Valentim lamenta saída e diz que não errou no comando do Vasco

Alberto Valentim lamentou sua saída do Vasco da Gama e considera que não errou no comando do time de São Januário.

Depois de quase oito meses, a relação entre Vasco e Alberto Valentim chegou ao fim. A gota d'água foi o vice-campeonato para o Flamengo, no Campeonato Carioca. Em entrevista ao Seleção SporTV e ao GloboEsporte.com nesta terça, o ex-técnico do Cruz-Maltino contou um pouco dos bastidores da decisão de sua saída.

- O que eu posso falar é o que eu falei para eles, sendo muito transparente e sincero: fiquei muito triste, mas entendi. O que eu não queria era que a minha permanência atrapalhasse os jogadores e o clube também. Essa foi a minha resposta para o Alexandre (Faria) e o presidente Campello.

A justificativa da diretoria para a saída de Valentim é que a pressão da torcida começava a contaminar o elenco cruz-maltino. O técnico não disse que concordou com a opinião que os dirigentes apresentaram. Porém, aceitou. Segundo ele, porque enxergava que a inquietação dos vascaínos era diretamente com ele, e não com o grupo.

- Eu entendia. A minha resposta foi que eu entendia porque eu vi que era uma coisa muito direcionada a mim. A gente sabe que no futebol sempre se aponta para alguém e aconteceu algumas vezes, por parte do torcedor, que esse culpado era eu.

Veja a participação completa de Valentim no Seleção SporTV no vídeo e a entrevista para o GloboEsporte.com em texto abaixo.

Acha que errou ou acertou em algum momento?

- Eu fiz isso tudo sendo muito profissional. Sempre falei para os jogadores que pensaria no "nós", não no "eu". Por que eu falo isso? Porque algumas vezes eu sabia que poderia ser uma forma de me proteger colocando outro jogador que a torcida quisesse. Mas o que eu estava vendo nos treinos, aquilo que eles me passavam, eu sempre coloquei aquilo que eu tinha de ideias. E o treinador vive o futebol e o jogo 24 horas. Mesmo nas vitórias, empates e derrotas, sempre fica remoendo o que deu certo... Sempre foi buscando aquilo que eu via nos treinos.

- Eu saio com a consciência tranquila que o trabalho foi feito de maneira muito honesta, transparente e, é importante citar, sempre pensando em prol do Vasco. Não de um ou outro jogador, e nem de me proteger. Porque eu podia ter me protegido colocando um ou outro jogador, mas os atletas saberiam que eu não fui verdadeiro com eles. Isso eu tenho certeza que eles sabem que fui muito honesto com eles.

Muitos torcedores criticavam falta de padrão de jogo. Concorda?

- Isso eu tenho que discordar. Se você pegar meus jogos, meu time tinha um sistema defensivo organizado. Se você falar com um jogador do Vasco - seja na fase ofensiva ou defensiva - e colocar a bola em qualquer lugar do campo, eles vão saber falar onde deveriam estar. Um time que foi melhor defesa em boa parte do campeonato, melhor ataque em boa parte do campeonato...

- Dos times da Série A é o time que mais finalizava, um dos melhores ataques. Fui campeão da Taça Guanabara com 100% de aproveitamento. Você vai me desculpar, mas é um torcedor que não sabe fazer leitura de jogo.

Thiago Galhardo

- Em relação ao Thiago Galhardo, é uma coisa muito interna. O que eu posso falar é que a gente tem que tomar cuidado com nossas condutas. Eu sempre respeitei muito todos os jogadores. A primeira conversa que tenho com os jogadores é que o que eu falar para eles é para me cobrarem no meu comportamento.

- Fiz um papel de treinador com as minhas escolhas, mas sempre sendo muito honesto com eles. Quem estivesse melhor iria jogar. Foi uma coisa que a gente não aprovou (atitude de Galhardo). Se eu fosse treinador do Vasco já não falaria, muito mais agora porque não estou mais lá. Mas sempre contei com o jogador.

Valentim lamenta saída do Vasco

Perfil de técnico para o Vasco

- Só posso falar que o treinador que chegar vai encontrar uma diretoria boa. Primeiro, que o treinador vai saber que está em um grandíssimo clube com uma pressão enorme. Mas junto com ele vai ter pessoas que estarão trabalhando para melhorar o Vasco. O Vasco precisa melhorar em muitas coisas, em relação a estrutura, qualidade de trabalho... O presidente está suando para deixar o pagamento em dia. Então está sabendo que vai ter algumas dificuldades, mas que a diretoria está fazendo de tudo para melhorar. Segundo: é um grupo espetacular para trabalhar.

Como o Marcos Valadares pode ajudar?

- Eu conheço o Marcos desde a época do Palmeiras. Um pouco de longe, mas acompanhei a Copa São Paulo. É um time que com certeza vai propor o jogo. É um treinador que gosta de jogar, gosta de atacar o adversário e combina com o Vasco e com o que o torcedor quer.

Leia mais sobre: Alberto Valentim

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »