Vasco lidera venda de mandos de campo nos últimos Brasileiros

O Vasco da Gama foi o clube que mais vendeu mandos de campo nos dois últimos Brasileiros e faturou mais de R$ 1 milhão.

O Vasco foi o clube que mais vendeu mandos de campo nos dois últimos anos de Série A e, portanto, será aquele que perderá mais dinheiro com a decisão de se proibir essa prática durante todo o Brasileiro de 2020.

Nesta quinta-feira (27), durante o congresso técnico na sede da CBF, a maioria dos clubes decidiu proibir a venda de mando de campo durante toda a competição — nos regulamentos de 2018 e 2019 havia o bloqueio somente nas cinco últimas rodadas. Como mostrou o blog do jornalista Rodrigo Mattos, nove clubes votaram a favor do veto, sete contra e quatro sugeriram que se limitasse a cinco vendas por clube, mas um mesmo time só poderia jogar como visitante fora do estádio natural do rival uma vez. O voto da diretoria do Vasco não foi divulgado.

Entre 2018 e 2019, o Vasco vendeu cinco mandos de campo. No ano passado, foram três de um total de sete no torneio todo. O clube jogou contra o Flamengo em Brasília, frente o CSA em Cariacica (ES) e diante do Corinthians na Arena Amazônia, em Manaus. Somando recebeu de cota cerca de R$ 1,2 milhão, abrindo mão das rendas que ficaram com as empresas contratantes.

A partida contra o CSA, em agosto, foi vendida porque o jogo não poderia ser realizado em São Januário. Na época, o presidente Alexandre Campello disse que não houve acordo para atuar no Engenhão, por isso optou por aceitar proposta para atuar em Cariacica e receber líquido R$ 200 mil.

Em 2018, o Vasco vendeu dois confrontos: contra Flamengo e Corinthians, ambos no Mané Garrincha em Brasília. Do total de 11 jogos com mando negociado nos dois últimos Brasileiros, cinco, quase metade portanto, foram do Vasco. Fluminense, Avaí, CSA, Botafogo e Paraná também fizeram essas negociações nas duas últimas temporadas.

A proposta de proibir venda do mando durante toda a competição partiu da CBF, que já havia feito isso em 2017 depois que 2016 marcou 11 confrontos com o mandante negociando jogar em outro lugar, o auge dessa prática na primeira divisão. Só que em 2018, por pressão dos clubes, a entidade decidiu liberar, limitando em cinco por clube e proibindo nas últimas cinco rodadas, entendendo que desequilibraria a competição na reta final quando se decide o campeão, as vagas na Libertadores e os rebaixados.

Na reunião na sede da CBF um dos argumentos usados para proibir a prática foi o de que algumas empresas que organizam essa intermediação estão sendo acusadas de fraudar os borderôs para pagar menos taxas. Ou seja, além de influenciar na questão técnica do torneio, com alguns times jogando contra os mesmos adversários em situações distintas, havia a possibilidade de fraude — lembrando que os clubes não têm participação em irregularidades.

Jogos com mando vendido nos dois últimos anos:

2019
Fluminense x Corinthians - DF
Avaí x Flamengo - DF
Vasco x Flamengo - DF
Vasco x CSA - Cariacica (ES)
CSA x Flamengo - DF
Botafogo x Palmeiras - DF
Vasco x Corinthians - AM

2018
Paraná x Palmeiras - Londrina (PR)
Vasco x Flamengo - DF
Vasco x Corinthians - DF
Fluminense x Flamengo - DF

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Leia mais sobre: Campeonato Brasileiro, Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »