Castan ativa o modo ‘sincerão’ e detalha o rebaixamento do Vasco em 2020

Capitão do Vasco da Gama, Leandro Castan revelou detalhes sobre a temporada de 2020, que culminou no 4º rebaixamento do Clube à Série B.

Leandro Castan
Leandro Castan (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF)

Em uma sincera entrevista a um podcast do portal Globo Esporte, o zagueiro e capitão do Vasco da Gama, Leandro Castan, detalhou o processo de rebaixamento do Gigante da Colina no Campeonato Brasileiro 2020, o quarto na história do Clube.

Inicialmente, Castan opinou que o rebaixamento cruzmaltino teve início ainda em 2019, quando Vanderlei Luxemburgo deixou o comando da equipe rumo ao Palmeiras e os jogadores estavam com salários atrasados há vários meses.

No entanto, o defensor não tirou sua própria responsabilidade de culpa, admitindo que estava muito mal fisicamente na temporada passada.

– Para falar de 2020, tem que começar antes da pandemia. Começou tudo errado naquele início quando perdemos o Vanderlei. A gente se reapresenta com meses e meses de salários atrasados, mas, antes de falar disso, quero colocar um ponto: acho que o principal culpado do meu ano ruim fui eu mesmo. Eu não coloco a culpa em ninguém. Chegou um momento do ano em que, fisicamente, eu morri, não conseguia mais jogar, não tinha mais força – revelou.

Complementando, o zagueiro disse que chegou a alertar o então presidente, Alexandre Campello, que, se nenhuma atitude fosse tomada para reverter o panorama financeiro do Clube, o rebaixamento, que já havia batido à porta em 2018 e 2019, dessa vez não teria escapatória.

– Lembro que, em fevereiro ou março, tivemos reuniões com Campello. Falei bem claramente para ele: ”Presidente, se a gente não mudar nesse ano aqui, vai dar ruim para a gente”. Porque em 2018 aconteceu isso, em 2019 a gente teve tempo de escapar. Quando a gente se reapresentou em 2020, com um monte de gente não querendo se reapresentar e uma confusão danada, senti que ia dar problema – explicou.

O caos financeiro vivido pelo Vasco, inclusive, fez Leandro Castan desanimar em relação à liderança que exercia sobre o elenco.

– Eu tinha sete meses de imagem de atraso e quatro na carteira. Quando a gente se reapresenta, foi o momento, falando fora de campo, onde passei a perder minha liderança dentro do Clube. Realmente me calei porque não me sentia mais líder daquele grupo e sentia que não tinha mais moral para falar alguma coisa com eles – disse.

No entanto, ainda acreditando na palavra da diretoria de que a situação seria resolvida em breve, Castan pediu aos jogadores, que não queriam se reapresentar após o período de recesso ocasionado pela pandemia enquanto pelo menos parte dos salários não fossem quitados, que deixassem a ideia de lado e mantivessem a programação normalmente. E foi atendido.

– É marcada a reapresentação. Tinha uma conversa de que não íamos nos reapresentar enquanto o Clube não pagasse. Foi o momento em que comprei a briga da diretoria. Falei para eles que, se não quisessem se reapresentar, eu não seria mais capitão do time. Mesmo a diretoria estando errada, acho que a gente tinha de voltar e treinar. Naquele momento, todo o grupo comprou a briga comigo e disse: ”Castan, a gente vai voltar por você”. E voltaram – detalhou.

Por fim, Leandro Castan destacou a retomada da confiança com o bom início do então técnico Ramon Menezes, mas que, após os salários voltarem a atrasar, o clima novamente foi ficando pesado e novamente o zagueiro se sentiu desprestigiado perante o elenco.

– A gente volta, faz acordo com o Clube, tem bom início com Ramon, começa a sonhar com coisas grandes finalmente. De repente, começa tudo a desandar de novo, o salário começa a atrasar de novo. Começo a sentir que todo mundo passou a me olhar assim: ”E aí, Castan?”. Senti que não tinha mais o que falar e para onde defender alguém.

Contratado pelo Vasco em agosto de 2018, Leandro Castan, atualmente com 34 anos, tem 110 jogos com a camisa cruzmaltina e dois gols marcados. Com ele em campo, foram 44 vitórias, 34 empates e 32 derrotas.

Leia mais sobreLeandro Castan
4 comentários
  • Alex - 7 de maio de 2021

    Cobrar uma atitude profissional, de uma pessoa que não está sendo paga para isso, só no mundo dos sonhos. Concordo e replico, quem aqui trabalharia de graça? A culpa da queda está na má gestão, atrasos salariais e contratação de jogadores que não servem nem para a série B. Nunca tinha visto um time tão ruim como ano passado. Mas agora é torcer, acreditar na recuperação. BORA VASCÃO!

    Responder
  • Diego - 7 de maio de 2021

    Eu falo isso desde o a ano passado. ( os jogadores não tem culpa desse rebaixamento! se eu fico 2 meses sem receber meu amigo me esquece taco fogo na empresa!) não existe se não pagar os cara não vão jogar simples assim… essa historia de vestir a camisa e jogar como se o mundo fosse acabar mesmo nao recebendo nada isso acabou já faz 40 anos… uma instituição do tamanho do Vasco não conseguir arcar com um salario desse valor é uma vergonha, olha aonde a familia mafiosa miranda largou o Vasco. acabou com o clube e vai levar 20 anos pra reestruturar se fizer tudo certo a partir de agora!!!

    Responder
  • Markin - 7 de maio de 2021

    O maior culpado pela queda do vasco foi o castan junto com campello nao merecia mais nem pisar em sao januario

    Responder
  • - 7 de maio de 2021

    Sem salário, sem trabalho. Simples assim.
    Qual amigo aqui, leitor desse site, trabalha de graça?

    Responder
Deixe sua opinião

Últimas notícias
22 de junho de 2021
Vasco apresenta time Adulto e Sub-20 de futsal para temporada 2021

O Vasco da Gama anunciou as equipes de futsal nas categorias Adulto e Sub-20 para a disputa da temporada 2021.

Retorno de MT teve trabalho psicológico do Vasco para conter ‘ímpeto’ do jogador

Jovem atleta do Vasco da Gama, o meia MT precisou de acompanhamento psicológico no processo de retorno aos gramados.

Cabo ganha ‘sobrevida’ no Vasco após vitória sobre o CRB e decida resultado a Pássaro

Técnico do Vasco da Gama, Marcelo Cabo estava pressionado no cargo devido aos maus resultados recentes, mas triunfo sobre o CRB aliviou.

21 de junho de 2021
Sócio do Vasco aciona STJ com pedido para que Leven Siano vire presidente do Clube

Ministro que recebeu o caso foi o mesmo que, em 2020, colocou sob júdice tanto o pleito do Vasco da Gama de 07 de novembro quanto do dia 14.

Vasco treina no CT do Almirante visando duelo contra o Cruzeiro; veja vídeo

Elenco do Vasco da Gama iniciou nesta segunda (21) a preparação para o jogo contra o Cruzeiro, quinta (24), às 21h30min, pela Série B.

Vasco começa arrecadação da campanha Mães da Favela Futebol Clube

O Vasco da Gama anunciou que o posto de coleta de alimentos começou a funcionar em São Januário nesta segunda-feira.

Vasco inicia venda de ingressos virtuais para jogo contra o Cruzeiro

Bilhete virtual para Cruzeiro x Vasco da Gama, pela 6ª rodada da Série B, custa R$ 10; partida acontece na quinta (24), às 21h30min.

Fluminense disputará duas partidas em São Januário; Vasco x Brusque muda de horário

O Fluminense mandará dois jogos em São Januário, o primeiro que vai motivar uma pequena alteração no horário de Vasco da Gama e Brusque.

Vasco entrega 4 mil livros doados pela torcida para bibliotecas comunitárias

O Vasco da Gama realizou entrega dos de livros para quatro instituições entre a Barreira do Vasco e a Cidade de Deus.

Vasco encara o América-MG pelas oitavas do Brasileiro A2; confira datas e horários

As Meninas da Colina terão pela frente o América-MG nas oitavas de final, com a vaga sendo decidida no estádio Nivaldo Pereira.

Veja mais notícias