Leandro Castan explica discussão com Cuca

O zagueiro Leandro Castan explicou a discussão que teve com o técnico Cuca, após o jogo contra o São Paulo e exalta vitória.

Após Anderson Daronco apitar o final da vitória do Vasco por 2 a 0 sobre o São Paulo, um bolo de pessoas se formou no círculo central. Na confusão, Leandro Castan e Cuca trocaram farpas. Na zona mista de São Januário, o zagueiro revelou ter sido xingado pelo treinador são-paulino.

- Eu não fiquei nervoso, não. Estava me defendendo só. Acho que nossa equipe conseguiu uma grande vitória. Deixar bem claro que dentro de campo eu não vou dar "boa tarde" ou "bom dia" para ninguém. Vou jogar sempre firme. Se tiver que ser chato, vou ser chato. Estou defendendo meu clube, mas nunca desrespeitei ninguém.

- Depois do jogo, o Cuca acabou xingando minha mãe. Depois veio tirar satisfação comigo, tirei satisfação com ele. Fico chateado, não sei se juiz me deu cartão amarelo. Importante é exaltar a vitória do Vasco. Estamos no caminho certo para sair da zona da confusão. Depois pensar na parte de cima.

Castan foi além, dizendo que Cuca falou algumas coisas sobre sua personalidade. Ele, porém, garante não se importar com a opinião do rival.

- Cuca falou algumas coisas que pensa sobre mim. O respeito muito como treinador, mas ele não me conhece, não sabe da minha índole. O que ele pensa sobre mim, de verdade, não me interessa. É interesse zero. Chego em casa, vou dar abraço nos meus filhos. Todo mundo sabe que não vou aliviar para ninguém. O que importa é a vitória.

- Tem que perguntar para ele. Não importa o que ele pensa de mim. Ele falou para mim o que acha de mim. Tive muitos treinadores na minha carreira, treinador de nível de seleção brasileira. É só ele perguntar a eles como eu sou. Volto a falar: não dou bom dia ou boa tarde para ninguém. Para mim, é sempre uma guerra.

Castan acredita que Cuca se irritou com o fato de o capitão vascaíno ter se envolvido em todas as discussões durante o jogo em São Januário.

- Toda confusão eu estava, e eu estou sempre mesmo. Para ajudar meus companheiros. Estava ali para defendê-los. Em equipe que jogo, sempre vou defender. O que adversário pensa, para mim interessa pouco. Eu estou ali para vencer. A gente sabe que a situação aqui é difícil e é sempre uma guerra para conseguir a vitória.

Castan foi afastado da confusão

Cuca se defende: "Não entrei para brigar com ninguém"

Em entrevista coletiva, Cuca se defendeu e afirmou que lembrou situação ocorrido no ano passado, quando ainda estava no comando do Santos e Castan já defendia o Vasco.

– Eu não ia falar nada sobre o que aconteceu porque coisa de campo tem de morrer dentro de campo. Mas já que viram o que eu falei... No ano passado, o Santos e Vasco no Pacaembu, houve um momento em que o Castan me cobrou para que chamasse atenção do Gabigol sobre uma situação que havia ocorrido, e eu chamei. Ele entendeu, acabou o jogo, tudo bem.

- Hoje, quando o juiz tinha apitado uma falta, não lembro se foi o Marrony ou quem foi, depois da jogada deu um chapéu no Juanfran. Isso irrita muito quem está em campo. Eu falei para o Castan: "Você lembra?" – disse o treinador.

Cuca não entrou no mérito se ofendeu Castan ou não, mas reiterou que gostaria que o capitão adversário orientasse Marrony.

- O Castan veio com o dedo em riste para Juanfran e Tchê Tchê, que foram falar para o menino não fazer isso, que já havia apitado. Foi uma correção que falei para que ele fizesse como ele cobrou naquele momento. Não foi nada a mais do que isso, não entrei para brigar com ninguém. Acho que o Leandro Castan queria vir me falar alguma coisa, entra o pessoal do deixa disso, parece que é um tumulto, mas não houve isso – completou.

Leia mais sobre: Vasco x São Paulo, Leandro Castan

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »