Vasco sofre primeira penhora sobre verba do BMG

O Vasco da Gama sofreu a primeira penhora sobre a verba oriunda do patrocínio do Banco BMG, assinado recentemente.

Desde o último sábado, conforme o LANCE! antecipou, o Vasco fechou um novo patrocínio master depois de 2018 sem uma empresa fixa no local (a última a estampar foi a Caixa Econômica Federal, até o fim de 2017).

Trata-se do Banco BMG, que pagou R$ 8 milhões do fixo neste ano (usado para pagamento de parte dos atrasados) e pagará R$ 9,5 milhões em 2020, além de bônus por engajamento dos torcedores.

O Cruz-Maltino ainda não anunciou o acerto, mas, porém, já sofreu a primeira penhora sobre a verba, no montante de R$ 1.170.237,61.

A determinação foi da juíza Mônica de Freitas Lima Quindere, da 5ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), em ação da empresa Brazil Soccer, que cobra dívida do clube no TJRJ desde 2016 - e os recursos então impetrados pelo Vasco em instâncias superiores não foram aceitos. O BMG tem até semana que vem para fazer o depósito do valor em juízo, respondendo ao ofício do tribunal.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »