Carlos Brazil explica 2ª passagem de Gabriel Pec pelo Sub-20 do Vasco

O atacante Gabriel Pec retomou a confiança após retornar ao Sub-20, ganhou massa muscular e se destaca no profissional com Luxemburgo.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  29 de janeiro de 2021 às 08:34-  Atualizada em 29 de janeiro de 2021 às 23:09
Gabriel Pec durante o jogo contra o Palmeiras
Gabriel Pec durante o jogo contra o Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)
data-full-width-responsive="true"

O jovem Gabriel Pec, que completará 20 anos no próximo dia 11, vive uma gangorra de emoções na atual temporada. Encantou Abel Braga no início de 2020 durante os treinamentos, mas não respondeu nos jogos. Voltou à base, destacou-se no título da Copa do Brasil Sub-20, e retornou ao profissional com Vanderlei Luxemburgo, quem o promoveu em 2019.

Utilizado em todos os seis jogos disputados pelo Vasco desde a volta de Luxa, sempre como reserva, mostra-se mais forte. Tanto fisicamente quanto mentalmente. Ganhou confiança do treinador e da torcida com boas atuações. Marcou seu primeiro gol como profissional diante do Bragantino (1×4), e teve sua grande atuação no empate com o Palmeiras (1×1), na última terça-feira.

Profissional que acompanhou de perto a transição de Pec entre o sub-20 e o time principal, Carlos Brazil, diretor executivo da base do Vasco, destaca o retorno à categoria inferior como fundamental para o atacante retomar a autoestima:

– O sub-20 disputava os títulos do Carioca e Copa do Brasil e achamos importante contar com ele, já que percebemos que havia perdido confiança na equipe principal. Era uma forma de fazer com que ele readquirisse essa confiança e reforçasse o sub-20 na reta final das competições. Foi uma decisão pensada pela direção do futebol profissional em conjunto com a base – explicou Brazil.

Preterido por Ricardo Sá Pinto, que não o utilizou, e pouco acionado por Ramon Menezes, Pec viu o processo de ganho físico ser potencializado a partir do momento em que Luxa o chamou de volta para o profissional.

– Ele ganhou massa muscular, como é natural. Estando no profissional diariamente, com estrutura em um só lugar, esse trabalho é intensificado, daí a maior importância que eles vivenciem essa transição – completou o executivo da base. (confira a entrevista na íntegra com Brazil no fim da matéria)

Quatro quilos de massa muscular a mais em relação a janeiro

Em janeiro de 2020, Pec pesava 63 kg e agora está com 67 kg. Para que atingisse esse ganho, foi feito um trabalho envolvendo os departamentos de fisiologia, nutrição e preparação física. A partir de um plano alimentar individualizado, aumentando a ingestão calórica diária e com auxílio de suplementações específicas para o ganho de massa muscular, o atleta vem realizando sessões de treinamento específicas – antes ou após os treinamentos do grupo – com essa finalidade.

Confira os números de Pec no Brasileiro:

Números de Gabriel Pec no Brasileiro
Números de Gabriel Pec no Brasileiro (Foto: ge)

Confira outros tópicos da entrevista com Carlos Brazil:

Como ele aceitou a decisão? Voltou motivado?

– Aceitou de forma muito natural porque todos os meninos no Vasco sabem que enquanto tiverem idade de sub-20, podem retornar a qualquer momento, porque ainda estão na fase da transição.

Foi feito um trabalho específico para recuperar a confiança e o futebol dele?

– Nada específico. Todos que trabalham no Vasco sabem do potencial do Pec e de todos os meninos que chegam ao profissional. Foram apenas conversas de todos os profissionais envolvidos (profissional e base) no sentido de dar confiança a ele e demonstrar os pontos positivos do retorno.

Qual foi a importância do Pec no título da Copa do Brasil sub-20? Partiu do Luxemburgo chamá-lo novamente para o profissional?

– Ele foi muito importante, sem dúvida, assim como todos que participaram. As boas atuações no sub-20 voltaram a lhe credenciar para que tivesse nova oportunidade no profissional.

Hoje o Pec está mais preparado mentalmente, fisicamente e tecnicamente para estourar no profissional?

À medida que o tempo passa, eles vão amadurecendo e ficam mais preparados tecnicamente, taticamente, fisicamente e psicologicamente, sem dúvida. Vale para todos. O processo de formação é contínuo, mesmo quando já estão definitivamente na equipe principal do clube.

Fonte: Globo Esporte