Opinião: melhora de Talles Magno passa por decisão difícil de Ramon Menezes

O atacante Talles Magno pode ser melhor explorado pelo técnico Ramon Menezes no Vasco da Gama, e duas alternativas podem ser consideradas.

Avatar
Por Willams Meneses
-  18 de setembro de 2020 às 10:52-  Atualizada em 18 de setembro de 2020 às 23:20
Talles Magno sendo marcado por Marcelo Benevenuto em jogo contra o Botafogo
Talles Magno sendo marcado por Marcelo Benevenuto em jogo contra o Botafogo (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
data-full-width-responsive="true"

Não é surpresa que Talles Magno vem fazendo uma temporada muito abaixo em 2020. Depois de se destacar em seu começo na equipe principal, em 2019, o atacante não tem conseguido mostrar nem de perto aquele futebol, o que fez com que saísse do posto de querido para questionado.

Nesse espaço de um ano, Talles Magno sofreu duas sérias lesões, uma no fim de 2019 e outra no início de 2020. Elas acabaram atrapalhando o garoto, na questão física e na confiança. Justamente por isso, houve por um tempo uma paciência para que ele recuperasse o rendimento com uma sequência de jogos.

O tempo passou e não houve melhora até então. Mesmo assim, Talles Magno segue entre os titulares, com pequenos lampejos de qualidade. O atacante está claramente sem confiança, o que o deixa com o emocional abalado, mas não é o único problema. Observando com atenção as vezes em que o Camisa 11 participa das partidas, percebe-se que muitas vezes está sozinho no lado esquerdo do ataque.

Às vezes se livra de um, dois e até três, mas acaba desarmado, errando a jogada ou simplesmente recuando para trás por não ter ninguém ao seu lado. Tem momentos em que comete erros bobos no apoio à defesa, mas essa não é a sua praia e ele nem deveria estar ali na verdade. Precisando estar comprometido na recomposição e muitas vezes isolado, não tem muito o que se fazer.

Um simples ‘socorro’ na esquerda resolveria?

Talvez uma melhora para Talles Magno se passe por uma mudança brusca no sistema de jogo, ou uma simples como a entrada de Neto Borges na esquerda para fazer uma dobradinha com o garoto. Pode também apenas liberar as subidas de Henrique ao ataque, ele que tem jogado como uma espécie de terceiro zagueiro. Mais arriscado, Ramon Menezes poderia buscar uma nova formação.

Seria possível uma mudança de esquema para o 4-4-2?

Esquema que não é utilizado no Vasco há muito tempo, o 4-4-2 pode ser uma boa opção para explorar o potencial ofensivo da dupla Germán Cano e Talles Magno. O Camisa 14 seguiria mais avançado, com o Camisa 11 encostando fazendo a função de segundo atacante. Com isso, eles não ficariam isolados, como tem acontecido muitas vezes no esquema atual, e teriam um ao outro na chegada à defesa dos adversários, ainda com Martín Benítez vindo mais de trás.

Com uma alta capacidade de superar o adversário no mano a mano, Talles Magno teria uma opção para entregar a bola, sendo que Germán Cano não costuma desperdiçar oportunidades. Se consegue ser artilheiro mesmo pouco acionado nas partidas, o que o argentino poderia fazer sendo mais participativo? O Gigante teria muito a ganhar ofensivamente com eles encostados.