Posse de novos conselheiros do Vasco é cercada de polêmicas e pode parar na Justiça

Os 150 novos conselheiros do Vasco da Gama tomam posse em sessão solene nesta sexta-feira, mas o evento é cercado de polêmicas.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  22 de janeiro de 2021 às 07:48-  Atualizada em 22 de janeiro de 2021 às 09:22
Jorge Salgado comemora vitória na eleição do Vasco (Foto: Divulgação/Mais Vasco)

Em sessão solene que acontecerá à partir das 19h30 de hoje (22) na sede Náutica, os 120 conselheiros eleitos de Jorge Salgado e os 30 do segundo colocado, Julio Brant, tomarão posse no Vasco. Como de praxe em todos os capítulos políticos do clube, o evento é cercado de polêmicas e indícios de judicialização.

Nesta questão específica, os problemas se deram a partir da convocação da sessão por parte do presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro, apoiador do ex-candidato Leven Siano e responsável por entrar com algumas ações na Justiça tentando anular a vitória de Jorge Salgado na eleição de 14 de novembro de 2020.

Monteiro convocou o ato para o próximo dia 25, algo que gerou imediata discordância de seus opositores, que alegaram que o estatuto do clube é claro em afirmar que esta posse tem de acontecer na primeira semana da segunda quinzena de janeiro. Ou seja, tendo esta regra como base, Monteiro teria que ter feito a convocação entre os dias 16 e 22.

Presidentes da atual e da futura Assembleia Geral, Faues Cherene Jassus e Otto Carvalho, respectivamente, notificaram o dirigente exigindo que ele fizesse uma retificação e alterasse a data para o dia 22. Porém, foram ignorados.

Coube então ao presidente do clube, Alexandre Campello, emitir um ofício ao vice-presidente do Conselho Deliberativo, Sérgio Romay, para que o dirigente fizesse tal antecipação de data. No entanto, também não houve resposta.

Posteriormente, Campello se baseou no artigo 99 do estatuto para ele mesmo fazer a convocação para hoje, o que gerou reações por parte dos apoiadores de Leven.

Segundo ele, Jassus não tem competência para assinar a convocação junto com o Campello, assim como Otto, que, em sua visão, também não teria legitimidade para a assinatura, mesmo que já estivesse empossado no cargo de presidente da Assembleia Geral.

Boicote por parte de apoiadores de Leven

Na sessão de hoje também serão realizadas as votações para os integrantes dos conselhos Deliberativo e Fiscal. Elas serão feitas em formato híbrido, com os conselheiros podendo optar por votar presencialmente ou de maneira on-line.

Os conselheiros apoiadores de Leven Siano, porém, promoverão um boicote e não participarão deste pleito, numa forma de embasar e fortalecer o argumento de “ato nulo” destacado por Romay.

A tendência é que este capítulo também vá parar na Justiça seja como uma ação específica ou como instrumento nos processos que ainda correm nos tribunais sobre o confuso processo eleitoral vascaíno.

Posse de Salgado na semana que vem

Seguindo o rito estatutário, uma vez que o novo presidente do Conselho Deliberativo assume o posto hoje, caberá a ele convocar a posse de Jorge Salgado e seus vice-presidentes para a semana que vem, muito provavelmente para justamente o dia 25 (segunda-feira).

Polêmicas à vista

Fonte: Uol

Leia Mais Sobre