Opinião: Vasco não pode se dar ao luxo de poupar no Brasileiro!

Com a sequência de jogos, o Vasco da Gama tem poupado alguns jogadores importantes, o que já ocasionou em pontos bobos perdidos no caminho.

Avatar
Por Willams Meneses
-  22 de setembro de 2020 às 12:07-  Atualizada em 22 de setembro de 2020 às 12:14
Talles Magno em jogo contra o Coritiba
Talles Magno em jogo contra o Coritiba (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
data-full-width-responsive="true"

O Vasco da Gama se vê diante de um dilema causado que foi por ele mesmo. Curiosamente, esse dito ‘problema’ é causado por um bom motivo: segue vivo na disputa da Copa do Brasil e da Sul-Americana, que agora está conciliando com o Campeonato Brasileiro.

Já naturalmente com um alto número de jogos diante das competições, o Vasco enfrentará um calendário apertado na sequência da temporada pela longa paralisação por causa da pandemia, com direito a jogos nas quartas e domingo, o que traz um desgaste para o elenco.

Como se sabe, o Vasco não tem um elenco muito qualificado. Os 11 inicias são considerados, em boa parte, de boa qualidade, destaque para Leandro Castan, Andrey, Martín Benítez e Germán Cano. O problema é em relação ao banco de reservas, sendo que esses jogadores não têm substitutos à altura.

Para amenizar o desgaste físico, o Vasco optou por poupar jogadores nas últimas rodadas, casos de Leandro Castan e Martín Benítez. A questão é que, sem eles, como era de se imaginar, o Gigante tem uma queda brusca de rendimento, principalmente sem o Camisa 10, que é o grande ‘motorzinho’ da equipe.

No jogo do último fim de semana, contra o Coritiba, inclusive, Martín Benítez fez muita falta, ele que foi substituído pelo inoperante Bruno César. O argentino corre o campo inteiro durante a partidas e, por isso, é um dos que mais se desgastam. Lembrando que ele já havia sido poupado diante do Atlético-GO. Em comum, o Gigante foi derrotado nas duas vezes (2×1 e 1×0).

É tudo uma questão de prioridade, e a do Vasco precisa ser o Campeonato Brasileiro. Mesmo com o bom dinheiro que envolve a Copa do Brasil e a Sul-Americana, esta última que ainda não voltou, é o futuro do Gigante na Competição Nacional que ditará os seus rumos nesta e na próxima temporada.

O Vasco não pode se dar ao luxo de perder pontos bobos como nos jogos contra Atlético-GO e Coritiba. Podem fazer muita falta! Hoje o Gigante está em quarto na tabela, mas poderia estar na liderança caso tivesse vencido esses jogos, isso com um jogo a menos. Não é dizendo necessariamente que o Cruzmaltino disputará o título, mas somar o máximo de pontos já no primeiro turno com certeza fará a diferença para o segundo.

Nada melhor que afastar logo o ‘fantasma’ que ronda São Januário sobre brigar na parte de baixo na tabela. As outras competições são importantes sim, mas para um clube em estágio de reconstrução como o Vasco, a segurança de um bom Campeonato Brasileiro é ESSENCIAL.

Outra: competições no estilo mata-mata são imprevisíveis. Uma noite ruim e adeus sonho de ser campeão. Esperar algo grande seja na Copa do Brasil ou na Sul-Americana deve ser tratado como um bônus para uma boa temporada sustentada no sucesso no Campeonato Brasileiro. Por isso, é preciso força máxima principalmente em jogos onde o Vasco tem chances reais de vencer.

Concorda?

Leia Mais Sobre