Alexandre Pássaro manifesta indignação contra arbitragem diante do Bragantino

O diretor executivo do Vasco da Gama, Alexandre Pássaro, criticou os critérios de Leandro Vuaden no jogo contra o Bragantino.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  21 de janeiro de 2021 às 00:54-  Atualizada em 21 de janeiro de 2021 às 00:54
Alexandre Pássaro em São Januário (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Não foi somente o resultado na derrota por 4 a 1 para o Bragantino que irritou a direção do Vasco. A atuação do árbitro Leandro Vuaden foi alvo de críticas após a partida. Depois da coletiva de Vanderlei Luxemburgo, o diretor executivo Alexandre Pássaro fez um pronunciamento, sem abrir para perguntas, e repudiou os critérios usados pela arbitragem nesta quarta-feira.

A falta que originou o segundo gol do Bragantino, e o lance do terceiro gol, em que o Vasco reclama de falta de Hurtado em Andrey, na origem da jogada, foram os lances citados. Na opinião de Pássaro, Vuaden usou critérios diferentes.

– Uma noite triste, estamos todos bem chateados com o resultado. Mas venho aqui em nome da diretoria do Vasco, dos atletas, do professor Vanderlei Luxemburgo, repudiar a atuação da arbitragem do Vuaden. Eu gostaria de entender como ele pode dar uma falta que originou o segundo gol do Bragantino, uma falta em que o cara cava uma bola por cima dos nossos jogadores, tromba com dois, e ele dá a falta. E como ele não dá a falta no Andrey no terceiro gol? – questionou Alexandre Pássaro.

Durante a transmissão da TV Globo, a comentarista de arbitragem, Nadine Bastos, concordou com a decisão de Leandro Vuaden. Pássaro, no entanto, questionou o fato de o árbitro sequer ter consultado o VAR para checar se houve falta em Andrey, no terceiro gol do Bragantino

– Não estamos justificando o resultado, o nosso momento e a nossa posição na tabela. Estamos exigindo que a arbitragem, comandada pelo Gaciba, tenha o mesmo nível de cobrança e profissionalismo que nos é exigido. Isso não tem acontecido. No terceiro gol ele nem foi ver o VAR. Esses lances foram exemplos de interpretações diferentes.

– O jogo não pode ser decidido assim, como tantos outros do campeonato. Não digo que há um complô contra o Vasco. Todos os clubes já foram prejudicados. Mas eu não posso me furtar de vir aqui e colocar nosso repúdio e indignação com o que aconteceu hoje. A gente sabe que ele (Vuaden) apita no estilo europeu, mas nós estamos no Brasil e não podemos ter critérios tão diferentes.

Na 16ª colocação, com 32 pontos, o Vasco pode voltar à zona de rebaixamento nesta quinta-feira, caso o Fortaleza pontue contra o Santos. O time carioca volta a campo no sábado, contra o Atlético-MG, em São Januário.

Fonte: Globo Esporte

Leia Mais Sobre