João Pedro dá conselhos e é referência dos goleiros sub-10, sub-11 e sub-12

Hoje no profissional, João Pedro deu conselhos para Victor Costa, Gabriel Caldeira e João Lecce, goleiros das categorias iniciais.

O ano foi mágico para o Vasco da Gama no quesito formação de goleiros. O trabalho de verticalização de treinamentos iniciado no passado trouxe bons frutos para o Gigante da Colina na temporada. Os resultados positivos puderam ser vistos em todas as categorias, incluindo a profissional, que carimbou o passaporte para a Taça Libertadores possuindo no elenco três dos quatro arqueiros formados em casa.

Um desses três não chegou a entrar em campo no principal, porém brilhou defendendo a meta do sub-20 ao longo de 2017. As excepcionais atuações durante a Copa São Paulo, a Copa do Brasil e o Carioca fizeram João Pedro subir de status e se tornar uma referência no clube para os mais jovens. É ele a grande inspiração de Victor Costa (sub-10), Gabriel Caldeira (sub-11) e João Lecce (sub-12).

Considerado um dos goleiros mais promissores do país em sua faixa etária, João Pedro deu uma pausa nas férias na última semana para fazer a alegria dos três paredões mirins em São Januário. O hoje terceiro goleiro do time profissional distribuiu conselhos, respondeu perguntas e bateu bola com os pequenos. Agarrar a chance num dos principais clubes do mundo foi a principal dica dada pelo paredão da Geração 98.

- Foi um dia especial. Voltei no tempo e lembrei do que passei para chegar no Vasco. Quando tinha a idade deles, eu não jogava aqui, mas me dediquei para ser visto e hoje estou vivendo um momento incrível, algo que sempre quis viver. Disse para agarrarem a oportunidade de representar um grande clube, muitos gostariam de estar no Vasco. São moleques de talento e que terão um futuro brilhante pela frente se mantiverem o mesmo foco - afirmou João Pedro.

Os elogios de João Pedro para as jovens promessas cruzmaltinas não são em vão. Isso porque os três jovens arqueiros encerraram a temporada como melhores do Rio de Janeiro em suas respectivas categorias. Victor Costa, do sub-10, conquistou a "luva de ouro" no Festbolin e no Torneio Integração. Gabriel Caldeira, do sub-11, ganhou o mesmo prêmio na Copa Dente de Leite. João Lecce, por sua vez, levou esse título no Metropolitano sub-12.

"Um grande time começa por um grande goleiro"

O velho ditado do futebol foi seguido à risca pelo pré-mirim do Vasco. É bem verdade que Victor Costa e Gabriel Caldeira ainda não são grandes em altura, porém foram gigantes ao longo do ano nas metas das equipes sub-10 e sub-11, respectivamente. Se a categoria foi a mais vitoriosa do Gigante da Colina na temporada, os camisas 1 possuem um enorme parcela de contribuição.

Carinhosamente chamado de Alemão, Victor Costa defendia as cores do Marã em 2015 quando foi convidado para fazer um teste em São Januário. A aprovação veio rápido, assim também como sua afirmação com a camisa cruzmaltina. Em 2017, para se ter uma ideia, o pequeno ganhou a "luva de ouro" em todos os campeonatos que disputou com a equipe sub-10.

- Nossa equipe ganhou muitos títulos nesse ano. Tivemos a defesa menos vazada em todos os campeonatos. Foi um ano excelente para nós. Eu trabalhei forte e aprendi um monte de coisa, me tornei um goleiro melhor. Vou continuar treinando muito para realizar o meu sonho de chegar no profissional e também na Seleção Brasileira. O meu ídolo é o Martín Silva. Acho ele um excelente goleiro. E o Vasco é minha segunda casa, me sinto bem aqui - disse Victor.

A trajetória de Gabriel Caldeira em São Januário começou três anos antes que a de "Alemão", em 2012. No início, apesar do desejo do pai ex-goleiro, o hoje titular do sub-11 atuava na linha. Como não vinha tendo um desempenho igual ao dos companheiros, acabou sendo colocado na meta, onde se firmou. O camisa 1 foi o heroi vascaíno na conquista da Copa Dente de Leite ao pegar três pênaltis na decisão com o Fluminense.

- Eu comecei jogando na linha em outro clube. Foi quando um amigo do meu pai me chamou para fazer teste no Vasco. Não consegui ir bem na linha e acabei virando goleiro. O meu pai era goleiro, então ele sempre conversou comigo para jogar nessa posiçao e seguir a carreira dele. Hoje estou feliz e gosto muito de agarrar. Foi um ano muito bom, com muitas conquistas. Agradeço a Deus por tudo - declarou Gabriel.

Personalidade e liderança: os segredos do melhor goleiro sub-12 do Rio

Quem for acompanhar uma partida do sub-12 sem saber que se trata dessa categoria e observar as ações de João Lecce em campo, certamente dirá que se trata de um goleiro mais experiente. A afirmação não é um exagero, afinal ele é conhecido no cenário carioca por executar com perfeição os fundamentos da posição. Essa característica explica o fato dele ter sido o arqueiro mais jovem a treinar com os profissionais em 2017.

O curioso é que a vinda de João Lecce para o Gigante da Colina aconteceu meio por acaso. Antes de vestir a camisa cruzmaltina, o garoto flertou com o Botafogo e atuou no Fluminense durante três anos, até ser descartado em 2014. A dispensa não o fez desistir, muito pelo contrário, o deu ainda mais forças para seguir em busca do sonho. No mesmo ano, o promissor goleiro desembarcou em São Januário e três meses depois se tornou titular.

- O Vasco me proporcionou várias chances. Eu cheguei aqui como terceiro goleiro, mas trabalhei bastante, dei o meu melhor em todos os treinos, e hoje sou titular. Tenho muito que agradecer ao Vasco, por ter aberto as portas para mim, por estar acreditando e apostando em mim para o futuro. É a minha segunda casa. Chego aqui pela manhã para a escola e só vou para casa de noite, depois do futsal. Foi muito legal treinar com o profissional. Fiquei meio envergonhado no início, não conhecia eles, mas todos me receberam bem e depois me soltei. Uma experiência incrível - contou Lecce.

Leia mais sobre: João Pedro, Sub-11

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »