Raphael Fernandes: com ou sem acesso, Vasco precisa manter Diniz para 2022

Manutenção do trabalho implementado por Fernando Diniz é o ponto de partida para o Vasco da Gama para 2022, não importa a divisão.

Fernando Diniz durante jogo contra o Cruzeiro
Fernando Diniz durante jogo contra o Cruzeiro (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Como já mostra o título, esta matéria, de caráter exclusivamente opinativo, tem como principal finalidade defender a manutenção do técnico Fernando Diniz no comando do Vasco da Gama para 2022 independentemente da equipe continuar na Série B ou conseguir o milagre do acesso à Primeira Divisão nas cinco rodadas restantes da Segundona.

Portanto, se você é um hater do ”Dinizismo”, nem adianta perder seu tempo. Ou, caso esteja propenso a mudar de ideia, seja bem-vindo e vamos aos argumentos…

Logo de cara, é importante ressaltar que Fernando Diniz não é o treinador de melhor aproveitamento no comando do Gigante da Colina na atual temporada. Com 50%, perde para os 56% de Marcelo Cabo, que comandou a equipe entre março e julho e teve 19 jogos a mais do que Diniz tem até o momento.

Porém, o estilo de jogo imposto pelo atual treinador é o que reergueu o Vasco dentro da Série B, uma vez que o time estava ”morto” com Lisca, a maior decepção cruzmaltina ao longo da temporada.

E esse estilo de jogo, como de costume nos trabalhos de Diniz, prioriza o toque de bola e a ofensividade. É notório que o técnico deu outra cara à equipe, mesmo que ainda longe de ser considerada a ideal. Mas isso pode ser justificado pela necessidade de reforçar o elenco de maneira condizente à sua forma de atuar e por um tempo de preparação adequado, que se chama ”pré-temporada”.

No olho do furacão, tendo que melhorar o desempenho do time e entregar resultados em meio à pressão pela posição aquém do Vasco na tabela, Diniz teve (e ainda está tendo), por exemplo, que ”ensinar” Leandro Castan a sair jogando e Marquinhos Gabriel a ser segundo volante (ele encontrou sua posição ideal, diga-se de passagem).

É bem verdade que algumas decisões são questionáveis, como a pouca utilização de Caio Lopes, box-to-box que, quando teve oportunidades, foi bem mas depois, misteriosamente, não recebeu novas chances, e de Daniel Amorim, que, apesar de entrar em diversos jogos, já poderia ter sido testado como titular em alguma ocasião. Isso sem contar no sumiço de Matías Galarza, destaque cruzmaltino no primeiro semestre mas que nunca recebeu nenhuma oportunidade com Diniz.

Apesar desses contrapontos, ao menos para este que vos escreve, Fernando Diniz é o menor dos culpados pela possível (quase provável) permanência do Vasco na Série B. Além de não ter montado o elenco, pegou o barco andando tendo que remar e consertá-lo ao mesmo tempo.

Abrir mão de Diniz, treinador que se esforça para fazer o Cruzmaltino jogar apesar da limitação das peças, para contratar um treinador ”mais do mesmo”, não é o ideal. Longe disso. Seja na Série A ou na Segundona, a manutenção do trabalho implementado por ele é o ponto de partida para a próxima temporada.

Leia mais sobreFernando Diniz
11 comentários
  • Carlos Alberto Baião - 6 de novembro de 2021

    Discordo respeitosamente. Seu salário não cabe no orçamento do Vasco, nem seus conhecimentos de futebol se adaptam aos meninos da base que têm que compor o time profissional. Quem mantém Marquinhos Gabriel no time e discrimina Galarza, não merece ser chamado de tecnico, muito menos do Vasco. Por essas e várias outras razões tem que ser dispensado.

    Responder
    • Luciano Ramos - 6 de novembro de 2021

      Boa noite, então vc pode me dizer qual melhor técnico para comandar esse time do Vasco!!!

  • Carlos Alberto Baião - 6 de novembro de 2021

    Discordo. Seu salário não cabe no orçamento do Vasco, nem seus conhecimentos de futebol se adaptam aos meninos da base que têm que compor o time profissional. Quem mantém Marquinhos Gabriel no time e discrimina Galarza, não merece ser chamado de tecnico, muito menos do Vasco. Por essas e muitas outras razões.

    Responder
  • Nelson nunes de oliveira - 6 de novembro de 2021

    FORA DINIZ Ñ. BOM TECNICO. Nesse elenco composto de cabeças de bagre, refugos e comandados por um tal passaro com ideias doentias e ainda gerenciado por um crápula chamado salgado. E A PIOR PARTE….CARLOS LEITE ESSE MISERAVEL QUE É DONO DO VASCO MANDA E DESMANDA UM PDP DESSE BANDIDO ARRASOU C VASCO. ANTES DE MUDAR ELENCO TÉCNICO ARRANCA ESSA CORJA MALDITA DE SJANUARIO. MALDITOOOOOSSSS.

    Responder
  • Genivaldo santos Alves - 6 de novembro de 2021

    A diretoria é curpado de tudo isso, contrata jogandor que ta no mercado livre, jogador que os times não quer saber no seus elencos, aí joga pra cima do Vasco, esse presidente de merda fala que o Vasco tá sem dinheiro e pega, depois é nois torcedor que sofre o ano todo.

    Responder
  • Júlio Santos - 5 de novembro de 2021

    Não precisa o manter não. Ele precisa embarcar junto com quase todos do elenco. Apesar de sabermos quem são os principais culpados, o Diniz tem de ser avaliado pelo o que tem feito, e pelas burrices determinantes dele, o Vasco perdeu três pontos contra o CRB, Sampaio Corrêa e Náutico por exemplo. Sobre o último, num jogo com o placar amplamente favorável, recua todo o time e fazendo o Cano ir até a pequena área para marcar. Não foi graças ao Diniz, senão apesar dele, que o Vasco ainda chegou a ter uma sobrevida neste campeonato, e isso graças a vinda do Nenê. Ano novo, elenco novo e treinador novo. O “Dinizismo” precisa estar bem longe do Vasco no ano que vem.

    Responder
  • Walter Carvalho - 5 de novembro de 2021

    O Vasco precisa de time.
    Tecnico que só ganha se o time for bom, é fácil.
    O Diniz não mostrou nada, pois mostrar que é mlhow do que o Lisca é o Marcelo Cabo não é parâmetro pra comparação. Pois os dois foram a razão da destruição do time e do moral da equipe para a competição. Só fizeram merda.

    Responder
  • Newton Santos - 5 de novembro de 2021

    Rafael Fernandes discordo de você totalmente, sabe porque?

    O Sr Fernando Diniz trouxe para o Vasco uma tatica ultrapassada que não deu certo em outros times, claro que do goleiro ao ponta mais avançado todos tem que saber sair jogando.
    Mas no Vasco isso virou obstinação do Sr Diniz.
    Agora te afirmo que todos os times de todo planeta tem estrategias de contra ataque o Vasco não tem, e se não tem não pode ganhar jogos, é bolinha pra cá e bolinha pra lá, posse improdutiva.
    Culpado é o Diniz fora com ele, pessimo treinador, decadente, a estrategia dele só deu certo no Audax porque foi uma novidade, porque hoje com a marcação alta que todos os times fazem, a tatica do Diniz traz o adversario todo pra cima do Vasco, e consequentemente sobrecarrega a defesa a cometer erros e mais erros

    Foraaaaaaaaaaaaa Dinizzzzzzzzzzzzzzz

    Responder
  • Jorge Novaes - 5 de novembro de 2021

    Sou favorável que a mãe do salgadinho seja a técnica.

    Responder
  • Julliano - 5 de novembro de 2021

    Tá na hora da debandada…

    Responder
  • Eduardo - 5 de novembro de 2021

    Também penso assim!

    Responder
Deixe sua opinião

Últimas notícias
30 de novembro de 2021
Confira últimas movimentações do mercado da bola no Vasco

Fique por dentro das últimas movimentações do mercado da bola no Vasco da Gama, visando a próxima temporada.

Saiba mais sobre Jordan, novo atacante do Vasco Sub-20

Saiba mais sobre o atacante Jordan, de 18 anos, contratado pelo Vasco da Gama Sub-20 visando a temporada 2022.

ArquiVasco se posiciona contra movimento do Vasco de se tornar clube-empresa

Grupo político emitiu comunicado fazendo fortes críticas a intenção do Vasco da Gama em transformar seu futebol em clube-empresa.

Roberto Monteiro critica pedido de constituição de clube-empresa

Ex-presidente do CD do Vasco da Gama, Roberto Monteiro disparou contra a possibilidade do futebol do Clube ser gerido por uma empresa.

Decisões centralizadas de Salgado provocam desconforto em parte de base aliada

Postura do presidente Jorge Salgado na condução do futebol do Vasco da Gama vem sendo criticada até por membros da base aliada.

Ex-presidente do Vasco, Campello diz que não vê nenhum nome capaz de unir o Clube

Em entrevista ao Blog do jornalista Ricardo Gonzales, Alexandre Campello se mostrou pessimista quanto ao futuro do Vasco da Gama.

Oposição do Vasco se mobiliza pela saída de Jorge Salgado

Número necessário de assinaturas para convocação de Assembleia Geral Extraordinária vem aumentando nos corredores de São Januário.

‘Juntos vamos conduzir o Vasco ao seu devido lugar’, afirma Nenê

Um dos pouquíssimos destaques do Vasco da Gama em 2021, meia diz ainda que ”vestir a camisa do Vasco da Gama é uma honra”.

‘O Vasco não precisa ter seu futebol vendido’, critica Leven sobre possível SAF

Via redes sociais, Leven Siano se manifestou contrariamente à possível transformação do futebol do Vasco da Gama em clube-empresa.

29 de novembro de 2021
Em vídeo com torcedor, Salgado revela que Zé Ricardo e Ricardo Gomes devem chegar

Respondendo informalmente a um torcedor do Vasco da Gama, presidente Jorge Salgado confirma negociações por Zé Ricardo e Ricardo Gomes.

Veja mais notícias