Entrevista coletiva de Ricardo Sá Pinto após o jogo contra o Sport

O técnico Ricardo Sá Pinto analisou o desempenho da equipe e comemorou a vitória contra o Sport e o fim do jejum no Brasileiro.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  14 de novembro de 2020 às 19:45-  Atualizada em 16 de novembro de 2020 às 16:24
Ricardo Sá Pinto durante jogo contra o Sport
Ricardo Sá Pinto durante jogo contra o Sport (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)
data-full-width-responsive="true"

A tarde na Ilha do Retiro foi redentora para Vasco e Germán Cano. Ambos viviam jejuns semelhantes. O time não vencia há nove rodadas no Brasileiro, enquanto o argentino, artilheiro da equipe na temporada, não balançava a rede há nove jogos. O que aconteceu? Os vascaínos venceram o Sport por 2 a 0, com dois gols do argentino. Em entrevista coletiva, o técnico Ricardo Sá Pinto comemorou o resultado e o rendimento do time.

– Vitória de todos nós. Este Brasileirão é muito competitivo, todos jogos serão difíceis. Ganhamos bem hoje, mas o adversário tem valor e pode criar problemas. Não conseguimos ser perfeitos, mas conseguimos ser suficientemente bons para vencermos. Então muitos parabéns à equipe e aos jogadores que estiveram de fora.

Veja outras respostas de Sá Pinto:

EVOLUÇÃO DO TIME

– Foi importante ganhar, mas mais importante é aquilo que digo. É saber por que se ganha e por que não se ganha. Nossa semana de trabalho, costumo consolidar o que temos de bom e melhor o que temos de melhorar nos momentos do jogo. Vamos evoluindo. Agora, não é fácil passar uma ideia de jogo em três semanas. Minha ideia era fazer os jogadores ficarem confortáveis nas posições.

TRÊS ZAGUEIROS

– Provavelmente temos dois ou três sistemas em que podem render, mas o mais importante é que a equipe não sofresse como vinha sofrendo. Jogar com três zagueiros não é demasiadamente defensivo.

BENÍTEZ E TALLES

– Beni ofensivamente ajuda muito a equipe e tem capacidade de melhorar ainda. Procura o jogo, cria faltas, dá passes e tem boa bola parada. Precisa ser mais incisivo no último terço, fazer mais gols e dar mais assistências. Gostaria de manter mais tempo o Beni ou o Talles, muitas vezes tenho que abdicar da qualidade deles. Quando estamos há nove jogos sem ganhar, eles começam a entrar, Léo Matos estava cansado, Werley não jogava fazia muito tempo… Às vezes me custa não manter os jogadores mais qualificados quando não temos o controle. Corre o risco de sofrer gol e melhorar o adversário. Então faço pensando no melhor para a equipe.

– Fisicamente o Beni e o Talles podem melhorar muito. Beni estava parado há muito tempo, todos os jogadores vão crescer fisicamente.

OSCILAÇÃO NOS 90 MINUTOS

– Não consigo estar regulares os 90 minutos, até porque o adversário tem valor, estávamos jogando na casa deles, vínhamos há nove jogos sem ganhar. A equipe tem margem para crescer. A maior contrariedade no momento é que eu queria elevar os índices fisiológicos, mas ao mesmo tempo recuperá-los para quinta. Minha preocupação é recuperá-los para os próximos jogos. Espero que o time consiga recuperar bem para fazermos outro bom jogo contra o Fortaleza. Vai ser um jogo muito difícil.

Fonte: Globo Esporte