Torcedores, calma!

Valentim tem convivido com impaciência e insatisfação da torcida do Vasco da Gama. Mas será que, no momento, isso é justo?

O Vasco enfrenta nesta quarta-feira (20/03) o Resende, pela quinta rodada da Taça Rio. Em terceiro lugar no grupo da B da competição, a vitória cruzmaltina é importante não só na busca pela classificação às semifinais, mas também para retomar a confiança da torcida.

Apesar do título da Taça Guanabara e da série de 13 jogos invictos, há duas partidas o clima é de desconfiança por parte dos torcedores em relação ao trabalho de Alberto Valentim. Mas será que isso é justo?

Confesso que, ao final da temporada passada, quando o Vasco conseguiu, no sufoco, se manter na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, fui contrário à permanência de Valentim para 2019. Na minha avaliação pessoal, ele teve tempo durante o Brasileirão 2018 de fazer o time demonstrar rendimento, e isso não aconteceu. Então, por isso, como se tratava de um início de temporada, do 'zero', pensei que a troca de comando seria oportuna.

Para surpresa de muitos, inclusive a minha, Alberto Valentim continuou no Vasco. E, mesmo que o time não jogue de maneira brilhante esse ano, houve evolução, nitidamente. Tanto na parte técnica e tática quanto na vontade dos jogadores.

O trabalho de Valentim em 2019, até o momento, é bom. Contra o Avaí, jogo em que o Vasco VENCEU (de virada, ainda por cima, vale ressaltar), Thiago Galhardo, meia de origem e que estava jogando como segundo volante, solicitou substituição. Não foi vontade de Valentim trocá-lo por Andrey, só 'por trocar'. Possivelmente, caso Thiago tivesse continuado na partida, Lucas Santos teria entrado, conforme a vontade dos torcedores. Mas não dava, com 3 a 1 favoráveis no placar, substituir um segundo homem de meio-campo por um meia-atacante, né? Valentim fez a substituição mais padrão possível, nada de anormal.

Já contra a Cabofriense, jogo em que o Vasco perdeu sua invencibilidade, atuar com time misto era necessário não só para descansar os titulares, mas principalmente para testar o elenco, isto é, alguns jogadores que não vinham tendo oportunidades. Qualquer time precisa testar seus jogadores, ainda mais num jogo sem tanta relevância assim, num campeonato menos importante (sim!) que os demais ao longo do ano. E, apesar da derrota, não dá para dizer que a atuação vascaína foi péssima, como muitos avaliaram. Inúmeres chances de gols foram criadas, houve volume de jogo.

E digo mais: provavelmente isso não irá acontecer, por conta da impaciência da torcida, mas o jogo desta noite, contra o Resende, também deveria servir para testes. Tem que se 'prevenir' agora, no início do ano, para não remediar ao longo da (difícil) temporada.

Torcedores, calma. É compreensível que o passado recente do Vasco deixa a todos impacientes, inseguros e, muitas vezes, insatisfeitos, mas, por ora, o Cruzmaltino está bem e o trabalho de Valentim é correto.

Por Raphael Fernandes

Leia mais sobre: Notícias Exclusivas, Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »