Torcedora do Fluminense paga aposta e doa dinheiro para CT do Vasco

O torcedora do Fluminense, Isabelle Fontela, doou R$ 50 para a construção do CT após o Vasco garantir o tricolor na Série A.

Isabelle Fontela é tricolor fanática, de bater ponto no Maracanã, de ser sócia-torcedora do Fluminense desde 2013. Mas até segunda-feira ela foi um pouquinho Vasco. A ponto de doar R$ 50 para a construção do centro de treinamento do clube rival. Tudo por causa de uma aposta e um tanto de gratidão.

A estudante de enfermagem de 24 anos viu vascaínos cobrarem de torcedores do Ceará no Twitter uma doação para o CT caso o Cruz-maltino vencesse o Cruzeiro na segunda-feira. O clube nordestino disputa diretamente com o mineiro a permanência na Série A. Ao ver, resolveu apostar ainda mais.

- O Vasco ia jogar contra o Cruzeiro. Se ganhasse ele salvava o meu time e ainda rebaixava um rival. Eu não gosto do Cruzeiro. Quando eu vi o torcedor vascaíno fazer a aposta no Twitter, eu falei: coloco R$ 50.

O Vasco ganhou por 1 a 0 e graças ao resultado o Fluminense está matematicamente garantido na Primeira Divisão em 2020. Isabelle cumpriu a aposta e fez a doação. Quando a notícia correu nas redes sociais, viu outros tricolores reagirem mal.

- Não acho que seja um absurdo. Foi uma aposta como qualquer outra. Teve vários tricolores colocando a camisa do Flamengo por causa do título deles na Libertadores. Teve gente que não gostou. Estou sofrendo ameaça, vendo pessoas falando um monte de besteira, uma parada desnecessária. O dinheiro foi meu, uma aposta minha - afirmou.

Torcedora do Fluminense doa para o CT do Vasco

Isabelle sabe que daqui a pouco isso passa, mas a permanência do Fluminense na Série A dura pelo menos até dezembro de 2020. Ao doar R$ 50 para o CT do Vasco, teve direito a um certificado digital, um agradecimento no site do clube e um voucher de dois meses para se tornar sócia do Vasco. A estudante de enfermagem cogitou aceitar as recompensas se pudese transferir para o um torcedor vascaíno de baixa renda, mas na dúvida se seria possível, preferiu recusar a tudo. Grata sim, mas sem exageros.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »