Opinião: a cobrança precisa ser imediata!

O Vasco da Gama se encontra num momento de começo de nova gestão, em meio à luta para seguir na Série A do Brasileiro.

Avatar
Por Willams Meneses
-  17 de fevereiro de 2021 às 08:34-  Atualizada em 17 de fevereiro de 2021 às 08:41
Jorge Salgado toma posse em definitivo (Foto: Jorge Porciuncula/Vasco.com.br)

Não resta dúvidas de que a gestão Alexandre Campello não é um exemplo a ser seguida no Vasco da Gama daqui em diante, principalmente quando o assunto é departamento de futebol.

Pode-se discutir sobre um ponto ou outro, em relação à estrutura, com os dois CT’s, mas estes mesmos foram tocados pela massa vascaína. Talvez no caso das finanças, mas neste caso apenas um especialista poderia cravar.

Sobre o futebol, é unanimidade que foi desastroso. Três anos com equipes limitadas, sem força e lutando contra o rebaixamento, e podendo cair nesta edição ainda com a montagem do elenco da antiga gestão.

Por isso, espera-se muito mais da nova gestão no Vasco. Está ainda no início, mas a cobrança, claro, dentro do que esteve ao alcance, precisa ser feita o tempo inteiro. O Vasco não tem muito tempo, precisa de energia e urgência.

A grande prioridade do momento é salvar o Vasco do quarto rebaixamento na história, o que será o divisor de águas em relação ao futuro. Tudo sobre o futuro do Clube se passa pelo que vai acontecer no Brasileirão.

Depois, amigo, o Vasco precisa de uma mudança profunda no elenco. Não são esperados craques, claro, mas sim o MÍNIMO de planejamento quando o assunto é montagem. É possível sim montar times muito melhores mesmo com pouco dinheiro.

Não será tolerável mais o uso de ‘bengalas’ como culpar ‘herança maldita’, dizer que precisa de muito tempo para mostrar resultado e entre outras coisas. Quem se colocou na disputa pela presidência sabia muito bem que encontraria uma situação delicada.

O Vasco precisa, inclusive, de novas alternativas para resolver os seus problemas. Mas não adianta chorar pelo Leite derramado…

A intenção deste texto não é tumultuar ainda mais o ambiente, se trata de uma cobrança que será feita sempre que necessário. A crítica precisa ser algo recorrente em São Januário, seja quem estiver no comando.

Ame o Vasco e não dirigentes! Dito isto, é torcer para que o Vasco dê a volta por cima e se mantenha na primeira divisão. Se cair vai ser uma situação de extrema preocupação sobre o que vai ser do Gigante.