Entrevista coletiva de Abel Braga após o jogo contra o Boavista

O técnico do Vasco da Gama, Abel Braga, analisou o desempenho do vasco da Gama e reconheceu a persistência do time.

Após a vitória do Vasco por 1 a 0 sobre o Boavista, em Cariacica, em jogo válido pela terceira rodada da Taça Guanabara, o técnico Abel Braga falou com a imprensa. No fim da partida, ele foi vaiado e xingado pelos torcedores. Sobre as vaias, o técnico afirmou: "Problema zero".

- Nós vamos continuar trabalhando. A torcida me conhece bem. O torcedor é soberano. Eles vieram incentivar em um jogo quase embaixo da água. Tem jogo que eles não gostam. Problema zero. Eu gosto dessa torcida porque quando joguei aqui, com essa camisa, a minha alma ficava lá. Estou tentando fazer isso com esse time. E hoje teve um pouquinho disso. Eu tive essa relação com o torcedor como jogador e espero ter como treinador.

O treinador reconheceu que a atuação não foi como esperavam, mas reconheceu a persistência do time.

- Não foi do jeito que gostaríamos. Achamos que tínhamos que jogar melhor. Tivemos oportunidades no primeiro tempo e não fizemos. Fizemos no segundo. Isso prova que a equipe não desistiu. Quem fez a assistência naquele momento foi o segundo volante, Ribamar puxou a bola e o Cano fez o que esperamos dele. Para nós foi muito bom. Precisávamos da vitória.

Abel Braga durante o jogo contra o Boavista

Confira outros temas abordados na coletiva:

Atacantes

- Nós já começamos o jogo com três atacantes. O jogador que participou dos momentos ofensivos mais importantes foi o Marrony. Nosso artilheiro, o Cano, estava esperando a oportunidade. Quando surgiu, ele estava pronto para fazer o gol. Tem hora que você não precisa jogar com quatro atacantes, precisa é fazer a bola chegar lá. Acho que isso já merecia ter acontecido no primeiro tempo.

Cano

- Ele ainda está sofrendo um pouco. Hoje, acho que nossa transição melhorou um pouco. Mas está faltando melhorar no último terço. Enquanto não melhorar, ele sofre um pouco. Mas isso vem com o tempo. O importante hoje era vencer. Conseguimos. Mudou um pouquinho a sorte. Também precisamos dela. Temos um jogo na quinta, depois pegamos o Botafogo e depois um grande teste, que será o jogo contra o Oriente Petroleiro, pela Sul-Americana.

Desabafo por críticas após declaração no clássico

Até bom eu ter essa chance. A matéria foi bem escrita, mas o texto foi colocado de uma forma maldosa. Eu me referi aos 30 minutos, com uma equipe descaraterizada, sem nenhum treinamento, entrosamento, contra uma equipe que ganhou tudo no ano passado. Foi só isso. Não gostei do resultado, não gostei de ter perdido para o Flamengo.

Mas adorei os 30 minutos e volto a repetir isso. Se as pessoas entenderam de forma errada, não tenho culpa e não posso fazer nada. Por isso que cada vez que eu falar vou responder menos palavras, assim ninguém me perturbar. Quando o Abel fala qualquer coisa e é o caos. Lamentavelmente. Mas acho que ficou esclarecido. Me referi aos primeiros 30 minutos. Quer que eu repita o termo? Amassamos nos primeiros 30 minutos, depois não. Hoje, ganhar no último minuto foi lindo.

Próxima partida

- Vou pensar em quinta-feira. Vai jogar essa equipe, há tempo hábil de recuperação. Na terça pos caras já estarão inteiros. Depois vamos pensar.

Jovens jogadores

- Coloquei (no segundo tempo) pra dizer que temos confiança. O Juninho mereceu iniciar pelo ótimo jogo que fez (contra o Flamengo). O Pec não foi muito bem nos dois primeiros jogos. Mas o Juninho sentiu um pequeno desconforto. O que é mais do que natural. No jogo passado ele estava no habitat dele, com os garotos do sub-20. Hoje não, foi um jogo diferente. Não vou julgá-lo, nem garantir que está escalado pelo jogo de hoje. Não é dessa maneira que vamos lidar com os garotos. Tanto que o Pec não vinha bem e hoje deu uma assistência incrível. Estou contente com eles.

Vinícius e a garotada

Ele é atrevido. Jogador que joga pelo lado de campo tem que ser assim. Ele recebeu uma bola com o Wellington Silva bem encostado, e ele deu de letra duas vezes, uma para o Henrique e outra para o Pec. Primeiro jogo com essa equipe. Não é normal.

O time tinha que atacar e ele criou as situações que criou. Isso prova que o Vasco tem uma base muito boa, que está ajudando bastante. Nós vamos ter que apostar. Vamos analisar bem o próximo jogo, mas a equipe vai ser recheada de jogadores da casa, não pode ser diferente. Eles estão querendo. E quando o cara quer, o maior prazer pessoal de cada um é levar o nome do clube. O trabalho vai continuar com tranquilidade e seriedade. Eu acredito muito que vem coisa boa.

Leia mais sobre: Vasco x Boavista, Abel Braga

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »