Vasco bate recorde de ocupação de sócios em São Januário

Com mais de 84%, o Vasco da Gama bateu o recorde de ocupação de sócios em São Januário na partida contra o Cruzeiro.

O fenômeno de associação em massa que fez o Vasco saltar de 33 mil sócios para mais de 130 mil em uma semana teve efeito direto no jogo de ontem (2), quando o Cruzmaltino venceu o Cruzeiro por 1 a 0 e bateu o recorde de ocupação de associados de sua história em uma partida em São Januário, com mais de 84%.

Com 19.796 presentes, o duelo teve mais de 16 mil ingressos emitidos para sócios, segundo números obtidos pelo UOL Esporte. E a taxa de ocupação pode ser ainda maior, uma vez que mais de 2 mil bilhetes foram cortesias, sendo que muitas delas são dadas para associados.

Antes do jogo de ontem, a maior taxa de ocupação havia sido na partida contra o Palmeiras, dia 6 de novembro, com 60%.

Com um número de sócios já seis vezes maior do que a capacidade de São Januário, o Vasco volta a olhar para o Maracanã para poder comportar sua torcida.

Desde que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, concedeu a administração do estádio para a dupla Fla-Flu, o clube ainda não mandou jogos por lá, algo que deve acontecer neste domingo (8), contra a Chapecoense, na última rodada do Campeonato Brasileiro, muito por conta desse "boom" de associados.

"Queremos brindar a torcida com o último jogo contra a Chapecoense no Maracanã. Já foi solicitado para a CBF. Nós consultamos o Maracanã. Existia um evento (da Polícia Militar), mas foi cancelado, de forma que não existe impedimento. Para mim, está definido. Já conversei com a CBF, Bepe (Batalhão Especial de Policiamento em Estádios) e Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro)", disse o presidente do Vasco, Alexandre Campello.

Luxa pede doação de planos a Campello

Na tarde de ontem, horas antes do jogo contra o Cruzeiro, o técnico do Vasco, Vanderlei Luxemburgo, doou 500 associações pagas por seis meses no plano "Caldeirão". A promoção foi esgotada em menos de meia hora. Agora, o treinador fez um desafio ao presidente do clube, Alexandre Campello, para que faça algo parecido.

"Eu fiz uma doação de 500 planos, mas em dois minutos acabou tudo (risos). A torcida dá uma demonstração do que ela quer do clube. Está vislumbrando a possibilidade de ter um sentimento, autoestima de vir para campo e saber que o time vai lutar. Vou fazer uma proposta ao presidente do clube: que ele também faça uma doação de tantos sócios para que o torcedor pegue. Sei lá quantos ele vai oferecer. E não só ele. Proponho chegar a 200 mil sócios-torcedores. Quantas pessoas mais podem doar 500?", indagou.

Campello, que ainda não se pronunciou sobre a proposta, enalteceu a campanha de associação em massa do Vasco:

"Essa é mais uma demonstração da nossa torcida, da grandeza dela, todo mérito que se engajou nesse processo. E o clube fez o dever de casa, mudou o programa de sócios, criou mais possibilidades para o torcedor, preparou a estrutura para isso e promoveu essa 'Black Friday'. E a torcida respondeu à altura com essa associação em massa, mostrando a grandeza do clube".

Leia mais sobre: São Januário, Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »