Kaylane fala sobre recusa ao Flamengo: 'Preferi ficar no Vasco'

Aos 17 anos, a meia Kaylane decidiu permanecer na equipe Sub-18 do Vasco da Gama após receber proposta do rival Flamengo.

A nova realidade do futebol feminino no Vasco rendeu frutos no começo da temporada. Recentemente, a modalidade passou a contar com um patrocínio exclusivo dentro do clube que propicia às atletas uma ajuda de custo. O diretor que comanda o departamento vascaíno, Raphael Milenas, conta que, com isso, mesmo durante a parada devido à pandemia de Covid-19, foi possível manter o auxílio às jogadoras e, mais do que isso, segurar uma das revelações da equipe, a meia Kaylane, alvo do Flamengo há alguns meses.

- Temos um patrocinador exclusivo para a modalidade, a empresa Cidadania Já. Está na nossa manga. Parceiro muito bacana mantendo em dia o salário das meninas. Está rigorosamente em dia. A ajuda da CBF vai ser melhor ainda para manter processo até o final do ano quando acaba a atual gestão. As eleições são em dezembro – disse Milenas.

Com 17 anos feitos no último dia 21 de abril, Kaylane optou por seguir no Vasco. Integrante também da seleção brasileira sub-17, ela conta que são quatro anos em São Januário e a escolha teve também a ver com a paixão pelo clube.

- Preferi ficar no Vasco. Pelo coração e para honrar a cruz de malta – afirmou Kaylane, que joga no adulto do Vasco e também na equipe sub-18.

Kaylane meia do Vasco

O Vasco também é um dos contemplados com os R$ 50 mil reais dados pela CBF aos times femininos que disputam a Série A2 do Brasileiro feminino. No entanto, o valor ainda não foi depositado em razão de um problema no processo. Mas Raphael Milenas garante que a questão já está sendo solucionada para a chegada da quantia.

- O Vasco ainda não recebeu da CBF, mas estamos nos últimos detalhes em relação ao recibo para que possa entrar na conta do Vasco - afirmou.

O dirigente coloca que a ajuda de custo ainda não é o ideal e pretende colocar mais ações em prática até quando o mandato for possível já que a atual gestão do presidente Alexandre Campello vai somente até o final do ano – o Vasco tem eleições em dezembro.

Com a parada das atividades por causa do Coronavírus, o time feminino do Vasco deu férias coletivas às atletas primeiramente até 20 de abril e depois mais 10 dias. Como ocorreu a manutenção da quarentena no Rio de Janeiro, o departamento de futebol feminino se reuniu e formulou uma série de exercícios passados às atletas pela preparadora física do grupo.

- Nós tivemos um primeiro jogo que empatamos e no dia seguinte já suspendemos as atividades no clube. Férias coletivas até 20 de abril e por mais 10. Teriam que se apresentar nesta sexta. Com a continuação da pandemia, nós nos reunimos e passamos uma série de exercícios e vamos continuar fechados – afirmou o diretor da modalidade, Raphael Milenas.

Kaylane comentou que está com uma lesão no tornozelo, mas mesmo assim faz seu processo de recuperação com a preparadora física do Vasco à distância.

- Meu tornozelo está machucado, mas estou treinando em casa e no sintético (em processo de recuperação). A preparadora física do Vasco tem mandado os treinos online - disse.

Leia mais sobre: Futebol Feminino

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »