Vasco da Gama para o jogo contra o Náutico, nos Aflitos.

Fique por dentro! Confira o tempo de contrato dos jogadores do Vasco

A temporada 2021 já está se encerrando e alguns jogadores do Vasco da Gama estão com os contratos se encerrando.

Proposta para clubes administrarem o Maracanã prevê 70 jogos por temporada

Exigência estabelecida pelo Governo do Rio de Janeiro tem como objetivo garantir uma receita que pague, pelo menos, as despesas do estádio.

Vasco melhora aproveitamento contra equipes do G4 com a chegada de Diniz

Vasco da Gama vem obtendo resultados mais expressivos contra times da ponta da tabela com Fernando Diniz no comando técnico.

Partida entre Vasco e Náutico pode ser suspensa por falta de policiamento

Partida entre Vasco da Gama e Náutico corre o risco de não ser realizada caso não haja policiais no campo de jogo.

Torcedoras se divertem ao criar o ‘Club de Renatas Vasco da Gama’

Torcedoras do Vasco da Gama falam do sentimento de poder voltar a acompanhar o time e da criação de torcida organizada.

Bobô comenta expectativa do Vasco para disputa do Mundial de Beach Soccer

Recém chegado ao Vasco da Gama, o goleiro Tiago Bobô projetou a participação do time de beach soccer no mundial da modalidade.

Cano celebra parceria com Nenê: ‘Mudou a cara do Vasco’

Germán Cano e Nenê vem sendo peças fundamentais para a melhora do Vasco da Gama nesta retal final de Série B.

Veja mais notícias