Confira os números de Vasco e Cruzeiro antes de jogo decisivo

Vasco da Gama e Cruzeiro se enfrentarão nesta quarta-feira, em São Januário, pelo Grupo 5 da Libertadores.

Vasco e Cruzeiro fazem um duelo decisivo na noite desta quarta-feira, às 21h45, em São Januário, pelo Grupo 5 da Libertadores. O time carioca precisa de uma vitória para seguir sonhando com uma chance de se classificar às oitavas de final. Já o clube mineiro dará um grande passo para a conquista da vaga se sair com os três pontos do Rio de Janeiro. No meio disso tudo, tem a equipe do Espião Estatístico para mostrar em números como os adversários chegam ao confronto.

Em 25 jogos na temporada, o Vasco venceu 12, empatou cinco e perdeu oito (55% de aproveitamento), com 42 gols marcados (média de 1,68 por partida) e 35 sofridos (média de 1,4 por partida). Como mandante, esses números sobem um pouco: sete vitórias, dois empates e quatro derrotas (59% de aproveitamento).

O jogo aéreo tem sido a maior arma do time de São Januário no ataque: 16 gols nasceram assim em 2018 (38%). O destaque individual é Yago Pikachu, que assumiu de vez o papel no meio de campo do técnico Zé Ricardo. Em 21 partidas, marcou oito gols (é o artilheiro do Vasco no ano) e deu uma assistência, com participação direta em 21% dos tentos vascaínos.

O Cruzeiro tem um aproveitamento no ano bem superior: 23 jogos, 14 vitórias, cinco empates e quatro derrotas (68% de aproveitamento), com 37 gols marcados (média de 1,61 por partida) e 12 sofridos (média de 0,52 por partida). Como visitante, foram 11 jogos, quatro vitórias, quatro empates e três derrotas (48% de aproveitamento).

O destaque da Raposa não poderia ser outro: Thiago Neves. Em 18 jogos, o meia tem sete gols (artilheiro do clube em 2018) e três assistências, com participação direta em 27% dos gols da equipe comandada por Mano Menezes.

Duelo dos goleiros

Ídolo dos vascaínos, Martín Silva já teve 14 pênaltis cobrados contra ele no ano. Apenas oito balançaram a rede, enquanto os outros seis foram defendidos pelo uruguaio. Foram 28 gols sofridos em 21 partidas e seis jogos sem sofrer gol.

Já Fábio, um dos maiores nomes da história do Cruzeiro, não pôde mostrar seu valor em pênaltis na temporada. Mas nem precisa. Em 18 jogos, foram apenas seis gols sofridos, e em 14 partidas ele não foi vazado.

Pela necessidade dos dois times, dá para se esperar um jogo emocionante em São Januário. E se depender destes dois goleiros, os atacantes vão sofrer para conseguir balançar a rede.

Leia mais sobre: Vasco x Cruzeiro, Libertadores

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »