Carol Paiffer, do Shark Tank Brasil, se dispõe a ajudar o Vasco: ‘Fiquei comovida’

A executiva Carol Paiffer está se mobilizando para entender o problema do Vasco da Gama e ajudar no que for possível.

Carol Paiffer é uma mulher de sucesso no mundo empresarial
Carol Paiffer é uma mulher de sucesso no mundo empresarial (Foto: Divulgação)

A declaração do Ministro da Economia, Paulo Guedes, de que investiodres árabes pretendem comprar dois clubes no Brasil agitou muito a massa vascaína na noite da última quinta-feira (18). Mais ainda pelo rumor de que o Emir do Qatar, Tamim bin Hamad al-Thani, torce para o Vasco da Gama.

Essa possibilidade de o Gigante ser comprado chamou a atenção de Carol Paiffer, presidente e diretora da área de Investimentos da Atom participações S.A. Em seu Instagram, a executiva fez enquete questionando se a torcida aceitaria que o Clube fosse vendido. Em seguida, ela se disse sensibilizada com o apelo dos vascaínos.

– Fiquei curiosa em saber como ajudar. Deixar claro que sou palmeirense, mas fiquei comovida pelo desespero do torcedor. Amanhã vou entender como funciona tudo isso. Nenhum time merece acabar assim.

Carol Paiffer é conhecida por integrar o programa Shark Tank Brasil, exibido pela Band. No dia seguinte, a executiva disse que estudou o caso do Gigante e viu uma situação delicada. Entretanto, ela citou árabes e outros que pretendem ajudar o Vasco, e encerrou dizendo que fez ‘contatos’, deixando a situação em aberto.

– Estou entendendo o que está acontecendo com a situação do Vasco. O problema é grande ali, né? Mas já fiquei sabendo que tem os árabes querendo comprar, que tem um sheik na negociação, ajuda do BTG, uma galera ajudando. Já fiz os meus contatos. Vamos ver o que rola. Na verdade, a pergunta é: se está rolando todos esses contatos, a negociação acontecendo, porque vocês vascaínos não querem os árabes? O que está rolando? – disse a empresária, que concluiu:

– Eu continuo curiosa para saber como posso ajudar. Já movimentei três reuniões hoje. Estou me divertindo, mas vamos resolver esse problema.

Carol Paiffer se colocou à disposição para ajudar o Vasco
Carol Paiffer se colocou à disposição para ajudar o Vasco

Seguindo

A efeito de curiosidade, Carol Paiffer segue o Cruzmaltino no Instagram, o que não passou despercebido pelos torcedores. Vale ressaltar que a executiva torce para o Palmeiras, o que não escondeu desde a primeira manifestação. Como ela mesma mostrou na rede social, muitos vascaínos fizeram apelos para que ajude o Clube a sair dessa situação.

Leia mais sobreCarol Paiffer
34 comentários
  • Maurício estamparia - 24 de novembro de 2021

    Vaiii comprar o palmeirinha aq é Vasco.. vamos subir com dificuldades mais na raça e daq a pouco muda essa diretoria ridícula e voltamos a ser gigante denovo.. sem um dono.. pois quem são os donos… samos nos torcedores e ñ uma palmeirense mimada q ñ sabe oq fazer com seu dinheiro… aq nãooooo…

    Responder
  • Ferdinan Rodrigues - 21 de novembro de 2021

    Se o clube e a torcida não abrir os olhos pra ver e se convencer que o melhor para o clube é seguir o movimento que outros clubes de menor expressão estão seguindo com a profissionalização e organização do futebol em empresa o clube perderá a oportunidade de se reerguer e se estruturar no menor tempo possível. Alguns políticos, conselheiros, beneméritos e até alguns torcedores se posicionam contra eventual venda do futebol com a alegação de que a história de vanguarda em abraçar causas sociais como o antirracismo e possível alteração do nome, cores, símbolos e sede causariam a perda de identidade do clube para seus milhões de torcedores. Outros alegam que o clube é de sua torcida e, ainda, é viável se bem organizado e gerido como empresa e que não é o momento de vender o futebol porque com o descenso que causa a perda de receitas e o aumento do déficit irá depreciar o valor da marca do clube.
    Torcedores que querem o melhor para seu time de coração, ou seja, um futebol forte como principal expressão do clube devem ficar atentos é que para esses agentes políticos, conselheiros e beneméritos e alguns torcedores possuidores de posições, cargos e títulos mais por relações de amizades e parentesco do que, propriamente por mérito, quanto mais o clube mergulhado em crise financeira, política, institucional e moral melhor será para eles manterem seu status quo, com privilégios e prerrogativas como empréstimos de mútuo com juros abusivos para auferirem lucros extorsivos. Sem falar nas negociatas com empresários por meio de vendas de jogadores. Com relação a perda de identidade, a história do clube vem sendo arranhada desde o primeiro rebaixamento, lá em 2007, que agora chegou ao ápice, do quinto. Além disso, a história pode ser preservada em acervos guardados em museu, pelo menos a parte vitoriosa e honrosa dela. Quanto a alteração de nome, cores, símbolos e até mesmo de sede, o novo marco legal do clube-empresa, que é a lei das sociedades anônimas de futebol, faculta ao clube criar uma empresa e vender parte das ações (até 49%) e ficar com a maioria delas, que teriam um selo especial atribuindo poderes ao clube de vedar qualquer alteração em seus símbolos por meio de seus Conselhos.
    Quanto àqueles que alardeiam ser a torcida os verdadeiros ‘donos’ do clube há muito tempo, isso não passa de bravatas. Vejam só os resultados das duas últimas eleições. O clube, hoje, está nas mãos de grupos políticos, empresários e de parte do judiciário, menos na posse da maioria de seus torcedores. Com relação a depreciação da marca, concordo que os sucessivos rebaixamentos afetam negativamente os déficits, as receitas e diretamente, a marca do clube, seu maior patrimônio. Contudo, para que o clube se reestruture sem a alienação do futebol, seria preciso que surgisse um(a) filantropo e/ou mecenas para aportar seu dinheiro no futebol ou senão a tomada de empréstimos a juros baixos, que traria alívio imediato nas dívidas, mas não solução definitiva. Penso que a criação de uma S.A no futebol com venda de ações para pessoas físicas, jurídicas e fundos de investimentos, estes exclusivamente do exterior, propicia captação de recursos em dólares, moeda atualmente supervalorizada frente ao real, na base de 5 por 1, o que suprime em muito a desvalorização atual dos ativos do clube em decorrência dos rebaixamentos, portanto, o melhor momento para alienar (vender) o futebol, por um período previsto em contrato e, assim, percorrer o caminho da modernidade do futebol, como negócio do entretenimento e produtor de riquezas a nível mundial, é esse sim.

    Responder
  • ranmildo Costa da Silva - 21 de novembro de 2021

    vendê logo chega dê tanto sofrimento desde 2011 que agente não ganha um título o que esses presidentes fez pelo nosso clube durante esses anos dó que adianta ter presidente sé não tem dinheiro pra cobrir às dívidas entra presidentes saí presidente e não resolvem o problema a situação é cada vez pior por isso vamos vender logoa os árabes vão pagar todas dívidas e investir nó nosso clubes

    Responder
  • ranmildo Costa da Silva - 21 de novembro de 2021

    manda esse rebanho de comelao sair do nosso no

    Responder
  • VALDILEA ALVES DA CUNHA - 21 de novembro de 2021

    Vende logo. Urgente.

    Responder
  • David - 21 de novembro de 2021

    Se for vendido, quem ficará com a grana?

    Responder
    • ORLANDO PERELLO NOGUEIRA - 21 de novembro de 2021

      A grana é para pagar as dívidas.

  • SHEVCHENKO - 21 de novembro de 2021

    Ministro da Educação?

    Responder
  • Paulo Sérgio Costa Angelo - 21 de novembro de 2021

    É muita umilhacao,pois o Vasco da gama , é time de tradição,sou vascaíno de coração,e não devemos esquecer que o Vasco da gama,com todo respeito,foi o primeiro time a imprementar no elenco atletas negros no time ,no Brasil,e este time é time de garra ,ajuda ai não deixa esse time de tradição acabar não

    Responder
  • LUIS HENRIQUE TEIXEIRA DUARTE - 21 de novembro de 2021

    O Vasco tem que acabar com a eleição indireta o Vasco tem uma política de velhos o Vasco E grande tem que ser vendido e acabar com esses beneméritos que tem a mente do Eurico sao todos burros tem que ser vendido para acabar com essa política e esses ladrão que esta no Vasco.

    Responder
  • Isabel - 21 de novembro de 2021

    Porque não, se está em situação crítica é porque os dirigentes ainda não encontraram uma solução, qual é o problema de vender um clube, se os sócios não aceitam então que salvem o Vasco da Gama do jeito que está e que não pode continuar.

    Responder
  • Paulo - 21 de novembro de 2021

    Jamais serás vendido, meu batismo.

    Responder
  • Ismael - 20 de novembro de 2021

    Tem que vender sim, o que vai mudar é tirar esses mamadores financeiros, gestores que não amam o clube e sim a grana do clube. Vende jogadores a preço de banana pra tapar buraco. Todos sabem que no vasco o problema é político. Um grupo ta no comando e outro grupo tentar puxar o tapete se não receber benefícios…gestores pífios e sem coração!! o vasco é maior que a política e maior que a torcida. Esse futebol feio de recuo para o goleiro que não muda, jogadores que não sai do time por causa de empresário…Está mais que na hora de vendere pois o vasco não pertence a política e políticos mau intencionados Não vai fazer diferença se vender.

    Responder
  • Francisco - 20 de novembro de 2021

    O Vasco tem que ser vendido agora, antes de acabar

    Responder
  • Carlos Eduardo - 20 de novembro de 2021

    Sou a favor da venda do vasco , isto sera a solucao para vqsco e sera tendencia mundial

    Responder
  • Ferdinan Rodrigues - 20 de novembro de 2021

    Como esses internautas vascaínos são burros!!! Um sheik que já se declarou vascaíno com uma fortuna que no país não existe com um provável interesse no futebol do clube, porém eles fazem campanha pra uma empresária palmeirense que se tivesse interesse em investir forte no futebol optaria por seu clube.

    Responder
  • Leandro souza - 20 de novembro de 2021

    Se contra o a favor da venda nao importa o importante é ver o Vasco competindo de igual pra igual contra esses times e levantando taças o resto pouco importa pois gerações e gerações de torcedores estão indo embora e vivendo apenas de decepções sem ver nosso time triunfar.

    Responder
  • Paulo Ferreira - 20 de novembro de 2021

    Sou contra a venda. O Vasco não pode ter dono. É dos seus sócios e da sua imensa torcida. Outros clubes estão muito bem obrigado, inclusive nosso maior rival, e não precisaram ser vendidos. O que o Vasco precisa é de gestores competentes, honestos, que coloquem o Vasco em primeiro lugar. Com a torcida imensa e engajada que temos, podemos chegar aonde quisermos, basta termos diretores e gestores à nossa altura. Quanto à Carol Paiffer, tenho a impressão que só está surfando na onda e se autopromovendo. Faz parte.

    Responder
    • Bruno - 20 de novembro de 2021

      Esquece isso de ter dirigentes honestos e competentes. Qual a diferença de ter dono ou não? O que muda isso para vc? O que muda é se ficarmos do jeito que estamos, vamos lutar para não cair e se subirmos, lutar para não cair de novo. Com a venda, quem comprar não vai querer ver seu dinheiro acabar, então fará de tudo para ter lucro. Lembra do PSG? Quem era o PSG antes da venda? Pelo amor de Deus, para com esse pensamento.

    • Fernando Raposo - 20 de novembro de 2021

      Paulo Ferreira, Sua visão do quadro está perfeita, concordo em gênero, número e grau.

    • ORLANDO PERELLO NOGUEIRA - 21 de novembro de 2021

      Acorda cara!!!
      Se não vender, vai acabar. Ninguém lá está preocupado com o VASCO. Todos querem se dá bem.
      VENDE JÁÁÁÁÁ!!!

  • Miguel Moura - 20 de novembro de 2021

    Tem que vender o clube,do jeito que tá como vai multar um time competitivo pra ganhar título, devendo mais do que tudo

    Responder
  • Carlos Gilberto Clementino de negreiros Negreiros - 20 de novembro de 2021

    Concordo, o Vasco tem se tornar um clube empresa, só assim acaba com essa mamata de dirigentes sábados q só pensam neles.

    Responder
  • Josias Da silva - 20 de novembro de 2021

    O certo é todos os associados e beneméritos juntos com diretoria se unirens em prol do Vasco tirar o Vasco desse lamaçal que se encontra porque todos dizem ser vascaínos a hora e essa

    Responder
  • Antonio Júlio Ferreira Gomes - 20 de novembro de 2021

    A solução para salvar o Vasco e vender para o Árabes, para nós vascaínos não interessa quem está na administração queremos títulos para resgatar a alegria da nação vascaína. Esses dirigentes que aí estão só pensam em benefícios próprios, quando um entra no poder outro torce contra, resumindo o problema do Vasco são os dirigentes.

    Responder
  • Roberto Gracelli - 20 de novembro de 2021

    A primeira coisa que tem que fazer e tirar esse banana de presidente que aí está. Ele só quer dinheiro se não tirar esse presidente em 2023 estaremos na série C. Aí o Vasco vai ser entregue aos bancos o patrimônio da torcida , pois a torcida que construiu o Vasco aí seremos roubado de novo. Fora salgado Já.

    Responder
  • Roberto Gracelli - 20 de novembro de 2021

    Bom dia. O Vasco desde 2011 que não ganha nada e nem disputa final de nenhuma competição. Por favor vende o Vasco com cláusula que o Vasco volte a disputar títulos nacionais e internacionais. E acaba com esse bando de ladrão que aí existe.

    Responder
  • Luana - 20 de novembro de 2021

    Vende ou doa para os árabes e acaba com essa mamata dos beneméritos. Tenho certeza que será bem melhor administrado

    Responder
  • Edivaldo Galvão de Queiroz - 20 de novembro de 2021

    A solução para o Vasco é arrumar investidores fortes que no contrato tenha cláusulas que toda essa tralha de velhos urubus conselheiros e essa política ultrapassada não façam parte mais do clube, queria saber qual a significância desses inúteis que nada acrescentam?

    Responder
  • Davi - 20 de novembro de 2021

    Vende logo essa mérdA !!!

    Responder
  • Manoel Bueno de Sousa Rodrigues - 20 de novembro de 2021

    Sou contra a venda , mas creio que o Vasco pode encontrar bons patrocínios e da a volta por cima. E resgatar todos seus torcedores o Vasco ainda é a 4 ou quinta maior torcida do Brasil.

    Responder
  • Manoel - 19 de novembro de 2021

    Creio que toda ajuda nesse momento é mais que bem vinda, desde que seja bom para ambas as partes.

    Responder
  • helio teixeira - 19 de novembro de 2021

    boa noite, vender NAO concordo, agora arrumar 1 ou 2 BOM patrocínios – para pagar o ato trabalhista a vista e todos os funcionários ( todos) e sobrando alguma coisa para montar um bom time – ahi sao outros 500

    Responder
    • Renner - 20 de novembro de 2021

      Problema é quem vai patrocinar um Clube que ta em pé de guerra politicamente. Único clube que as eleições são todas forjadas. Sou contra a venda. Mas se for p acabar com essa politicagem é melhor vender e na cláusula n mudar sua camisa, escudo e nome. E continuar com projetos sociais p garotada. Aí sim pode vender.

Deixe sua opinião

Últimas notícias
30 de novembro de 2021
Ex-presidente do Vasco, Campello diz que não vê nenhum nome capaz de unir o Clube

Em entrevista ao Blog do jornalista Ricardo Gonzales, Alexandre Campello se mostrou pessimista quanto ao futuro do Vasco da Gama.

Oposição do Vasco se mobiliza pela saída de Jorge Salgado

Número necessário de assinaturas para convocação de Assembleia Geral Extraordinária vem aumentando nos corredores de São Januário.

‘Juntos vamos conduzir o Vasco ao seu devido lugar’, afirma Nenê

Um dos pouquíssimos destaques do Vasco da Gama em 2021, meia diz ainda que ”vestir a camisa do Vasco da Gama é uma honra”.

‘O Vasco não precisa ter seu futebol vendido’, critica Leven sobre possível SAF

Via redes sociais, Leven Siano se manifestou contrariamente à possível transformação do futebol do Vasco da Gama em clube-empresa.

29 de novembro de 2021
Em vídeo com torcedor, Salgado revela que Zé Ricardo e Ricardo Gomes devem chegar

Respondendo informalmente a um torcedor do Vasco da Gama, presidente Jorge Salgado confirma negociações por Zé Ricardo e Ricardo Gomes.

Marquinhos Gabriel lamenta temporada mas afirma que Vasco ‘voltará ao seu lugar’

Meia diz ainda que faltaram detalhes ao Vasco da Gama e que ”carregar a Cruz de Malta é a principal motivação para quem está no Clube”.

Salgado e outros dirigentes comentam possível constituição da SAF no Vasco; assista

Falaram sobre o pedido para que o futebol do Vasco da Gama vire empresa o 2º VP geral, Duque Estrada, e o presidente do CD, Carlos Fonseca.

Veja comparativo das campanhas do Vasco nas Séries B de 2009, 2014, 2016 e 2021

O Vasco da Gama realizou uma campanha muito inferior em 2021 comparado com 2009, 2014 e 2016, quando retornou à Série A.

Vasco formaliza pedido para constituir SAF; Jorge Salgado comemora: ‘Dia histórico’

O Vasco da Gama pretende constituir uma Sociedade Anônima de Futebol, que permite ao Clube formar uma empresa para operar o futebol.

Futuro de Germán Cano pode ser definido nesta semana; atacante recebe sondagens

José Constanzo, empresário do atacante Germán Cano, se reunirá com a diretoria do Vasco da Gama ainda nesta semana.

Veja mais notícias