Análise da atuação do Vasco contra o Bahia

Com Benítez apagado em campo, o Vasco da Gama produziu pouco diante do Bahia e não conseguiu sair com a vitória.

Luxemburgo conversando com jogadores durante parada técnica
Luxemburgo conversando com jogadores durante parada técnica (Foto: André Durão)

Entre as poucas certezas do Vasco na temporada que adentrou 2021, uma diz respeito à produção ofensiva: se Benítez vai mal, o time vai mal. Foi o que aconteceu no empate sem gols contra o Bahia, domingo, em São Januário.

O meia mostrou mais uma vez não estar 100% fisicamente e, diferentemente da grande atuação contra o Atlético-MG e do gol marcado diante do Palmeiras, não conseguiu compensar a dificuldade com a qualidade técnica. O resultado foi um time sem força e inofensivo em um contexto de necessidade de vencer para escapar da Série B.

Marcelo Alves é uma das poucas surpresas positivas no Vasco no Brasileirão. Com desarmes precisos e seguro nas bolas pelo alto, o zagueiro representou a força defensiva do time.

Detalhe: foram 19 minutos com um jogador a menos, após a expulsão de Leandro Castan. Esta qualidade individual e coletiva ajudou a garantir um ponto, que pode ser decisivo na manutenção do time na Série A.

Os dois extremos ajudam a explicar a atuação do Vasco. É como a clássica metáfora do copo meio cheio, meio vazio. O fato é que, independentemente de qualquer ponto de vista, houve pontos positivos e negativos.

Desde que retornou a São Januário, Benítez atuou em quatro partidas. Na primeira, entrou no segundo tempo. Foi preservado na rodada seguinte e, nas três seguintes, começou como titular. Acabou substituído em todas. Alcançou uma média de 65 minutos em campo, algo baixo para a importância dele ao time.

– O Benítez saiu…quando o cara tá parado muito tempo e volta, ele volta empolgado, foi bem contra o Coritiba, mas no terceiro e no quarto jogo começa a vir um pouco da perda física de ter parado muito tempo, que é o tal do ritmo do jogo. A gente acredita que no próximo jogo ele vai estar bem melhor. No jogo de hoje deu para ver que ele estava fora de ritmo – comentou Vanderlei Luxemburgo.

A marcação do Bahia, que por vezes adotou uma linha de cinco na defesa, contribuiu para anular as ações ofensivas de Benítez e do Vasco. Segundo o site Sofascore, por exemplo, o argentino não tentou nenhum drible. É sabido que Carlinhos, que entrou, é um meia com menos qualidade, mas pode, em situações durante o jogo, ajudar a confundir a marcação. Ou mesmo Juninho, que sabe partir para cima do adversário.

Antes da expulsão de Castan, o Vasco reclamou de um lance envolvendo Gregore. Ele deveria receber o vermelho por ter acertado chute em Benítez. Talvez com um homem a mais em campo, o time de Luxa poderia ter melhor sorte – só ameaçou em chutes de fora da área e em uma cabeçada de Léo Matos após escanteio. Mas o fato é que com um a menos, a equipe não se desarrumou. Conseguiu evitar ser pressionada na reta final da partida.

– Eu acho que deu certo. Saímos de campo com resultado, com menos um jogador e se você pegar a oportunidade que o Bahia teve de construir, teve contragolpe, um ou outro, mas nós estivemos bem postados. Sabíamos que o Bahia iria jogar fechado para sair com o empate e nós tentamos. O que não podíamos era ficar expostos, ir para dentro de qualquer maneira e tomar contragolpe e nós sofrermos uma derrota aqui o que seria muito ruim – finalizou Luxa.

Com 37 pontos, o Vasco é o 14º colocado. Tem dois a mais do que o Fortaleza, o primeiro do Z-4. Na quinta, tem o clássico diante do Flamengo.

Fonte: Globo Esporte

5 comentários
  • Lima - 1 de fevereiro de 2021

    Se não tem qualidade, põe em campo os caras que estão com vontade de jogar e correr. Põe o Pec no lugar do Talles, que infelizmente não tá rendendo faz um tempo e põe o Catatau que quer mostrar serviço, no lugar do Pikachu, ou seja, põe correria na frente contra os urubus, pois se o time se encolher atrás, vai ser presa fácil, se não der certo pelo menos tentou.

    Responder
  • Genivaldo Rebolo - 1 de fevereiro de 2021

    Benitez tb não é essa bola, Agpra esse Léo Gil é brincadeira, só joga pro lado e mal, e ainda não dá conta de correr.

    Responder
  • Vicente Otávio da Fonseca - 1 de fevereiro de 2021

    Espero que contra o Flamengo, o Luxemburgo adote o mesmo esquema que usou contra o Atlético mineiro. Agora, é preciso considerar que o Vasco perdeu, pelo menos, uns 3 pontos por causa do VAR e das péssimas atuações dos juízes. Ontem mesmo, a falta do tal gregorio contra o Benitez, não foi nem um pouquinho menos grosseira e perigosa do que a do Castan contra o goleiro do Bahia. Mas o VAR, associado ao juiz, entendeu que não poderia prejudicar o Bahia naquele momento e, sim, aguardaria a oportunidade para prejudicar o Vasco!

    Responder
  • Valdimar Medeiros - 1 de fevereiro de 2021

    Não é que produziu pouco, o time é isso mesmo. Deixe de sonhar. Contra os urubus ponha em campo 10 zagueiros.

    Responder
  • Tó Zé - 1 de fevereiro de 2021

    Como dito antes o problema do Vasco nunca foi os técnicos e sim os jogadores ruins que envergam a camisa do Vasco,time sem expressão,sem objetivos, até a imprensa fica triste da forma como o Vasco joga, não adianta alimentar esperanças o time está fazendo uma força para cair para a série B
    Nosso agradecimento aos dirigentes que tanto contribuiram.

    Responder
Deixe sua opinião

Últimas notícias
27 de novembro de 2021
Léo Jabá revela vontade de volta ao Vasco: ‘Para marcar meu nome na história’

De saída após de uma temporada negativa, o atacante Léo Jabá mostrou carinho pelo Vasco da Gama e espera voltar um dia.

Luxemburgo descarta interesse em Cano para o Cruzeiro

O técnico do Cruzeiro, Vanderlei Luxemburgo garantiu que o atacante do Vasco da Gama, Germán Cano, não está nos planos da Raposa.

Ex-Vasco, Rogério Corrêa viveu drama com a Covid-19 e a morte do pai

Campeão carioca em 2003 com o Vasco da Gama, Rogério Corrêa descobriu a morte do pai por Covid após ser extubado.

26 de novembro de 2021
Vasco tenta vitória na última rodada para amenizar vexame na Série B

Sem conquistar o acesso para à elite, Vasco da Gama faz último jogo da Série B neste domingo contra o Londrina.

Kauan Kelvin, do Sub-15, assina contrato de formação com o Vasco até 2024

O atacante Kauan Kelvin, da equipe Sub-15, assinou contrato de formação com o Vasco da Gama até novembro de 2024.

GB comenta classificação sobre o Flamengo e possibilidade de encarar o Fluminense

O atacante GB balançou as redes na vitória sobre o Flamengo que levou o Vasco da Gama à final do Campeonato Carioca Sub-17

Torcida aciona Caito Maia, que ‘passa’ missão de ajudar o Vasco para Carol e Camila

O ‘shark’ Caito Maia, fundador da Chilli Beans, garantiu confiança em Carol Paiffer e Camila Farani na busca de ajuda para o Vasco da Gama.

Morato deve ser emprestado novamente pelo Red Bull Bragantino

Possivelmente fora do Vasco da Gama, o atacante Morato está fora dos planos do Red Bull Bragantino e deve ser emprestado novamente.

Carol Paiffer se diz animada ao comentar sua ida a São Januário

Carol Paiffer falou sobre sua visita ao Estádio de Sâo Januário nesta sexta-feira, onde se reuniu com dirigentes do Vasco da Gama.

Carol Paiffer se reúne com dirigentes do Vasco em São Januário

Após se colocar à disposição para ajudar o Vasco da Gama, Carol Paiffer visitou São Januário para conhecer mais sobre o Clube.

Veja mais notícias