Série 'The English Game' tem história semelhante aos primórdios do Vasco

A Série 'The English Game', lançada recentemente, tem história muito semelhante aos primórdios do Vasco da Gama.

*Contém spoiler*

Lançada no último dia 20, pelo serviço de streaming Netflix, a série "The English Game" certamente mexerá com o emocional do torcedor do Vasco que conhece minimamente a história do clube em seus primórdios. Baseada em fatos reais sobre o início da popularização do futebol na Inglaterra, a produção de seis episódios — com pitadas de ficção — é norteada pelo surgimento dos dois primeiros jogadores considerados profissionais no esporte e, principalmente, pela ascensão de equipes formadas por operários. Fato preponderante para balançar os corações vascaínos.

A trama conta os passos de Fergus Suter e Jimmy Love, que deixam a Escócia em 1878 para defender o inglês Darwen, em troca de moradia e trabalho em uma fábrica.

Com um estilo diferenciado de jogar, eles passam a ameaçar a soberania dos times da elite, que também tomavam conta da associação que comandava o futebol. E é este o primeiro ponto de semelhança com o "Camisas Negras", equipe do Vasco da década de 20.

"Essa semelhança [entre Vasco e a série] é absoluta. Tem o aspecto do preconceito social, a indignação do aristocrata por ver o operário, a classe proletária jogar melhor que eles...", analisou, ao UOL Esporte, Henrique Hübner, ex-diretor do Centro de Memória do Vasco.

Sucesso causa ameaça de exclusão

Assim como aconteceu com o Vasco, a série mostra a ameaça de exclusão no campeonato que um time formado por pobres e operários sofreu. No caso dos ingleses, isso se deu quando Suter e Love já defendiam o Blackburn*¹ e chegaram à final da Copa da Inglaterra.

Composta em sua maioria por integrantes das equipes de elite, a diretoria da associação inglesa quis excluir o clube ao alegar que o mesmo efetuava pagamentos aos seus jogadores "por debaixo dos panos", algo que contrariava as regras até então.

Depois de muita polêmica, o Blackburn foi aceito para disputar a final com o tradicional Old Etonians e conquistou seu primeiro título.

Já no caso do Vasco, a ameaça se deu no ano seguinte à conquista inicial. Formado por negros e operários, o time cruz-maltino desbancou os então aristocratas e já estabelecidos América, Botafogo, Flamengo e Fluminense com 11 vitórias em 14 jogos e levantou o caneco da Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT), em 1923.

Incomodados pela ascensão rápida dos vascaínos, os rivais decidiram, então, criar uma nova liga, a Associação Metropolitana de Esportes Athleticos (AMEA), impondo ao Cruz-Maltino a exigência — para a participação na competição — da exclusão de 12 jogadores que, não por coincidência, eram negros e operários. Segundo os dirigentes, eles não apresentavam "condições sociais apropriadas para o convívio esportivo". O profissionalismo e o analfabetismo foram um dos itens oficialmente citados.

"Todos os jogadores, apesar das acusações, eram sócios do Vasco, alguns se tornaram beneméritos, inclusive", explicou Hübner, que ainda fez uma observação sobre a questão do analfabetismo: "O Paschoal [ponta direita] não sabia escrever o nome, por exemplo, e uma das exigências era que o jogador fosse letrado".

A "Resposta Histórica"

Inconformados com as condições impostas pelos rivais, o Vasco se insurgiu através de uma carta, que anos depois se tornaria um documento lendário e classificado como "Resposta Histórica".

Em um trecho, ela dizia: "(...) Quanto à condição de eliminarmos doze dos nossos jogadores das nossas equipes, resolveu por unanimidade a Directoria do C.R. Vasco da Gama não a dever acceitar, por não se conformar com o processo porque foi feita a investigação das posições sociais desses nossos consocios, investigação levada a um tribunal onde não tiveram nem representação nem defesa (...)".

Por fim, o comunicado informava que o Vasco não disputaria a liga da Amea em 1924, fato que o fez retornar à LMDT, onde foi novamente campeão.

Com o sucesso do clube e a grande popularidade que ele atingiu no Rio de Janeiro, o Cruz-Maltino foi posteriormente convidado mais uma vez para a Amea sem a necessidade de se enquadrar nas exigências anteriores.

Tal atitude foi considerada um marco para a popularização do futebol no Brasil e a consequente abertura dos demais clubes para jogadores negros, pobres e operários, movimento muito parecido com o iniciado pelo Blackburn de Fergus Suter e Jimmy Love.

"A mensagem que a Resposta Histórica passa é a de que foi a segunda Lei Áurea no Brasil", destacou em novembro de 2019 ao UOL Esporte o vice-presidente de Relações Especializadas do Vasco, João Ernesto, que complementou:

"Quando me perguntam quais são os principais troféus do Vasco, eu digo que são dois: o primeiro é a Resposta Histórica, e o outro é o próprio estádio Vasco da Gama, popularmente conhecido como São Januário, pois ele é um desdobramento da carta. Um representou a determinação dos vascaínos em enfrentar os entraves elitistas. E se aceitássemos, teríamos sucumbido. E o outro que considero o segundo grande bullying contra o Vasco foi o fato de que não tínhamos estádio e, com sangue, suor e lágrimas, construímos São Januário".

Ontem, inclusive, o Vasco comemorou 96 anos da Resposta Histórica.

Os cartolas que bateram de frente

Na The English Game, há cartolas dos dois lados que representam a resistência ao elitismo no futebol inglês. Do lado dos clubes operários, James Walsh (Craig Parkinson), presidente do Darwen, e John Cartwright (Ben Batt), mandatário do Blackburn. A dupla foi a responsável por fazer as primeiras transações com vantagens financeiras aos jogadores.

Entre a elite, o importante personagem foi Arthur Kinnaird, jogador do Old Etonians e integrante da diretoria da associação inglesa. É ele quem se sensibiliza com a causa dos times de classe mais baixa e luta para que o Blackburn seja aceito na final. O dirigente boleiro ainda demonstra um perfil visionário ao enxergar a popularidade que o futebol alcançava.

No caso do Vasco, ele se apresenta na figura de José Augusto Prestes, o presidente do clube responsável por escrever a "Resposta Histórica".

Segundo consta o "Blog do Bacchi", ele nasceu em Portugal, tinha uma família abastada e se formou em engenharia mecânica nos Estados Unidos. De volta ao seu país, participou em 1891 do primeiro golpe para tentar implementar o republicanismo em terras lusitanas.

O fracasso do movimento o levou ao Brasil, onde teria muito sucesso como empresário, quando fundou a primeira fábrica de gelo do país, em endereço próximo à primeira sede do Vasco. Em seguida, foi superintendente da Companhia Docas do Rio de Janeiro e responsável pela primeira indústria siderúrgica da América Latina, a Usina Santa Luzia.

Em Portugal, foi condecorado com a Ordem Militar de Cristo no grau de Grande - Oficial, título honorífico que é destinado somente às pessoas de altíssima relevância por serviços prestados.

Sua passagem pelo Vasco foi curta, porém marcante e histórica. Ele se tornou presidente justamente em 1923, quando confeccionou a famosa carta no ano seguinte. Ainda em 1924, o português renunciou ao cargo por conta de sua atribulada vida profissional.

Seu falecimento aconteceu em julho de 1952.

*¹ O Blackburn, na trama, é um time fictício inspirado numa junção das histórias do Blackburn Olympic e o Blackburn Rovers.

Internautas citam semelhanças

Nas redes sociais, muitos também já enxergaram as semelhanças entre a série "The English Game" e a história do Club de Regatas Vasco da Gama. Veja algumas postagens no Twitter:

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »