Relembre as polêmicas recentes entre Vasco e Fluminense

Adversários deste sábado, Vasco da Gama e Fluminense são protagonistas de várias polêmicas dentro e fora dos gramados.

Vasco e Fluminense são protagonistas de várias polêmicas dentro e fora dos gramados. A confusão na final da Taça Guanabara deste ano foi apenas mais uma entre uma lista extensa de confusões entre os clubes, que já dura anos. Relembre alguns episódios.

Final da Taça Guanabara 2019 - Cartolas de Vasco e Fluminense travaram uma batalha extra-campo pelo Setor Sul do Maracanã dias antes do clássico. No dia do jogo, os portões do estádio só foram abertos aos 30 minutos do primeiro tempo, por ordem judicial. Do lado de fora, muita confusão, confrontos com policiais, pessoas feridas e tentativas de invasão. Em campo o Vasco levou a melhor, com uma vitória por 1 a 0, com gol de Danilo Barcelos. 

A polêmica em torno do lado direito do Maracanã teve início na reabertura do estádio, em 2013. A torcida do Fluminense fez um mosaico com a frase “É o destino”, relembrando uma música cantada na década de 80. O Tricolor assinou contrato com a Odebrecht, que administrava o local e alega ter o direito de escolha em relação ao posicionamento de sua torcida. Já o Cruzmaltino levanta a questão da tradição, e fundamenta direito de escolher o lado direito, após ter se sagrado o primeiro campeão do Maracanã, em 1950.

Em 2016, quando o Vasco completou 100 jogos na Série B do Campeonato Brasileiro, o Fluminense publicou uma foto provocativa de um bolo desejando "parabéns", nas redes sociais. Em resposta, o perfil oficial do Cruzmaltino lembrou a passagem do time das Laranjeiras pela terceira divisão do Brasileirão: "O freguês tem sempre razão. Até mesmo o FluminenC, um cliente de terceira".

Depois de se destacar no Vasco, o atacante Leandro Amaral iniciou um imbróglio com o clube, em novembro de 2007. Ao saber do interesse do Fluminense,  a diretoria vascaína avisou ao jogador que usaria uma cláusula do contrato que permitia a renovação automática por mais um ano. O jogador entrou na Justiça e com uma liminar assinou contrato com o Tricolor, mas o vínculo com o novo clube foi cassado pela Justiça e Amaral foi obrigado a retornar à São Januário.  Após o rebaixamento inédito do Vasco em 2008, Leandro voltou ao Tricolor carioca no ano seguinte, mas uma séria lesão no joelho, o deixou fora dos gramados e, em 2010 ,foi dispensado pelo Flu. O jogador ainda tentou voltar aos gramados pelo Flamengo, sem sucesso e anunciou a aposentadoria. 

Após se firmar no gol do Vasco em 2008, Rafael ganhou moral no Cruzmaltino e deveria iniciar o Campeonato Estadual de 2009 como titular. Um pré-contrato assinado com o Fluminense, no entanto, gerou revolta entre os dirigentes vascaínos e o jogador foi dispensado. No Flu, ele foi titular na campanha do vice-campeonato da Copa Sul-Americana e participou da épica arrancada no Campeonato Brasileiro de 2009, quando o time se salvou do rebaixamento para

Em 2015, Vasco e Flu disputaram Ronaldinho Gaúcho. O o então vice de futebol Mário Bittencourt ficou à frente das negociações nas Laranjeiras. O Vasco também conversava com o craque, e o presidente Eurico Miranda chegou a dizer que o jogador estava “90% fechado com o Gigante da Colina”. No dia 11 de julho daquele ano, no entanto, Ronaldinho acertou com o Tricolor.

No Brasileirão de 2015, Fred e Rodrigo entraram em rota de colisão. Após vitória do Vasco por 2 a 1, no dia da estreia de R10, o zagueiro vascaíno provocou o atacante rival, em entrevista na saída do campo: “Está aí um presentinho para ele. Ele é um cara que se sente incomodado, que não sabe jogar contra um defensor como eu, que marca em cima, marca forte. Aí ele sempre se perde". Fred não deixou barato e rebateu: “Esse jogador deveria desfrutar mais os últimos momentos dele. Ele estava aposentado, recuperaram ele. Eu não trocaria esse pontinhos que ele ganhou, a situação dele, pela minha. Não troco o que tenho hoje pelo que ele representa e o que ele tem". 

"Não dou bicho contra time de terceira", foi a frase dita por Eurico Miranda antes do confronto entre Vasco e Fluminense, pelas oitavas de final da Copa do Brasil de 2000. Eurico garantiu que multaria o elenco em caso de insucesso diante dos tricolores, mas, em campo, o Flu levou a melhor e avançou na competição depois de empates em 2 a 2, em São Januário e 1 a 1, no Maracanã, classificando-se pelos gols fora de casa. 

Em mais uma confusão que chegou aos tribunais, Vasco e Flu foram para estádios diferentes durante a disputa do Torneio Rio-São Paulo de 1999. O Tricolor entrou em campo no Maracanã, enquanto o Cruzmaltino esperava o adversário em São Januário, respaldado pela FERJ. As duas equipes esperaram por 30 minutos e o WO foi registrados nos dois locais. Os oito clubes participantes da competição decidiram que o Fluminense deveria receber os pontos da partida, mas o Tribunal de Justiça Desportiva anulou a decisão, quando a competição já havia terminado e o Vasco tinha sido campeão. Ninguém recorreu da decisão e a partida ficou sem resultado.

Leia mais sobre: Vasco x Fluminense, Campeonato Brasileiro

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »