Leven reconhece vitória de Jorge Salgado e diz: ‘Vasco não merece mais indefinição’

Leven Saino afirmou que é uma pessoa de palavra e reconheceu a vitória de Jorge Salgado na eleição do Vasco da Gama.

França Fernandes
Por França Fernandes
-  17 de dezembro de 2020 às 17:20-  Atualizada em 17 de dezembro de 2020 às 17:20
Leven Siano, ex-candidato à presidência do Vasco
Leven Siano, ex-candidato à presidência do Vasco (Foto: Marcelo Baltar)
data-full-width-responsive="true"

Após o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ/RJ) ter decidido nesta quinta-feira por invalidar a eleição do Vasco realizada em 7 de novembro, realizada de forma presencial em São Januário, o agora ex-candidato Luiz Roberto Leven Siano, vencedor do pleito em questão, reconheceu a vitória de Jorge Salgado em declaração ao ge.

No último dia 6, Leven Siano, via Instagram, comprometeu-se a respeitar a decisão que viria a ser tomada pelo TJ-RJ no dia 17 de dezembro. Com o resultado do julgamento nesta quinta, o advogado cumpriu o que havia dito e reconheceu Jorge Salgado como novo presidente do Vasco.

No longo depoimento, Leven Siano se disse “pessoa de palavra” e afirmou que o “Vasco não merece mais indefinição”. Na parte final, deseja sorte a Jorge Salgado, que este não o derrotou nas urnas e garante se aposentar da vida política dentro do Vasco.

Confira na íntegra:

“Sou uma pessoa de palavra, portanto acato o resultado como eu mesmo propus. O Vasco não merece mais indefinição. Que os torcedores compreendam que a decisão de por um ponto final nisso é definitiva e é pelo Vasco. Além disso, descabe recurso para o tribunal superior por decisões em tutela antecipada, de forma que recorrer apenas alimentaria a esperança do torcedor, sem que houvesse uma chance real de reversão. Isso apenas causaria tumulto e mais frustração e meu objetivo foi sempre dar alegria ao torcedor, de forma que eu não vou alimentar esperanças não realizáveis.

O torcedor precisa compreender que não é somente o Vasco que precisa ser corrigido, mas o Brasil. Nem sempre a Justiça é justa, quanto mais no nosso país. Aos Vascaínos fica a mensagem final para reflexão de que o VASCO só voltará a ser realmente forte quando ele puder ser autodeterminado de dentro para fora e não por meio de intervenções externas de poderes paralelos. O Vasco precisa se libertar e essa liberdade só existirá quando seus homens e mulheres puderem cumprir as regras do clube e a elas se submeterem. Um Vasco de fora para dentro será sempre fraco.

Agradeço a todos meus conselheiros, vice-presidentes, executivos e a cada um dos 1.155 votos dados em 7 de novembro. Mais especialmente ainda, agradeço ao carinho dos milhões de torcedores Vascaínos em todo o Brasil que entenderam plenamente minha visão de Vasco sugerida.

É estranho que o clube tenha um Presidente que não me derrotou, mas lhe desejo sorte. Estarei na social ou na arquibancada sempre torcendo com os meus filhos. Neste momento me aposento da política do clube e após um justo descanso natalino, retorno aos meus negócios e clientes com a cabeça erguida. Por fim, peço a todos os torcedores que apoiem sempre o Vasco, seja quem for o Presidente. Obrigado”.

Fonte: Globo Esporte