Deu Vascão! Cano marca e Gigante vence o Athletico-PR em São Januário

O Vasco da Gama jogou bem e venceu o Athletico-PR em São Januário por 1x0 com gol do atacante artilheiro Germán Cano.

Por Anderson Montalvão
-  6 de setembro de 2020 às 23:49-  Atualizada em 7 de setembro de 2020 às 00:54
Cano e Benítes comemorando gol contra o Athletico-PR (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Após três jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro, o Vasco da Gama voltou a triunfar na competição. Na noite deste domingo (06), o Gigante da Colina derrotou o Athletico-PR, em São Januário, pelo placar de 1×0. A partida foi válida pela 8ª rodada do torneio.

O gol cruzmaltino foi marcado pelo infalível centroavante argentino Germán Cano, que chegou a cinco tentos no Brasileirão, tornando-se o vice-artilheiro geral, atrás apenas de Thiago Galhardo, do Internacional, que tem seis.

A vitória cruzmaltina foi construída logo cedo. Aos 6 minutos, Martín Benítez recebeu a bola no campo de defesa do Vasco, arrancou pelo meio, tabelou com Yago Pikachu e, já dentro da área adversária, passou para Cano, que, com o gol vazio, só teve o trabalhou de empurrar para o fundo da rede. Um a zero.

Devido ao gol, o Athletico se viu obrigado a correr atrás do prejuízo, fazendo, assim, com que o Rubro-Negro tivesse um pouco mais de posse de bola do que o Vasco. Aos 12, Léo Cittadini tentou passe para dentro da área de ataque e a bola acabou sobrando para Geuvânio, que ajeitou para a perna canhota e mandou um chutaço, para ótima defesa de Fernando Miguel.

Depois disso, a melhor chance do primeiro tempo (que não chegou a ser uma super oportunidade) foi uma nova finalização de Geuvânio, aos 41, que saiu à direita do goleiro vascaíno.

Para o segundo tempo, o técnico Ramon Menezes voltou, já no intervalo, com Cayo Tenório no lugar de Ygor (passando Pikachu para a ponta) e Bruno Gomes na vaga de Benítez, que saiu por desgaste físico. Com isso, o Vasco ficou com uma formação um pouco menos ofensiva do que na primeira etapa. Mas isso não impediu o Rubro-Negro paranaense de ser mais perigoso que o Cruzmaltino.

Aos 18, Geuvânio tentou lançamento em profundidade para a área de ataque do Athletico, Marcelo Alves tentou tirar de peito e a bola acabou sobrando para Eric, que fulizou Fernando Miguel. Porém, o arqueiro vascaíno, atento e bem colocado, fez a defesa.

Aos 36, o Vasco fez seu segundo gol na partida, com Ribamar, em ótima jogada individual e chute certeiro no canto direito de Santos, mas o mesmo acabou anulado pela arbitragem após intervenção do VAR, que viu falta de Bruno Gomes em Christian na roubadade bola que originou o lance.

E no último minuto de jogo, mais precisamente aos 49, o suspiro final de alívio cruzmaltino. Cruzamento preciso de Bruno Leite, que achou Pedrinho dentro da área de defesa do Vasco. O atacante do Athletico pegou de primeira e mandou por cima do gol de Fernando Miguel.

E ficou nisso. Com a vitória, o Vasco chegou a 14 pontos conquistados no Campeonato Brasileiro, assumindo a 3ª colocação na classificação.

Agora, o Cruzmaltino volta a campo na próxima quinta-feira (10), às 21h, contra o Atlético-GO, novamente em São Januário. A partida é válida pela 9ª rodada do Brasileirão.

Ficha Técnica

Vasco 1 x 0 Athletico-PR – Campeonato Brasileiro – 8ª Rodada

Data: 06 de setembro de 2020 (domingo)

Horário: 18h (de Brasília)

Estádio: São Januário – Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Auxiliares: Danilo Ricardo Simon (SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)

VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira (SP)

Público e Renda: Portões fechados

Cartões Amarelos: Não houve

Cartões Vermelhos: Não houve

Gol: Germán Cano (Vasco), aos 6 minutos do primeiro tempo (1-0)

Vasco: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Miranda, Marcelo Alves e Neto Borges; Andrey, Fellipe Bastos (Bruno César) e Martín Benítez (Bruno Gomes); Ygor (Cayo Tenório), Talles Magno (Carlinhos) e Germán Cano (Ribamar).

Técnico: Ramon Menezes

Athletico-PR: Santos; Erick, Lucas Halter (Lucho González), Pedro Henrique e Márcio Azevedo (Abner Vinícius); Richard (Alvarado), Christian e Léo Cittadini; Geuvânio, Fabinho (Pedrinho) e Bissoli (Bruno Leite).

Técnico: Eduardo Barros