Mancuso, de graça? O Vasco não pode ser entregue a aventureiros

Tem sido noticiado que o argentino Alejandro Macuso sonha em treinar o Vasco da Gama, e trabalharia no Clube até de graça.

Tem sido noticiado que o ex-volante argentino, Alejandro Macuso, sonha trabalhar no Vasco da Gama. Ele declarou em entrevista ao canal Atenção, Vascaínos! que trabalharia de graça em São Januário.

Mancuso conhece o futebol brasileiro, já defendeu o Flamengo, Palmeiras, e Santa Cruz, clube que, inclusive, ele também já declarou que sonha treinar, numa entrevista publicada em 2015, na qual exaltou a torcida do clube pernambucano. Perceba, ele sonha pra caramba!

Noutra entrevista, já em 2017, Mancuso não titubeou em declarar seu amor pelo Flamengo, dizendo ser o maior do Brasil, e comemorou um título conquistado contra o Vasco, de quem debochou com risada. Pelo visto, seus elogios ao Cruzmaltino não passam de conveniência.

Veja o trecho da entrevista ao Globo Esporte (Entrevista completa, aqui). 

"O argentino de 49 anos foi campeão carioca invicto em 1996, e a conquista se consolidou num empate por 0 a 0 contra o Vasco, maior rival. Questionado se lembra quem era o rival do jogo derradeiro, deu um sorriso maroto e disparou: - Vasco da Gama".

José Luis Moreira começa seu trabalho em definitivo no comando do futebol do Vasco nesta semana, e esperamos que ele tenha competência para escolher o melhor para o Clube, que trabalhe mais e apareça menos. O Vasco não é para aventureiros, e das últimas escolhas, apenas Vanderlei Luxemburgo correspondeu ao que se espera de um treinador cruzmaltino.

Pode até ser que Mancuso chegue e faça um bom trabalho, mas, quando a esmola é demais, o santo desconfia. O problema, talvez, seja a ausência de santos nesta história. 

O Vasco precisa de um treinador que trabalhe não apenas o futebol, mas que blinde o exaltável elenco (em termos de comportamento e respeito à instituição), dos desmandos vistos neste início de temporada, capitaneado por uma administração perdida e aquém do que o Vasco precisa. Abel, apesar do fraco desempenho técnico, infelizmente foi mais uma vítima, vítima do que Luxemburgo não quis encarar.

De graça, nem relógio. Não se engane, torcedor!

A diretoria precisa se desdobrar e criar um projeto que possa atraiar um treinador experiente, competente, que possa dar resultados. Não é hora de apostas arriscadas, de ouvir atravessadores. 

Mancuso em jogo contra o Vasco

Tempos sombrios nos amedrontam. 

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »