Ribamar esbanja otimismo por nova fase no Vasco após Copa América

Aos 22 anos, o atacante Ribamar espera recuperar seu espaço na equipe do Vasco da Gama após a parada da Copa América.

Contratado a pedido de Alberto Valentim, Ribamar ainda não teve uma oportunidade com o técnico Vanderlei Luxemburgo. Já de volta às atividades junto ao grupo do Vasco, o centroavante conversou com o LANCE! e esbanjou otimismo para uma nova fase após a parada da Copa América.

Aos 22 anos, Ribamar, ao elogiar o trabalho coletivo, contou que espera recuperar o seu espaço na equipe cruz-maltina - em 2019, foi titular em 20 dos 28 jogos pelo Vasco, com seis gols neste período.

- Trabalharei para isso (recuperar o espaço). São muitos jogos ainda até o final da temporada e cada partida do Brasileiro será encarada por todos nós como uma decisão. Essa mudança de postura necessária não era somente coletiva, mas também individual. O espaço existe, e o treinador é quem faz estas escolhas. Resta ao grupo fazer a sua parte para que ele tenha os atletas prontos para escalar com base naquilo que pensa pra equipe. Confio no meu trabalho, e dedicação não vai faltar para fazer uma grande intertemporada.

Ribamar não entra em campo desde o dia 28 de abril, quando saiu do banco na goleada sofrida para o Athletico-PR por 4 a 1, pelo Brasileiro. O técnico, na ocasião, era o interino Marcos Valadres. O atacante respondeu se já teve alguma conversa com Luxemburgo enquanto aguarda uma nova oportunidade:

- O professor (Vanderlei Luxemburgo) deixou claro que conta com o nosso grupo e que todos precisam estar preparados para ajudar a qualquer momento. Me mantenho focado e procuro aproveitar ao máximo cada trabalho para recuperar meu espaço. É isso que ele espera da gente. Esta pausa foi importante para descansarmos, e a intertemporada será fundamental para que possamos ajustar os pontos que precisamos para fazer um segundo semestre diferente pro clube e pra torcida.

Ribamar, atacante do Vasco

CONFIRA OUTRAS RESPOSTAS DE RIBAMAR:

LANCE!: Você surgiu bem jovem no Botafogo, já conseguindo a titularidade no primeiro momento. Isso lhe rendeu uma transferência para o München 1860. Acredita que essa rapidez no andamento da sua carreira pode ter te prejudicado na sua evolução?

- Não considero que isso tenha me prejudicado. Aprendi muita coisa cedo e tive experiências que me transformaram num ser humano diferente. Estas oportunidades nos trazem benefícios não só profissionais, como pessoais também. Vivi lá fora uma outra escola de futebol e isso com certeza me trouxe benefícios importantes. Mas é uma realidade de futebol completamente diferente da brasileira. Me mantenho focado e trabalhando forte para retomar meu melhor momento no futebol, buscando estar sempre em evolução e aproveitando todas as oportunidades que o futebol pode me proporcionar.

L! : Na base do Botafogo, você atuava como um atacante de mais mobilidade, porém nos profissionais, se tornou centroavante. É a posição que se sente mais à vontade?

- Todo atacante se sente bem fazendo gol, independente da posição que jogue no ataque. Nunca limitei os treinadores com relação a isso, pois tenho características para atuar pelos lados e por dentro. Acredito que meu porte físico tem favorecido a posição de último homem lá na frente. Estou mais forte do que era antes, mas não perdi minhas virtudes que me destacaram nos tempos de Botafogo.

L!: Mesmo com todas as dificuldades, o Vasco conseguiu duas vitórias consecutivas e deixou o Z4. O que o torcedor pode esperar do Ribamar e do time, neste segundo semestre?

- Precisamos voltar e manter esses bons resultados nas últimas partidas antes da parada pra Copa. Com certeza vão nos dar um clima bom na preparação e o torcedor por esperar um Vasco com mais força e raça, assim como um Ribamar pronto pra dar o seu melhor a cada oportunidade.

L!: Atualmente, o Vasco conta com você e com o Tiago Reis para o comando de ataque. Com isso, a diretoria segue no mercado atrás de reforços. Como você analisa essa situação?

- Esta é uma análise da nossa diretoria, e o trabalho deles é estar atento ao mercado. Não podemos nos preocupar com isso, pois vai tirar o nosso foco no campo. Precisamos ajudar o Vasco da melhor maneira possível e com novas oportunidades nós teremos esta chance de mostrar nosso valor.

L!: A gente sabe que não jogar com frequência acaba desmotivando um pouco. Quais são os seus planos para o Vasco, uma vez que possui contrato até dezembro de 2020? A ideia é conquistar o seu espaço e ser titular do time?

- Enquanto eu vestir essa camisa, focarei totalmente os meus esforços no Vasco. Vestir as cores do clube já é uma grande motivação para qualquer jogador profissional, e dou muito valor a isso. A ideia é, sim, trabalhar com empenho para mostrar que estou confiante e preparado para voltar a marcar e comemorar junto com o torcedor vascaíno. Estou à disposição do clube e da comissão técnica, me sentindo bem fisicamente e na expectativa de que nosso segundo semestre seja especial pra todos nós. Este grupo merece!

Leia mais sobre: Ribamar

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »