Suspeito de matar Valdiram é liberado e outros dois continuam presos

O terceiro suspeito de matar o ex-jogador do Vasco da Gama, Valdiram, foi liberado por falta de provas, os outros seguem presos.

Dois dos três homens presos no domingo (21) por suspeita de matar o ex-jogador Valdiram Caetano de Morais, de 36 anos, em São Paulo, continuam detidos. O terceiro suspeito foi ouvido e liberado por falta de provas de sua participação no assassinato do ex-atacante do Vasco.

O corpo de Valdiram foi encontrado com sinais de agressão na Rua Santa Eulália, em Santana, Zona Norte da capital, na Zona Norte de capital, na sexta-feira (19).

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), dois suspeitos estão presos temporariamente por 30 dias decisão da Justiça. Eles ficarão detidos na carceragem do 2º Distrito Policial (DP), Bom Retiro.

Os nomes dos suspeitos não foram divulgados. A investigação do caso para se saber o motivo do crime é feita pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil.

Segundo o Globoesporte.com, Valdiram lutava havia mais de dez anos contra o alcoolismo e o vício em outras drogas.

O corpo do ex-jogador foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) e liberado no domingo para a família após ser reconhecido por moradores de rua que conviviam com ele.

Ídolo do Vasco

Natural de Canhotinho, no interior de Pernambuco, o jogador foi revelado no CRB e se destacou no Vasco em 2006, atuando ao lado de Romário. Depois de sete gols durante a Copa do Brasil, o atacante passou a faltar em treinos e teve seu contrato rescindido em fevereiro de 2007.

Depois disso, passou por 18 clubes até 2011. A carreira de Valdiram não alavancou por problemas extracampo.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »