Basquete: Alberto Bial fala sobre novo time e rivalidade com o Flamengo

O técnico Alberto Bial projeta duelo contra o Flamengo e deu detalhes do novo time de basquete do Vasco da Gama.

Técnico do Basquete Cearense por seis anos, Alberto Bial assumiu como comandante do Vasco da Gama oficialmente em uma apresentação nesta terça-feira com a presença do presidente do clube, Alexandre Campello, e outros membros de sua nova comissão técnica. Além de falar sobre a alegria de retornar ao clube onde esteve no fim da década de 90 e ao Rio de Janeiro e projetar o elenco que defenderá o Cruz-Maltino no NBB 11, ele comentou sobre a rivalidade com o Flamengo que, recentemente, anunciou Gustavo De Conti, campeão pelo Paulistano na última edição do torneio nacional.

- Gustavinho é o melhor técnico do Brasil, foi muito bem contratado pelo Flamengo e vejo um potencial muito grande nesse rapaz. Essa rivalidade é o que move o esporte. Todo jogo entre Vasco da Gama e Flamengo é um atrativo, entretenimento, grande momento da cidade. É como na NBA quando joga New York e Lakers, e agora Golden State Warriors e Cleveland. Então essa rivalidade é gostosa, bacana, e vai ser muito gostoso voltar a jogar esse jogo que vou ter o prazer de participar. Nada melhor que ter grandes competidores e grandes rivais para poder se superar a cada vez mais. Independentemente se eles têm mais dinheiro, investimentos, vamos competir com garra – comentou Bial.

Além disso, Bial deu mais detalhes sobre o elenco. Segundo ele, será um time reformulado:

- Nenhum jogador da última temporada provavelmente vai continuar. Estamos fazendo um time todo novo. A gente não pode projetar e prometer grandes conquistas num primeiro momento, temos que saber dar passo a passo. Temos uma responsabilidade, esse gosto de fazer basquetebol, com a imponência de um clube como o Vasco, é uma satisfação muito grande. As escolhas dos jogadores são muito criteriosas, ficamos até meia-noite ontem (segunda) na casa do Fernando conversando. Não é só talento, é caráter e a forma como ele entende o clube – contou.

Bial falou ainda que irá atrás de dois nomes do Basquete Cearense – conforme apurado pelo GloboEsporte.com, provavelmente Leozão e Davi Rosseto – e de três estrangeiros. Um deles, aliás, estaria quase fechado com o Cruz-Maltino.

O novo comandante foi campeão Carioca com o Vasco em 1997 e campeão Sul-Americano em 1998, dando início à uma época vitoriosa no Cruz-Maltino. Tem raízes no clube, 65 anos e assinou por uma temporada. Ou seja, ele foi um dos técnicos que deu o pontapé na mais vitoriosa geração do basquetebol vascaíno. E o novo comandante quer implantar sua filosofia na equipe.

- O que pretendemos nesse resgate não é um novo 1997. O basquete mudou totalmente de 98 para cá. Vamos tentar trazer jovens promissores e mesclar jovens, mas, principalmente, fazer com que os jogadores entendam que um depende do outro. O técnico fica preocupado para que os jogadores tenham condições de evoluir seu jogo. Que todos saibam sua função. E dentro disso ter uma equipe que possa competir no NBB, que é uma competição dura, difícil.

Bial disse crer, inclusive, que o NBB esteja atrás somente da NBA nas Américas.

- As equipes atingiram um nível que hoje na América Latina, tira a NBA, é a melhor competição de basquete, o México e Canadá ficaram para trás, a Venezuela também, Argentina, eles estão por fora. O NBB é muito superior, então temos que preparar muito bem – comentou.

Após o fim do NBB 10, o futuro do projeto vascaíno foi colocado em xeque. Com dificuldades financeiras e vivendo uma crise política, o Cruz-Maltino demorou para quitar o salário dos atletas e ainda tem pendências com alguns jogadores das duas últimas temporadas. Mas tudo vai seguir adiante, e Bial não se mostrou preocupado com a questão salarial.

- Minha preocupação maior é de reerguer e fazer com que jogadores e instituição resgatem o Vasco da Gama. É claro que precisamos que tudo funcione. Mas é muito mais o lance da energia. Essa energia que rola existe há 120 anos, não há 120 dias. Se houve 12 meses que não se conseguiu fazer algo no setor financeiro, em alguma área que não foi muito bem, são tropeços da vida. O que nos move é a energia. Eu estou aqui como uma célula que foi convidada, isso aqui é muito maior que eu. Tudo tem seu tempo.

Agora, o Vasco busca patrocinadores para montar o seu elenco. Caso tenha sucesso nas certidões negativas de débito, pode fechar com a Tim. Se não conseguir buscar patrocinadores privados, o grupo formado terá investimento bem menor que os R$ 8 milhões dessa temporada, quando chegaram reforços de primeiro nível mas a equipe não correspondeu, caindo nas oitavas de final para o Bauru por 3 a 1.

- Algumas conversas estão sendo feitas, temos uma busca por patrocínio e esperamos que até o início da competição fechemos tudo – concluiu o presidente Alexandre Campello.

Leia mais sobre: Basquete

Comentários

Últimas notícias

Reforços do Vasco para 2019

Veja mais notícias »