Fernando Miguel comenta rebaixamento do Vasco e impacto da ausência de público

O ex-goleiro do Vasco da Gama, Fernando Miguel, não vê como desculpa, mas acredita que ausência de público teve impacto no rebaixamento.

Avatar
Por Willams Meneses
-  7 de abril de 2021 às 15:30-  Atualizada em 7 de abril de 2021 às 15:39
Fernando Miguel defende pênalti de Luiz Adriano
Fernando Miguel defende pênalti de Luiz Adriano (Foto: André Durão)
data-full-width-responsive="true"

No mês passado, o Vasco da Gama acertou o empréstimo do goleiro Fernando Miguel, de 36 anos, ao Atlético-GO, até o fim desta temporada. Ele estava fora dos planos do Clube.

O experiente arqueiro havia se tornado um constante alvo de críticas da massa vascaína, sendo, inclusive, apontado como um dos grandes culpados pelo rebaixamento do Vasco à Série B.

Emprestado, Fernando Miguel disputará a Série A novamente, agora vestindo a camisa do Atlético-GO. Em entrevista concedida ao site Goal, o goleiro relembrou o rebaixamento vascaíno.

Ele apontou como o principal fator para o descenso a grande oscilação do elenco vascaíno dentro da competição, e ainda disse que, no meio do processo, tanto para sucesso quanto para fracasso, acontecem muitos fatores que as pessoas não percebem.

– Acredito que a grande oscilação dos atletas, né? É difícil falar a respeito disso, porque parece que você está transferindo (a responsabilidade). Então eu prefiro pensar e chamar algo que é nosso, aquilo que acontece no campo. Tem muitos fatores que levam ao fracasso e muitos fatores que levam ao sucesso que as pessoas não percebem. Muita coisa acontece.

Ainda sobre o rebaixamento, Fernando Miguel não eximiu sua culpa e afirmou que não conseguiu entregar tudo o que podia naquele momento:

– Eu também, na reta final, não consegui ser o atleta decisivo que precisava. Então existe a parcela nossa, o meu mau momento que contribuiu para que as coisas não dessem certo e que não acontecesse aquilo que era o mínimo, que era a permanência na primeira divisão. Então a oscilação dos atletas foi algo importante e bastante marcante neste cenário. A gente precisa olhar para aquilo que a gente não conseguiu fazer ao invés de ficar apontando para o que outros deveriam ter feito. Muita coisa aconteceu no processo, e uma delas foi essa oscilação da nossa parte, dos atletas, e eu me insiro nisso também.

Estádios Vazios

Por causa da pandemia de Covid-19, as partidas do Campeonato Brasileiro de 2020 aconteceram sem a presença de público nos estádios. Questionado sobre isso, Fernando Miguel disse que existe inferência negativa no desempenho, mas que isso vale para todos.

– É difícil mensurar isso. Dentro de um elenco jovem, a gente talvez possa imaginar que esta oscilação pudesse ser até maior. Essa dificuldade poderia ser até maior. Mas eu como atleta, Fernando Miguel, olhando e vendo e pensando e sentindo o futebol… o torcedor vai fazer falta em qualquer momento. Seja lutando contra o rebaixamento ou com você lutando para ser campeão de alguma coisa. Ainda mais no Vasco.

Mesmo não considerando que não pode ser justificativa, Fernando Miguel ressaltou o quão importante a torcida é para o Vasco, e que fez falta sim nesse processo:

– Aqueles que jogaram com São Januário lotado, que sentiram a emoção e o calor da torcida vascaína, o quanto ela faz bem para a equipe… o Vasco existe pela sua torcida. O Vasco consegue se reerguer justamente pela força do seu torcedor, que não abandona o clube. Eu olho e penso que o torcedor fez uma falta significante para nós neste processo, porque ele era o nosso, pro meu ponto de vista, o nosso carro-chefe, o nosso incentivador, a nossa força. Fez falta sim, mas não pode ser uma justificativa.

Cedido ao Atlético-GO, Fernando Miguel ainda possui um longo contrato com o Vasco, que se estende até dezembro de 2022. O goleiro, no entanto, não deve voltar mais a jogar pelo Gigante, tendo o futuro decidido quando encerrar o empréstimo.

Leia Mais Sobre