Vasco celebra campanha e mira estar mais forte no próximo NBB

Gegê Chaia, coordenador geral de basquete do Vasco da Gama, analisou o que foi feito e projetou o futuro vascaíno na modalidade.

Time do Vasco no ginásio de São Januário
Time do Vasco no ginásio de São Januário (Foto: Mauricio Almeida/divulgação)

A temporada 2023/2024 do NBB CAIXA marcou o retorno de um clube bastante tradicional. O R10 Score Vasco da Gama reativou o basquete profissional, ausente desde 2019, e fez uma campanha histórica. A equipe terminou em quarto lugar na fase de classificação e chegou às quartas de final, perdendo para o Bauru Basket apenas no quinto jogo 5 da série. Desempenho que gerou um sentimento de otimismo em São Januário.

“Tínhamos como objetivo chegar aos playoffs e conseguimos. Disputamos o Super 8, classificamos em quarto lugar, chegamos às quartas de final, fomos até o jogo 5 e ficamos a uma vitória da semifinal e de estar entre os quatro melhores. O sentimento é de orgulho. Esse projeto foi pensado passo a passo e conquistamos algo que ninguém imaginava neste primeiro momento”, afirmou Gegê Chaia, coordenador geral de basquete do R10 Score Vasco da Gama.

Cinco vezes campeão do NBB CAIXA, Gegê Chaia foi o responsável por liderar o retorno do clube. Segundo ele, o mais importante desde o início foi ser claro com os atletas que iriam atuar pelo R10 Score Vasco da Gama. “Sempre deixamos claro quais seriam as nossas ambições. Falamos que iríamos cumprir tudo que estava acordado, que iríamos dar estrutura para que pudessem focar apenas no basquete, que, fora das quatro linhas, eles não teriam problema nenhum. E isso foi feito.”

Marquinhos aceitou o desafio de ser o principal destaque por toda sua história no NBB CAIXA, mas, ao longo da temporada, alguns jogadores que chegaram para ser coadjuvantes conquistaram o espaço como protagonistas. Foram os casos de Matheus Eugeniusz e Rafael Paulichi. Gegê relembra o quanto foi difícil montar o elenco do R10 Score Vasco da Gama.

“Montamos o time do zero literalmente. Os fatos dizem por si só. Quarto lugar, participação do Super 8, chegada nas quartas de finais, quinto lugar no geral, com um orçamento, que, com certeza, está na segunda tábua dos times. O investimento foi o máximo que conseguimos. Todas as receitas são de empresas privadas, não temos nenhum real de projeto incentivado, isso mostra a força do nosso trabalho. Preciso agradecer aos patrocinadores, que não mediram esforços”, afirmou.

A ausência de estrangeiros na equipe, segundo Gegê, passou pela questão financeira. “O elenco foi montado dentro do orçamento que tínhamos, não permitiu fazer nenhuma loucura, correr nenhum risco. Foi tudo bem planejado, tudo bem pensado. Se a gente avaliar que algum estrangeiro possa se encaixar no perfil do nosso time, pode acontecer. É uma questão técnica de montagem. O Léo Figueiró teve liberdade desde o começo para expor o que queria. O que fazemos é entregar o melhor possível para ele trabalhar com maestria. O nosso foco não é se é brasileiro ou estrangeiro. O nosso foco é o compromisso com o orçamento que temos e isso foi feito ao pé da letra.”

O desempenho no NBB CAIXA promete abrir portas. Gegê confirmou que tem sido procurado por empresas interessadas em investir na equipe para a próxima temporada. “A evolução está diretamente ligado ao investimento que é feito, ao resultado entregue. A consequência disso é um valor maior, uma capacitação mais alta. Vamos correr atrás. Tem muita coisa acontecendo neste momento, muitas empresas nos procurando, estamos satisfeitos e vamos continuar caminhando para frente, mas sempre com os pés no chão. Sabemos o potencial gigantesco que nós temos, queremos evoluir, passo a passo, sem loucuras.”

Neste aspecto, segundo o coordenador geral de basquete do R10 Score Vasco da Gama, o presidente do clube, o ex-jogador Pedrinho, dá total apoio. “Desde que assumiu, ele deixou claro que confiava nas pessoas que estavam à frente do basquete. Só tenho de agradecer por todo o apoio, ele pegou o campeonato já rolando, mas esteve presente em quase todos os jogos em São Januário. Sempre torcendo, vibrando. Isso mostra muito do caráter, da personalidade dele, sempre se mostrou disposto a ajudar, então vamos conversar bastante”, afirmou Gegê. “A gente sabe da potência e do peso que tem o Vasco. Vamos caminhar lado a lado, sempre pensando no melhor para o basquete.”

Qual o principal ensinamento desta para a próxima temporada? “Quando se faz um trabalho focado, disciplinado, muito bem estruturado, conversado entre todos, sem nenhuma ponta solta, o resultado vem e as coisas acontecem. Estamos felizes e satisfeitos com tudo que foi colocado em prática. Retomar as atividades profissionais de uma instituição tão grande, como é a nossa, temos de aprender o tempo inteiro. Estamos satisfeitos e queremos evoluir muito na próxima temporada”, finalizou Gegê.

Fonte: LNB

Mais sobre:BasqueteNBB
Comente

Veja também
Álvaro Pacheco em entrevista coletiva
Álvaro Pacheco analisa derrota do Vasco contra Palmeiras; veja a entrevista coletiva

O técnico Álvaro Pacheco analisou o desempenho do Vasco da Gama e afirmou que o time disputou em um nível forte com o Palmeiras.

Vasco x Palmeiras no Allianz Parque
Pior defesa do Brasileiro, Vasco sofreu 58 finalizações nos últimos 2 jogos

Setor defensivo do Vasco da Gama foi vazado em oito oportunidades nas últimas derrotas da equipe para Flamengo e Palmeiras.

Caio Ribeiro, comentarista da Globo
Caio Ribeiro elogia Vegetti e dá receita para o Vasco se recuperar no Brasileiro

Comentarista da TV Globo, Caio Ribeiro enalteceu o centroavante Vegetti e analisou a derrota do Vasco da Gama para o Palmeiras.

Sforza em ação pelo Vasco contra o Volta Redonda
Sforza recebe o 3º cartão amarelo e desfalca o Vasco contra o Cruzeiro

Volante argentino foi advertido na derrota do Vasco da Gama para o Palmeiras e não enfrenta o Cruzeiro no próximo domingo (16).

Galdames em ação pelo Vasco contra o Palmeiras
Notas dos jogadores do Vasco contra o Palmeiras

Confira as notas dos jogadores do Vasco da Gama na partida desta quinta-feira contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro.