Mussa faz exigências a Campello em convocação da Junta Deliberativa

O presidente da assembleia geral do Vasco, Faues Jassus, fez exigências a Campello em convocação para a Junta Deliberativa.

O pontapé inicial no processo eleitoral do Vasco foi dado, ainda que temas importantes não estejam claros. Presidente da assembleia geral, Faues Jassus convocou a junta deliberativa para a próxima quarta-feira (10) com o objetivo de auxiliá-lo no trabalho de revisão, apuração e identificação dos sócios aptos ao pleito. Ocorre, porém, que há interpretações distintas em relação ao referendo da proposta de eleições diretas.

Aprovada no Conselho Deliberativo em dezembro do ano passado, ela necessita da chancela dos associados em assembleia geral extraordinária para ser aplicada no pleito do fim do ano.

O grande ponto de divergência se dá na forma como ela será votada. Há correntes que defendem que a proposta das diretas seja inserida dentro do projeto de reforma do estatuto, num voto único. Há outras, porém, que querem os temas em votação separada.

Portanto, um dos grandes desafios da junta deliberativa será definir esta questão, sendo que os integrantes delas são justamente os expoentes destas interpretações distintas.

Quem forma a junta deliberativa?

Formam a junta deliberativa os presidentes dos poderes do Vasco: Administrativo (Alexandre Campello), Deliberativo (Roberto Monteiro), Fiscal (Edmilson Valentim), Beneméritos (Silvio Godói) e Assembleia Geral (Faues Jassus).

Mussa faz exigências a Campello em convocação

Documento faz exigências a Campello

Na convocação da junta deliberativa, Faues Jassus fez exigências claras ao presidente Alexandre Campello, tais como: lista do cadastro atualizado de todos os sócios estatutários (adimplentes, inadimplentes, recadastrados e não-recadastrados) com a obrigatoriedade de se ter nomes completos, CPFs, categorias sociais, números de matrículas, datas de admissão, datas de nascimento, nacionalidades, endereços completos, CEP, comprovação das inscrições (seja por fichas físicas ou por informações do sistema) dos sócios que ingressaram no quadro societário de 20 de janeiro de 2018 até a presente data, toda a movimentação financeira com os respectivos comprovantes de pagamento das joias e das taxas de transferência e mensalidades, quando for o caso.

Por fim, ainda salienta: "a negativa e/ou omissão da entrega dos documentos poderá inviabilizar o trabalho da junta deliberativa, ocasionando a responsabilidade na forma do estatuto".

Leia mais sobre: Eleição, Política

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »