Vascaíno será julgado nesta quinta por briga em Joinville em 2013

Leone Mendes da Silva, membro da Força Jovem do Vasco, vai a júri popular nesta quinta-feira, por briga em Joinville em 2013.

Nesta quinta-feira, 6, ocorre o júri popular do torcedor do Vasco da Gama que agrediu torcedores do Atlético Paranaense durante a partida válida pela última rodada do Campeonato Brasileiro daquele ano, em dezembro de 2013, que acontecia na Arena Joinville. A sessão começa às 9 horas e é aberta ao público. 

A sessão será presidida pelo juiz da Vara do Tribunal do Júri, Dr. Gustavo Aracheski. Ao todo, serão ouvidas 10 testemunhas do caso, que teve grande repercussão nacional, na época, devido às fortes imagens de torcedores na arquibancada sendo carregados por meio de macas. A acusação ficará a cargo do Promotor de Justiça, Dr. Marcelo Sebastião Netto de Campos. 

O réu vai responder ao artigo 121, 2º, incisos II e IV, c/c artigo 14, inciso II do Código Penal, e artigo 163, parágrafo único, inciso III, todos do Código Penal, e ainda o artigo 41-B da Lei 10.671/03 (Estatuto do Torcedor). 

Três torcedores denunciados 

Nesta ação, o Ministério Público denunciou três torcedores do Vasco da Gama. Para o MP, eles foram responsáveis pela tentativa de homicídio contra um torcedor atleticano. O trio ainda teria incitado o confronto nas arquibancadas da Arena Joinville, provocando, agredindo e incentivando os adversários. 

O processo foi desmembrado em três, ou seja, no júri do dia 6 de dezembro, apenas um deles estará sendo julgado. O segundo denunciado está recorrendo no Tribunal de Justiça de SC. O terceiro terá audiência de instrução no dia 12 de dezembro, na Comarca de Joinville. 

O julgamento de Leone Mendes da Silva já havia sido agendado para 1º de novembro, mas não ocorreu porque o réu não compareceu ao Fórum de Joinville. Segundo o Tribunal de Justiça de Joinville, o acusado não havia sido encontrado pelos oficiais de justiça para assinar a intimação, depois de três tentativas. 

Na época, o Atlético Paranaense havia sido condenado pelo STJD após uma briga entre torcedores registrada em um jogo contra o Coritiba. Com isso, o time perdera mandos do campo, o que levou o jogo contra o Vasco para Joinville. A briga começou logo no início da partida, aos 15 minutos do primeiro tempo, quando o time paranaense já vencia por 1 a 0 do Vasco. 

O árbitro, Ricardo Marques Ribeiro, precisou paralisar a partida por causa da briga entre os torcedores dos dois times. A selvageria aconteceu em um ponto de separação da arquibancada entre as duas torcidas. 

À época, relatos de pessoas ao jornal A Notícia que testemunharam a cena informaram que tudo aconteceu muito rápido. Alguns torcedores levaram pisões na cabeça, mesmo já caídos ou desacordados. Os jogadores chegaram a pedir, perto da torcida, que a violência acabasse. As testemunhas também contatam à "AN" que não havia policiais ou cordões de isolamento durante a partida naquele dia. 

Na confusão, quatro torcedores ficaram feridos e tiveram que ser socorridos. Um deles precisou ser encaminhado ao Hospital São José pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar (PM). Depois do ocorrido, a Polícia Civil instaurou o inquérito policial para investigar o envolvimento de outras pessoas na confusão. Em 20 de dezembro de 2013, em uma operação em conjunto com a polícia do Paraná e do Rio de Janeiro, mais 19 pessoas envolvidas na briga foram presas. Ao total, foram emitidos 28 mandados de busca e apreensão.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »