Vasco quebra jejum de gols no último jogo de Luxemburgo

Último jogo do técnico Vanderlei Luxemburgo à frente do Vasco da Gama tem fim de jejum de gols da equipe Cruzmaltina.

Altair Alves
Por Altair Alves
-  26 de fevereiro de 2021 às 00:03-  Atualizada em 26 de fevereiro de 2021 às 00:03
Vanderlei Luxemburgo durante jogo do Vasco
Vanderlei Luxemburgo durante jogo do Vasco (Foto: Buda Mendes/Getty Images)
data-full-width-responsive="true"

São Januário foi o cenário da despedida do Vasco no Campeonato Brasileiro. A vitória de virada sobre o Goiás, por 3 a 2, nesta quinta-feira, não foi suficiente para a mirabolante combinação necessária para evitar o quarto rebaixamento do clube no intervalo de 12 anos. Impedida de fazer o ‘caldeirão’ ferver, parte da torcida foi à Colina. Não para apoiar, e sim para protestar. Cano e Ricardo Graça, duas vezes, marcaram para o Cruzmaltino e Fernandão, contando com a falha de Fernando Miguel, no segundo gol, também fez dois.

Virtualmente rebaixado, o Vasco recebeu o Goiás com uma missão para lá de difícil, para não dizer impossível. Com o desafio de vencer, algo que não acontecia há seis rodadas, ainda torcia pelo tropeço do Fortaleza contra o Fluminense, além da obrigação de tirar uma improvável diferença de 12 gols para evitar a quarta queda.

Na despedida de Vanderlei Luxemburgo do comando, o Vasco, talvez inconsciente pelo fim do peso, teve uma atitude que o torcedor não presenciou na sequência sem vitória. A perda de Leandro Castan, com suspeita de lesão muscular, no entanto, foi um indicativo de a maré realmente não estava boa para caravela cruzmaltina. Oportunista, Cano abriu o placar, aos 14 minutos, aproveitando o rebote depois da finalização de Carlinhos. Foi o fim do jejum de seis jogos, mas o Goiás, mesmo rebaixado, foi mais incisivo quando atacou.

Fernandão travou um duelo particilar com Fernando Miguel. No primeiro gol, o VAR confirmou que o goleiro fez a defesa um pouco depois da linha do gol, aos 25. Aos 51, no entanto, a falha ficou mais clara na falta de intermediária cobrada pelo atacante. Machucado, Cano deixou o gramado ainda no primeiro tempo. A sorte parecia que não estava do lado do Vasco, mais uma vez.

Após a entrada de Marcelo Alves e Ygor Catatau no lugar de Castan e Cano, machucados, Luxa mexeu no intervalo e voltou com Juninho e Gabriel Pec no lugar dos apagados Léo Matos e Talles Magno. A qualidade de Andrey não apenas na finalização de fora da área, mas também na bola parada foi uma arma importante. Aos quatro minutos, Ricardo Graça aproveitou o preciso cruzamento para empatar. Na jogada anterior, Catatau havia perdido uma chance clara, cara a cara com Tadeu.

Com Tiago Reis no lugar de Andrey, Luxa usou seu último recurso ofensivo na tentativa de se despedir do clube com uma vitória. Na base da vontade, o Vasco superou as limitações técnicas para buscar o resultado digno à sua história. Em noite artilheira, Ricardo Graça usou a cabeça mais uma vez para virar o jogo, aos 46 minutos. Melancólica, a vitória marca o início do doloroso projeto de reconstrução do Vasco. Em coletiva nesta sexta-feira, em São Januário, o presidente Jorge Salgado, anunciará os primeiros passos do processo de retomada.

Fonte: O Dia

Leia Mais Sobre