Bruno Silva acusa gerente de futebol do Vasco de assédio moral

Na ação trabalhista cita que o gerente de futebol, André Souza, teria tentado convencer Bruno Silva a aceitar um empréstimo.

No mesmo processo em que conseguiu a rescisão do contrato com o Vasco na Justiça nas últimas semanas, Bruno Silva, que cobra R$ 712.639,99 de atrasados do clube, fez uma grave acusação de assédio moral contra o supervisor de futebol André Souza. No documento, ao qual o LANCE! teve acesso, o advogado do jogador informou ao juiz sobre o caso, no qual o dirigente teria enviado um áudio de aproximadamente 15 minutos ao atleta, admitindo que Bruno Silva ficaria sem receber salários caso permanecesse no Cruz-Maltino, e que teria que acionar a Justiça para receber os direitos, após não ser mais aproveitado na equipe.

Na ação que deu a rescisão a Bruno Silva, o jogador diz ter três meses de atrasos salariais, além da falta de recolhimento de FGTS desde novembro de 2018. A defesa do atleta, atual jogador do Guarani, contesta também o afastamento pouco depois da chegada de Vanderlei Luxemburgo. O volante não recebeu bem a notícia de que treinaria longe do grupo. Além de querer atuar pelo Vasco, ele já tinha acertado a escola que o filho estudaria, além de outras questões pessoais da vida no Rio de Janeiro.

André teria dito que o atleta seria "encostado" da equipe principal para tentar convencer Bruno Silva de uma transferência por empréstimo. Diferentes trechos de áudios constam no processo o que a defesa entende como assédio moral. O dirigente fala que o jogador treinaria em turnos diferentes e ficaria sem oportunidades com o resto dos companheiros, recebendo, inclusive, uma remuneração menor do que recebe atualmente.

O LANCE! transcreve, a seguir, toda a acusação de Bruno Silva contra o dirigente do Vasco, presente nos documentos do processo que corre há duas semanas no Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (TRT-1). Em termos jurídicos, "reclamante" é o jogador e "reclamada" é o clube.

Bruno Silva, ex-volante do Vasco

Confira a transcrição áudios:

"Você tem todo o direito de ficar no Vasco até dezembro (de 2019). Só que tu vai treinar no "contraturno", vai se "descondicionar" fisicamente, vai parar de ser visto pelo mercado, vai ficar 7, 8 meses parado e quando for buscar algo no início do ano, vai ser outro processo na carreira...".

"Aqui a gente tá com essa situação de salário atrasado - não vai se resolver, você sabe disso, não vai se resolver da noite para o dia isso, vai persistir, você tem família, tem filho, tem uma galera por trás de você ..."

"Vai ser uma situação que vai se estender, teu contrato vai terminar, tu não vai ter recebido, óbvio que tu vai ter que buscar na justiça para receber isso, porque teu contrato terminou, o clube não te paga, vai ter que entrar na justiça para receber. É claro isso! Entendeu? Aí, que que vai acontecer? Tu vai perder os honorários advocatícios, vai ter perdido 7, 8 meses aqui, treinando a parte, entendeu? Eu não sei se financeiramente compensa essa depreciação que vai ser para você..."

"Desses 7 meses de salário, o Vasco vai te pagar 3, 4 salários, vão ficar 3 pra trás, vai ficar 13º pra trás, entendeu? E depois tu vai ter que buscar na justiça para buscar esse valor. É natural isso!"

Procurado pelo L!, o Vasco enviou a seguinte nota: "O Club de Regatas Vasco da Gama informa que, atendendo orientação de seu Departamento Jurídico, só irá se pronunciar oficialmente sobre este caso nos autos do processo, em respeito ao Judiciário e de modo a não prejudicar sua estratégia de defesa".

Bruno Silva renovou o vínculo com o Cruz-Maltino até o fim de 2019 no dia 26 de abril deste ano, em negociação tocada por Alexandre Faria, que foi demitido em 5 de maio. O jogador estava treinando separado desde o fim do mês passado. A ideia do clube era emprestá-lo. A renovação chegou a ficar estagnada após a saída de Alberto Valentim, mas acabou se concretizando.

Em sete jogos disputados em 2019, Bruno Silva foi titular em seis deles. Ele era um dos homens de confiança de Valentim. Depois da final da Taça Rio contra o Flamengo, ele só voltou a entrar em campo em duas oportunidades. Primeiro, em 7 de abril, contra o Bangu. Depois, contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro, quando atuou os 90 minutos. Em 2018, o jogador atuou em 15 partidas e começou jogando em 13 delas.

Leia mais sobre: Bruno Silva

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »