Declarações de Campello, VPs e do diretor do Grupo GPI na coletiva em SJ

Confira as declarações de Alexandre Campello Bruno Maia e Diego Carvalho na entrevista coletiva em São Januário.

Campello: "Estamos firmando um contrato com o Grupo GPI, que vai passar a administrar a Escola Vasco da Gama, que já tinha a utilização de uma plataforma, mas que a partir de agora teremos uma relação diferente, onde eles assumem por completo essa administração."

Campello: "Já nesse jogo com o Bahia, para trazer a torcida de volta, fizemos promoção de ingressos com preços bem acessíveis, associado a um movimento de trazer as organizadas de volta ao estádio com suas bandeiras e faixas, fazendo aproximação com o Gepe".

Campello: "Estamos organizando um cadastro de cada um destes participantes de torcida. Seremos um parceiro do Gepe no sentido de colocar ordem nessa relação. Temos uma série de outras ações de marketing, como lançamento da terceira camisa".

Campello: "Outra coisa muito importante é o recadastramento dos sócios e a anistia dos sócios estatutários que por algum motivo se tornaram inadimplentes em algum momento. Essa foi uma promessa que fizemos na campanha e estamos colocando em prática".

Além de Campello, Diego e Bruno, estão presentes na mesa o VP Social, Marcos Vinícius Macedo, e o diretor do Grupo GPI, Neto Menezes.

Diego Carvalho, VP de Comunicação: "A anistia poderá ser feita de duas maneiras: presencialmente, na sede do clube, ou via internet, através do site do clube. Presencialmente os horários vão ser de 9h a 16h, de segunda a sexta, e sábado de 9h a 12h".

Diego: "Sócio vai pagar uma mensalidade, a do mês vigente, e volta ao quadro social do Vasco. Neste mesmo ato vai fazer o recadastramento, enviando a documentação necessária, e a partir daí retoma a vida associativa e política do Vasco".

Diego: "Sócio geral não paga o retroativo por causa do estatuto. Os patrimoniais podem pagar o passado e voltar ao quadro. Poderá ser parcelado em 12 vezes".

Diego: "Nossa ideia é começar essa anistia na segunda-feira. Em paralelo a isso, teremos uma empresa tentando contato com todos os sócios que temos cadastro. Algo em torno de 111 mil que já foram sócios e estão inadimplentes. Vamos tentar contactar todos".

Diego: "Nossa ideia é tentar reativar o maior número de sócios possível, tentar essa reaproximação. É algo que as pessoas vem pedindo."

Diego: "A pessoa que vier ao clube tem que trazer identidade, CPF e comprovante de residência. Nesse ato faz a anistia e o recadastramento. O sócio que tiver em dia e não tiver feito o recadastramento tem que vir ao clube se recadastrar ou pela internet".

Diego: "O recadastramento do sócio pode ser feito via e-mail ou pelo correio. Qualquer dúvida, nós vamos disponibilizar um número do WhatsApp para ajudar."

Campello: "Nas próximas três partidas em São Januário, haverá tendas, onde vamos receber o torcedor que quer a anistia. Antes das partidas eles terão a possibilidade de fazer esse recadastramento e receber a anistia".

Diego: "Vamos ter um ponto na Área VIP e dois computadores na arquibancada para atender estes sócios. Quem quiser já neste jogo contra o Bahia, teremos pessoas explicando onde vai acontecer".

Diego: "Nos dias de jogos, só vamos aceitar pagamento em cartão de crédito e débito".

Diego: "O número do WhatsApp será (21) 2203-8350. Qualquer dúvida podem ligar para a secretaria do clube também."

Bruno: "Estamos falando de sócios do quadro que participam efetivamente da eleição. Uma das grandes demandas que recebemos. O sócio-torcedor tem característica diferente, ligada ao futebol, ao desempenho dentro de campo."

Bruno: "É um gesto de abertura para aproximar e facilitar ao máximo a presença de quem quer estar aqui dentro. O que podemos fazer para que o torcedor que quer vir. Queremos os vascaínos aqui de volta, e o projeto do Diego é pautado neste desafio."

Campello assina os termos que regulam a anistia e o recadastramento.

Marcos Vinícius Macedo, VP Social: "Esta é uma sexta-feira 13 diferente, de boas notícias. O projeto do GPI foi amplamente debatido. Será de grande importância para um melhor atendimento às necessidades das crianças".

Macedo: "Essa consolidação da parceria traz muitos benefícios ao clube: reduz os custos diretos. É um modelo de gestão moderno, consagrado. Não haverá mais a necessidade de se fazer investimento constante em equipamentos. Haverá investimento na revitalização".

Macedo: "As condições de trabalho serão bem adequadas. Nós teremos o acompanhamento da performance para que a gente possa ver de perto como anda o colégio e a performance dos alunos e dos professores".

Macedo: "É um resgate do nosso DNA social, de inclusão, que vem da história do clube".

Jorge Menezes Neto, diretor geral do GPI: "Ainda vivemos momentos de luta, politicamente ainda é um clube muito movimentado. Tenho visto o presidente tomar um norte muito positivo para o clube. Buscando especialistas para fazer o que sabem fazer".

Neto: "O que queremos é acrescentar essa linda história. O GPI está no clube desde 2015, num modelo menor de parceria. Agora vamos ampliar. Traremos parceiros que já são aliados do GPI. Temos parceria com Google, Cultura Inglesa. Todos estarão disponíveis".

Neto: "Desde que entrei no Vasco, em 2015, tive dificuldade para colocar minha visão. Precisamos pensar nos meninos que vão se formar e não terão espaço no elenco. Precisamos sonhar com alunos passando no Enem".

Bruno Maia: "O presidente sempre frisa a importância de cortar custos, otimizar gastos, e o projeto social sempre foi entendido como um investimento, porque é a história do clube".

Bruno: "Essa participação deles (GPI) reflete diretamente no nosso fluxo de caixa".

Campello e Neto exibem a camisa com a marca do GPI.

Campello: "A partir de 1º de agosto, a cada dia vamos trazer um pouco do que temos feito na gestão, as mudanças que temos feito, um pouco do nosso planejamento estratégico para esse triênio 2018-2020".

Bruno Maia, VP de Marketing, inicia exposição de projeto para comemorar os 120 anos do Vasco em agosto.

Bruno: "Vamos ter pequenas ações, comunicadas diariamente, dessa conquista que vem sendo feita desde o início de ano. Estamos trabalhando em silêncio, tentando organizar as coisas".

Bruno: "Estamos num ano de corte de gastos, economias, mas essa data vai ser comemorada. Pegamos algumas sugestões da torcida".

Bruno apresenta projetos: - No Dia dos Pais, haverá o "Jogue na Colina", com participação de ídolos. Será possível comprar uma vaga nos times que disputarão o torneio em Sâo Januário, com toda a experiência de um dia de jogo de futebol. 

Nesse projeto, o torcedor poderá escolher a camisa e a posição para ocupar no time. Bruno: - Esperamos proporcionar um dia inesquecível para o torcedor.

Bruno: - Na entrada da arquibancada haverá painéis para mudar a experiência, com homenagem a alguns dos ídolos do clube.

Bruno: - Em agosto haverá o lançamento de um terceiro uniforme, que já foi aprovado com a Diadora. Houve algumas versões na internet, mas não eram verdadeiras.

Macedo: - Em relação ao colégio, o modelo de gestão interna passa para o GPI. Reduz tremendamente nossos riscos.

Campello: - O Vasco tinha custo com funcionarios e material. Era em torno de R$ 3 milhões anuais. No ano que vem, os professores passarão a ser geridos pelo GPI.

Neto: - O GPI vai passar o segundo semestre nessa transição e vamos conhecer os profissionais. Queremos ficar com o máximo possível.

Diego sobre sócios da urna 7: - Para esses casos colocamos uma trava no sistema. Eles só podem pedir anistia presenciamente e em São Januário. Identificamos 663 inadimplentes.

Diegos: - Estes sócios (da urna 7) precisarão trazer CPF, identidade, comprovante de residência e comprovação da joia que pagou para virar sócio.

Campello sobre aproximação com o Gepe: - Estamos tentando melhorar a experiência do torcedor aqui dentro, para que tenha mais segurança, evitando os episódios que temos visto por aí. Acho que faltava essa proximidade com o batalhão.

Campello sobre o clássico com o Fluminense: - Tivemos um clássico com o Botafogo e transcorreu dentro da normalidade. Essa interação entre o clube e o Gepe só pode ser saudável e melhorar a segurança.

Bruno sobre terceiro uniforme: - A princípio, não devemos fazer um lançamento. Deve ser feito como foi com a primeira camisa. Mas deve acontecer passo a passo, revelando detalhes da camisa.

Bruno sobre reformas: - Vêm de um contrato com a Ambev, que nos permite fazer algumas melhorias em São Januário. Tínhamos um crédito de um ano anterior, enquanto ajustamos o contrato de 2018/2019.

Bruno: - Pegamos parte do projeto que já existia, mais cenográfico que estrutural. As mudanças estruturais já estão planejadas e vão ser feitas no fim do ano, quando temos uma janela um pouco maior.

Bruno: - Serão mudanças de fachada, de experiência visual. Vão deixar São Januário muito mais agradável, mais bonito. Estrutural deve ter algo feito em agosto, envolvendo banheiros.

Bruno: - Temos um registro muito grande sócios inadimplentes que preciamos entrar em contato um a um para saber se ainda estão vivos. Vamos atrás de todos.

Campello: - A ideia é que as torcidas organizadas fiquem na parte curva do estádio, entre a área VIP e a reta da lateral. Colocando uma divisória a exemplo do que acontece na área VIP. E que o ingresso dos torcedores aconteça por um só lugar.

Campello: - A ideia é que só entrem nesta área (das organizadas) aqueles que estiverem cadastrados. Isso, a meu ver, irá forçar com que as pessoas levem seus documentos, para que saibamos se ela está em condições de ir aos jogos ou impedida.

Campello: - Estamos vindo de um trabalho de intertemporada bastante produtivo. Estão chegando alguns reforços, mas a base é a mesma. Houve tempo para que fosse feito um bom trabalho.

Campello sobre a marca do GPI na camisa: - A ideia é que o contrato seja bastante longo.

Campello, sobre Maxi López: - Temos conversado com alguns reforços, estamos em busca. Existem dois nomes caminhando, mas até o momento não existe nada acertado.

Leia mais sobre: Alexandre Campello

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »