Presidente detalha trabalho realizado no Vasco Almirantes; veja a entrevista

O presidente do Vasco Almirantes, Marcel Dantas, falou um pouco sobre a equipe vascaína em entrevista ao site Vasco Notícias.

Historicamente, o Vasco da Gama é um clube poliesportivo, ou seja, aporta as mais diversas modalidades. Futebol masculino e feminino, remo, basquete (no momento só na base), atletismo, kickboxing, boliche, natação, beach soccer, futebol americano e outras mais são encontradas em São Januário, o que é motivo de orgulho para os torcedores que gostam de prestigiar muitos esportes.

A última citada, inclusive, será o assunto desta matéria. O Vasco Almirantes é o responsável por representar a Cruz de Malta no futebol americano, equipe que antes se chamava Vasco Patriotas e recebeu o novo nome após uma união com o Botafogo Reptiles, no começo de 2019. Os vascaínos estão entre os melhores na modalidade quando se fala no cenário nacional, onde o Brasil ainda se encontra num processo de evolução nos últimos anos.

Quem são eles? É bem possível que você os conheça, mas vamos lá: ainda quando eram Vasco Patriotas, a equipe foi fundada em agosto de 2010 e conquistou o Campeonato Brasileiro em 2014 (Torneio Touchdown), e chegou a passar um período sem poder utilizar a Cruz de Malta em 2017. De volta ao Gigante, já em 2018, os vascaínos anunciou a união com o Botafogo Reptiles no começo de 2019 e logo conseguiu um grande feito, quando meses depois conquistou o Campeonato Carioca em decisão contra o Flamengo Imperadores.

A temporada 2019 seguiu postiva para o Vasco Almirantes, mas não terminou como se esperava. Na Liga BFA, o Campeonato Brasileiro de futebol americano, a equipe fez uma campanha impecável com 100% de aproveitamento no grupo B da Conferência Sudeste, passou pela Portuguesa FA na semifinal, mas acabou perdendo a final da região para o Galo FA, assim ficando de fora da fase final nacional da competição.

Para conhecer mais sobre o Vasco Almirantes, o repórter Willams Meneses, do site Vasco Notícias, entrevistou o presidente da equipe vascaína, Marcel Dantas. Na conversa, o dirigente respondeu sobre o período que ficaram fora do Vascão, o retorno, a união com o Botafogo Reptiles, o começo do conquista sobre o Flamengo Imperadores, campanha na Liga BFA 2019, além de temas relacionados ao funcionamento da equipe como a forma de sustento, patrocínios, estrutura de treinos e partidas e o cenário da modalidade no Brasil.

Inicialmente vocês surgiram como Vasco Patriotas, chamando a atenção pela conquista do Campeonato Brasileiro de 2014. No entanto, no meio de 2017 vocês acabaram se desligando do Clube, voltando ainda no começo de 2018. O que motivou a saída e como foi o período sem pode representar a Cruz de Malta?

- A equipe surgiu em 2010 e já tinha 2 finais nacionais antes do título brasileiro de 2014, quando se consolidou com uma das principais equipes de futebol americano no país. Em 2015 ainda alcançamos a final nacional novamente, que infelizmente não resultou no título. O acontecido no meio de 2017 foi uma confusão política que consideramos um assunto superado, e que no final das contas acabou sendo um episódio de reforço de laços com a nossa torcida.

No ano seguinte do retorno, no começo de 2019, muitos foram pegos de surpresa com a união entre Vasco Almirante e Botafogo Reptiles, que originou o que vocês são agora, o Vasco Almirantes. Por que decidiram se juntar e o quê que mudou, além do nome, com fusão das equipes que já passou mais de um ano de concretizada?

- A união nasceu de conversas entre as diretorias das 2 equipes sobre a necessidade de resgate da força do esporte no RJ (estado onde o esporte nasceu no Brasil). Como sempre existiu muita sinergia no pensamento dessas 2 diretorias, o processo de fusão não foi complexo nem traumático. A idéia de mudar de nome veio da proposta de criar de fato um novo time com uma nova identidade mais moderna e mais vinculada ao Vasco, reforçando os laços com a torcida que sempre nos apoiou e aproveitando para homenagear a história do Club de Regatas Vasco da Gama. Hoje, 1 ano após a fusão, temos certeza de que essa foi uma decisão acertada pois temos hoje um dos times mais fortes do país e com uma diretoria e comissão técnica se estruturando para termos um projeto sólido a médio e longo prazo.

Pé quente! Na primeira competição que participaram, vocês conseguiram um grande feito ao conquistar o Campeonato Carioca sobre o Flamengo Imperadores. Ser campeão é sempre muito bom, mas contra o maior rival é sempre melhor. Como foi a conquista para você? Existe a mesma rivalidade que com o futebol?

- Pessoalmente, para mim foi muito especial. Eu já tinha tido a oportunidade de ser campeão brasileiro vestindo como jogador do Vasco Patriotas, mas esse acabou sendo meu primeiro título como dirigente do time, e foi ainda mais especial por ser em cima do maior rival. Para o time, foi muito importante vencer o primeiro campeonato que disputou pois existia muita expectativa em cima do elenco após a fusão. A rivalidade existe sim, mas fica apenas dentro de campo. Fora de campo acabamos sendo parceiros em prol do desenvolvimento do esporte, e muitos dos jogadores são amigos e se respeitam bastante.

Embalados pela conquista no Campeonato Carioca, o Vasco Almirantes entrou com tudo na Conferência Sudeste da Liga BFA, tanto que fez uma campanha irretocável com 6 vitórias em 6 partidas. No entanto, depois de superar a Portuguesa na semifinal, a equipe vascaína acabou eliminada pelo Galo FA na final da conferência, assim ficando fora da fase decisiva nacional. Essa derrota pesou muito para vocês, visto que eram um dos candidatos ao título?

- A derrota foi muito dura para o time, pois estávamos invictos em 2019. Mas, era sabido por nós que o Galo era o time a ser batido na conferência sudeste, já que estava sem sofrer uma derrota havia quase 3 anos (acabaram sendo derrotados no Brasil Bowl pelo João Pessoa Espectros). De lição ficou a necessidade de nos estruturarmos mais ainda, como time e como organização em todos os aspectos.

Mudando um pouco o foco, olhando mais para o funcionamento da modalidade. Qual o tipo de ajudar que recebem do Vasco, além de poder utilizar a marca do Clube? O Vasco Almirantes hoje é autossustentável? Os patrocínios que a equipe possui são suficientes para atender às necessidades?

- O Vasco hoje nos dá apoio institucional e autorização de uso da marca, além de pontualmente utilizarmos alguns espaços do clube (sala de vídeo, campo para treino, etc.). Mas, é importante dizer que não consumimos recursos financeiros do clube e somos uma célula autossustentável dentro da estrutura do Vasco, com uma diretoria própria composta por mais de 10 pessoas que trabalham diariamente pela equipe. Temos patrocinadores próprios e uma área comercial ativa que busca sempre diversificar as fontes de receita para que possamos ser um dos únicos time do esporte no país onde os jogadores não pagam qualquer tipo de mensalidade ou as viagens. Esporte amador é muito complicado no Brasil, mas acredito que nosso projeto está no caminho certo, rumo à profissionalização.

Sobre a estrutura, onde vocês realizam seus treinamentos? E onde as partidas são realizadas? Existe alguma pretensão em ampliar a estrutura que hoje vocês utilizam?

- Nossos treinamentos são realizados em um campo na Ilha do Fundão, em parceria com a UFRJ, mas temos sim intenção de futuramente possuir um espaço próprio para o Futebol Americano, seja em espaço do Vasco ou em local próprio. Os jogos, nos últimos 2 anos, foram na sua maioria realizados no Estádio do Olaria.

O futebol americano vem crescendo muito no Brasil nos últimos anos, mas ainda longe de atingir o patamar de outros países. Para você, qual o caminho para que a modalidade se torne referência no País, visto que atualmente os atletas precisam de empregos para sustento? É possível fazer tudo isso em curto prazo é um processo que demanda tempo?

- O Futebol Americano é de fato o esporte que mais cresce no Brasil, em número de praticantes mas também em fãs do esporte. O crescimento dos fãs ainda está muito concentrado na NFL, mas aos poucos as pessoas que se interessaram pela NFL estão buscando conhecer mais do esporte aqui no Brasil, e o aumento do nível técnico dos times está contribuindo muito para isso. Porém, esse aumento do nível técnico ainda não acelerou a transição do status de amador para semi-profissional ou profissional, por se tratar de um esporte muito caro devido ao grande número de atletas em cada time. Acredito que essa transição ainda irá ocorrer, mas não em um breve período de tempo, ainda mais nesse momento onde a pandemia afetou significativamente a economia do país. De qualquer maneira, acredito que o nosso esporte está no caminho certo para se tornar um dos principais do país.

Presidente explica trabalho realizado no Vasco Almirantes

A nova temporada da Liga BFA estava prevista para iniciar no próximo mês, em julho, mas está sem previsão devido ao Coronavírus. A estreia vascaína na competição seria no dia 4 do mês em questão, logo contra o Flamengo Imperadores. Enquanto a competição não começa, acompanhe o Vasco Almirantes através do Facebook, Instagram e Twitter, além do canal no Youtube, onde é possível também assistir algumas partidas.

Obs. Texto produzido pela equipe Vasco Notícias. Reprodução não permitida.

Leia mais sobre: Notícias Exclusivas, Futebol Americano, Entrevistas

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »