Gestão do Vasco em 2022 pode ter VP de Futebol, CEO e diretor

Presidente do Vasco da Gama, Jorge Salgado deve anunciar o planejamento do Clube para a próxima temporada nesta sexta-feira (12).

Adriano Mendes, Jorge Salgado e Duque Estrada em coletiva em São Januário
Adriano Mendes, Jorge Salgado e Duque Estrada em coletiva em São Januário (Foto: Reprodução/Vasco TV)

A primeira grande crise da gestão de Jorge Salgado no Vasco fez o presidente acertar, na última quinta-feira, as saídas do diretor executivo de futebol Alexandre Pássaro e o técnico Fernando Diniz. Enquanto tentava segurar os dois ao menos até o fim da Série B, para poder fazer uma análise da temporada, o mandatário viu a pressão interna de setores da própria gestão e da política do clube aumentar, principalmente após as duas recentes goleadas sofridas em pleno São Januário. Assim, não viu outra saída que não fosse a saída dos dois principais nomes do futebol do clube: o diretor e o treinador.

Há duas semanas, após a derrota para o CSA por 3 a 1, em casa, a pressão começou a aumentar. Com aquele resultado a situação do time na Série B já ficava muito delicada. Poucos dias depois, as falas do presidente Jorge Salgado na coletiva de imprensa que tinha como objetivo apresentar o importante acordo do clube com a PGFN também não foram bem recebidas. Na ocasião, o mandatário até fez algumas leves críticas ao futebol do clube, mas mais exaltou o trabalho de Alexandre Pássaro do que reconheceu erros ou fez alguma auto-crítica. E, para muitos, falar que o clube estava se planejando para um possível cenário de permanência na Série B e que poderia subir no ano seguinte passou uma imagem de conformismo.

As primeiras reações mais fortes de dentro do clube já acontecem alguns dias depois da coletiva. No dia seguinte da dura derrota por 1 a 0 para o Guarani, que deixou a situação da equipe ainda pior, a “Sempre Vasco”, que tem 30 cadeiras no Conselho Deliberativo do clube, publicou uma nota em que pedia a renúncia de Jorge Salgado.

Goleadas em casa aumentaram pressão

Naquele mesmo período a pressão de membros da própria gestão sobre Salgado, cobrando providências sobre o departamento de futebol, também aumentaram. No domingo, após a humilhante derrota por 4 a 0 para o Botafogo em pleno São Januário foi praticamente uma pá de cal nos sonhos do Vasco na Série B. E a entrevista coletiva de Alexandre Pássaro após a partida não foi bem recebida pela torcida e membros da diretoria, que não gostaram do diretor de futebol ter mencionado os rebaixamentos anteriores do clube e da falta de reconhecimento dos erros da gestão do futebol durante o ano. Na coletiva, Pássaro mostrou muita confiança no próprio trabalho.

Na última terça-feira, em nota divulgada à imprensa, a diretoria administrativa do clube informou que já havia iniciado a planejamento para 2022, mas que só iria se pronunciar após o fim da Série B. Este silêncio de Salgado e inércia no departamento de futebol irritaram a torcida. Alexandre Pássaro seguia prestigiado pelo presidente, que gostaria de esperar o fim da Série B para fazer uma análise sobre o trabalho do diretor.

Mas a goleada sofrida por 3 a 0 para o Vitória fez o caldo entornar e Salgado não conseguiu mais segurar o antes prestigiado diretor de futebol. Depois de mais uma humilhação em São Januário, alguns grupos políticos que compõe a “base” da Mais Vasco, chapa de Jorge Salgado eleita no pleito de 2020, chegaram a dar um prazo para o presidente fazer mudanças no futebol do clube. Caso contrário, poderiam sair da gestão. Alguns conselheiros eleitos junto com a chapa fizeram críticas abertas a administração do clube em redes sociais. Além disso, grupos políticos de oposição, como Identidade Vasco, Fuzarca, Time da Virada e Imortal, começaram recolher assinaturas em um abaixo-assinado para pedir a destituição de Salgado e toda a diretoria administrativa, além dos presidentes e vice do Conselho Deliberativo do clube. O objetivo, de acordo com o “GE”, conseguir entre 2.500 e 3 mil assinaturas para convocar uma Assembleia Geral Extraordinária.

Depois disso, as mudanças, enfim, vieram. Alexandre Pássaro e Fernando Diniz foram demitidos na última quinta-feira. Mas o silêncio de Salgado ainda incomoda. A promessa de um pronunciamento na “Vasco TV” nesta sexta-feira mais uma vez não foi bem recebida. A falta de abertura para questionamentos da imprensa chamou a atenção negativamente. Agora, em silêncio ou não, a diretoria administrativa já começa a trabalhar pensando na próxima temporada. Algumas mudanças devem fortalecer o departamento de futebol e descentralizar a responsabilidade sobre a gestão do carro-chefe do clube, que durante 2021 ficou praticamente apenas nas mãos de Pássaro. Um vice-presidente de futebol deve ser escolhido dentro da gestão e um CEO pode ser contratado para o futebol, além de um novo diretor de futebol. Assim, 2022 deve começar mais cedo na Colina.

Fonte: Esporte News Mundo

2 comentários
  • Jeronymo Falcão - 17 de novembro de 2021

    Pelo amor de Deus!!! Tirem Esses vagabundos golpistas daí. Deixem o verdadeiro presidente eleito nas urnas assumir. Muito se pergunta, na imprensa esportiva, agora, o que o Vasco tem que fazer para voltar a ser o que era. Resposta: TIREM ESSES VAGABUNDOS GOLPISTAS E CORRUPTOS DAÍ. resolvido o problema. O Vasco virou cabide de emprego e campo aberto para empresários corruptos. Simples!!

    Responder
  • Jorge Miguel - 13 de novembro de 2021

    Tudo que o Vasco está passando é reflexo das malfadadas eleições, primeiro o desastre Campello e agora a tragédia Salgado.
    Óbvio que daria no que deu, alguém tinha dúvida.
    Perdemos 2 oportunidades de termos gestões competentes, porém os velhacos conselheiros presentearam a imensa torcida com estes vexames. E agora José?
    Mudança imediata nesta direção, é o mínimo que se pode fazer para o Vasco não se apequenar mais ainda.
    Por favor, renunciem provando que não são tão canalhas assim.

    Responder
Deixe sua opinião

Últimas notícias
23 de janeiro de 2022
Caio Lopes deve acertar com o Leganés, da 2ª divisão da Espanha

Cria da base do Vasco da Gama, meia Caio Lopes deve acertar sua transferência para o Leganés, da segunda divisão da Espanha.

Confira a programação semanal do futebol profissional do Vasco

Veja a agenda do futebol do Vasco da Gama na semana em que a equipe faz sua estreia no Campeonato Carioca.

Ex-Vasco, Alan Kardec pode voltar ao futebol brasileiro

Atacante revelado na base do Vasco da Gama, Alan Kardec está há quatro meses sem receber salários na China.

Confira o provável time do Vasco na estreia do Carioca contra o Volta Redonda

Veja a provável escalação que o técnico Zé Ricardo deve mandar a campo na estreia do Vasco da Gama no Campeonato Estadual.

Às vésperas do Carioca, Castan e Vanderlei seguem com futuro indefinido no Vasco

Com a estreia do Estadual batendo na porta, Leandro Castan e Vanderlei seguem com suas situações incertas no Vasco da Gama.

Elenco campeão da Copinha 1992 se reúne para celebrar 30 anos da conquista

Estiveram presentes nomes como Pimentel, Alex Pinho, Leandro Ávila e Valdir Bigode; Vasco da Gama faturou o título do torneio sobre o SP.

Parabéns, fera! Juninho completa 21 anos neste domingo

Uma das principais promessas do Vasco da Gama, Juninho nasceu em 23 de janeiro de 2001; em 2022, meio-campista deve ter mais protagonismo.

Definida a arbitragem para o jogo entre Volta Redonda e Vasco

Confira a arbitragem para o jogo entre Volta Redonda e Vasco da Gama nesta quarta-feira, no Raulino de Oliveira, pelo Carioca.

Vasco estaria tentando redução salarial para manter Vanderlei no elenco

Caso o goleiro aceite a sugestão, a tendência é que continue no Vasco da Gama para 2022, disputando posição com Thiago Rodrigues e Halls.

Vasco estreará no Carioca com equipe reformulada

O Vasco da Gama vem reformulando a equipe buscando fazer um boa temporada e mirando o acesso à Série A do Brasileiro.

Veja mais notícias