Fernando Miguel relembra momentos no Vasco e exalta Leandro Castan

O ex-goleiro do Vasco da Gama, Fernando Miguel, disse que o zagueiro Leandro Castan é um exemplo e destacou sua história de superação.

Avatar
Por Willams Meneses
-  7 de abril de 2021 às 16:42-  Atualizada em 7 de abril de 2021 às 16:43
Fernando Miguel
Fernando Miguel (Foto: Carlos Gregório Jr)
data-full-width-responsive="true"

Hoje vestindo a camisa do Atlético-GO, o goleiro Fernando Miguel concedeu uma entrevista ao site Goal, tendo como assunto a passagem pelo Vasco da Gama.

Fernando Miguel defendeu o Vasco entre 2018 e 2021, sendo que foi emprestado ao Atlético-GO no mês passado. O seu contrato com o Gigante se estende até dezembro de 2022.

Entre os assuntos relacionados ao Vasco, o arqueiro de 36 anos escolheu os bons e maus momentos que passou em São Januário. Ele começou pelas lembranças positivos no Clube nesse anos.

– Talvez o primeiro deles seja aquele momento de 2018, quando eu entro na equipe, num jogo decisivo e importantíssimo contra o São Paulo, em São Januário, em que a gente, se tivesse tomado o gol ali, uma cabeçada do Rodrigo Caio em que eu fiz a defesa, talvez já teria, em 2018 ali, consolidado, ou teria acontecido um rebaixamento com o Vasco. Talvez depois, no ano seguinte, ser campeão da Taça Guanabara dentro do Maracanã em cima do Fluminense. Foi outro ano marcante. Passa um tempo, daí tem a lesão na final do Campeonato Carioca e a equipe começa a patinar, começa a ter dificuldades. Quando eu volto, na oitava ou nona rodada, a gente não tinha vencido no Campeonato Brasileiro. A gente começa um processo de ascensão, de subida, em que a gente ali, se tivéssemos um pouquinho mais ‘de corpo’ talvez a gente tivesse conseguido uma pré-Libertadores naquele ano de 2019. Então os momentos, eles foram bom, eles foram marcantes.

Na sequência, Fernando Miguel contou o grande momento negativo com a camisa do Vasco:

– Infelizmente, este ano de 2021 terminou de maneira bastante triste. O torcedor e as pessoas acham que, às vezes, o atleta não sente, que não se importa, mas eu levei muitos dias e é algo que precisa ser digerido ainda, tudo isso que se passou no final da temporada. E não tem tempo, né? A gente já vai começar a jogar, e é preciso esquecer e cicatrizar as feridas deste rebaixamento, que foi muito traumático não só para o clube, mas para os atletas e para mim particularmente.

O capitão

Fernando Miguel, ao se questionado sobre o melhor jogador com quem atuou, exaltou o zagueiro Leandro Castan. O goleiro destacou a história de superação e o ser humano que o capitão vascaíno se apresenta, o vendo como exemplo para os mais jovens.

– Vou falar a respeito de um cara que conviveu comigo nestes últimos três anos, que é o Leandro Castán. É um cara que, quando você olha para o histórico de vida dele, aquilo que ele enfrentou e aquilo que ele superou e a forma como ele vivia o dia a dia do clube, eu olhava para ele e aprendia muita coisa com ele. É um outro atleta que viveu momentos bons e momentos difíceis, está sendo muito sobrecarregado por tudo o que aconteceu nesta temporada passada. Mas é um cara que eu olho e digo: ‘este cara tem muito a ensinar’. Ele é um grande espelho para os mais jovens, e ele é um cara que estimula até mesmo eu, com 36 anos, que olhava o dia a dia do Castan e aprendia com ele. É um atleta muito marcante para mim.

Para a vaga de Fernando Miguel, o Vasco contratou o também experiente Vanderlei, de 37 anos, que estava no Grêmio. Além disso, o garoto Lucão vem sendo testado na meta vascaína, enquanto o reforço não pode estar em campo.