Vitória do Vasco contra o Caracas não pode camuflar atuação de doer os olhos

Uma opinião e análise sobre a vitória do Vasco da Gama sobre o Caracas, da Venezuela, pelo jogo de ida da segunda fase da Sul-Americana.

Por Willams Meneses
-  29 de outubro de 2020 às 10:38-  Atualizada em 29 de outubro de 2020 às 20:42
Ricardo Sá Pinto em jogo contra o Caracas em São Januário (Foto: AFP)

O importante no fim das contas é o resultado, mas a construção até ele importante. Analisando o desempenho dentro dos 90 minutos se destaca quais foram os destaques, decepções, erros, acertos, evolução ou retrocesso.

Está lá: Vasco venceu o Caracas, da Venezuela, e saiu na frente na busca por uma vaga nas oitavas de final da Sul-Americana. No entanto, quem viu teve a coragem de ver a partida por completo pôde observar ainda uma equipe recheada de problemas.

A verdade é que se tratava de um adversário extremamente limitado. Mas muito mesmo. O Caracas, mesmo com o Vasco dando todas as chances possíveis, não conseguiu levar perigo à meta de Fernando Miguel durante o confronto.

O Vasco, por sua vez, não conseguiu se aproveitar da fragilidade do Caracas. Um atalho para balançar as redes? Ocorreram dois pênaltis na partida, um marcado pela arbitragem, só que Carlinhos cobrou de forma bisonha, recuando a bola para o goleiro adversário.

É possível dizer que o pênalti cobrado por Carlinhos refletiu o que foi a partida: lastimável. Até Leonardo Gil, recém-contratado que teve uma boa estreia contra o Corinthians, não conseguiu ir bem, também colocando na conta um lance bizarro, uma cobrança de escanteio sem comentários. No entanto, espera-se que seja apenas um jogo ruim. Acontece.

Talles Magno foi bastante participativo, se apresentou em mais áreas do ataque, fez alguns dribles, mas ainda está deixando muito a desejar. Segue com a mania de recuar a bola à defesa em lances de ataque. A falta de confiança está implicando diretamente em se desempenho.

O que dizer de Ygor Catatau? Entrou no segundo tempo e levou dois amarelos em poucos minutos, sendo o último numa agressão inexplicável sobre o defensor venezuelano. Para não dizer que tudo foi ruim, é preciso destacar a estrela de Tiago Reis. O atacante entrou na segundo etapa e não precisou de muito tempo para resolver.

Em nova oportunidade, Tiago Reis marcou o gol da vitória vascaína mostrando o seu faro de artilheiro. Na sequência, inclusive, aplicou um belo drible na linha de fundo, deixando o adversário sem rumo. Merece mais chances e deve ser o substituto imediato de Germán Cano.

Desfalques de Benítez e Cano não são desculpa

“Ah, mas o Vasco estava sem Martín Benítez e Germán Cano”. Certo, eles fazem realmente muita falta na equipe, são os principais, desfalques, mas o Caracas também estava desfalcado. Mesmo sem eles, o Cruzmaltino tinha a obrigação de conseguir algo melhor diante das limitações do adversário.

O certo é que Ricardo Sá Pinto ainda tem muito trabalho pela frente para fazer com que o Vasco busque coisas melhores na temporada. O próximo compromisso será no fim de semana, contra o Goiás, pelo Campeonato Brasileiro, que mesmo sendo lanterna é superior ao Caracas e promete dar mais trabalho ao Gigante.

Abre o olho Vascão!

Leia Mais Sobre

Caracas