Miranda se destaca e acirra concorrência na defesa do Vasco

O zagueiro Miranda fez boas atuações na ausência de Ricardo Graça e acirra disputa por vaga na defesa do Vasco da Gama.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  3 de outubro de 2020 às 10:11-  Atualizada em 16 de novembro de 2020 às 10:15
Miranda em jogo contra o Athletico-PR (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Quinto colocado no Brasileirão, o Vasco volta a campo no próximo domingo, às 20h30, para encarar o Atlético-MG, fora de casa. E para o confronto contra o líder da competição o técnico Ramon Menezes ganhou uma “dor de cabeça” às avessas. O zagueiro Miranda fez atuações seguras na ausência do então titular Ricardo Graça, que ficou fora primeiro pro contrair Covid-19 e depois por uma lesão muscular na coxa. A ascensão de mais um cria da base acirrou a disputa por posição na defesa do Vasco.

Aos 20 anos, Miranda foi criado dentro de São Januário. O atleta chegou ao Vasco em 2006 para o futsal e formou-se no Colégio Vasco da Gama. A estreia no profissional aconteceu em 2018, contra o Internacional. Miranda foi utilizado em três dos quatro clássicos que o Cruz-Maltino disputou em 2020 e já soma oito jogos no Brasileirão. O desempenho rendeu elogios do técnico Ramon, na última quinta-feira.

– Estou muito satisfeito com eles, com a performance do Miranda, que entrou muito bem. Do Castan eu não preciso nem falar. Além de ser referência fora de campo, em campo é um atleta vencedor. E o Ricardo, mesmo jogando pela direita, sempre teve uma performance impressionante. Quem ganha com isso é o Vasco, que tem dois grandes jogadores jovens. O Ricardo é jovem, mas hoje é uma referência no clube. Quem ganha é o Vasco, quem ganha sou eu, que estou muito satisfeito – disse Ramon, em coletiva de imprensa.

Além da qualidade técnica, o camisa 35 também se arrisca em sair jogando em alguns momentos e chama a atenção pela liderança. Na base foi capitão e destaque na geração 2000 que tem como principal nome o atacante Paulinho, hoje na Alemanha.

Ricardo até o afastamento pelo coronavírus e a lesão era titular absoluto na posição e mostrava grande entrosamento com o capitão Leandro Castan. Os dois provaram ser possível formar uma dupla de zaga de alto nível com dois zagueiros, contrariando os críticos.

O próximo capítulo dessa disputa sadia será no domingo, contra o Galo. Os escolhidos para o time titular terão o desafio de parar o melhor ataque da competição, com 21 gols, em 11 jogos.

Fonte: Lancenet

Leia Mais Sobre