Júnior Lopes e Kosloski falam sobre os objetivos do Vasco no Brasileiro

Júnior Lopes e Thiago Koslosk falaram sobre os objetivos do Vasco da Gama no Brasileiro e projetam crescimento do time.

Os auxiliares técnicos de Ramon Menezes, Júnior Lopes e Thiago Kosloski, participaram de live da Vasco TV. Perguntado sobre quais objetivos do time no Campeonato Brasileiro, Júnior disse que a tradição do clube exige a busca pelo título. Mas destacou que isso depende de um bom início e do desenrolar dos jogos durante a competição.

- Quando começa o Campeonato Brasileiro, todas as grandes equipes buscam o título sem dúvida. O Vasco é grande, vamos colocar no G-12, com os quatro de São Paulo, os quatro do Rio, os dois do Rio Grande do Sul e um de Minas não está na Série A, que é o Cruzeiro. Essas equipes sempre quando entram na competição, elas entrando buscando o título, e o Vasco não vai fugir disso. Pelo menos no início da competição, nosso pensamento é chegar o possível lá na frente. Vamos vendo como a competição desenrola, mas a nossa ideia é jogo a jogo, ir vencendo.

- Quem sabe a gente estreia no Palestra Itália, vem de uma vitória. Aí vem no segundo jogo contra o Sport e consegue uma segunda vitória. Aí faz seis pontos, motiva e entra forte na competição. É uma competição muito longa, desgastante, e você vê aonde pode chegar ao longo dela. Mas lógico que num primeiro momento, o Vasco busca o título, sim - disse Lopes.

Um dos primeiros temas abordados foi a estreia do time no Campeonato Brasileiro, que deve acontecer em 9 de agosto, contra o Palmeiras, em São Paulo - se o adversário chegar à final do Paulista, o duelo provavelmente será adiado.

Perguntado se ele e a comissão técnica vascaína já vêm estudando o Palmeiras, Lopes confirmou e até citou a possibilidade de Dudu deixar o clube. Principal jogador do rival, ele está próximo de se transferir para o Al-Duhail, do Catar.

- Sim, a gente já tem que ficar antenado. Hoje eu e Thiago conversamos sobre isso. Lógico que virão os jogos do Palmeiras no Paulista, mas já estamos antenados em Palmeiras e Sport, que são os dois primeiros adversários. Vamos procurar ficar ligados nos jogos deles tanto no Paulista quanto no Pernambucano. Lógico que pode ter muita diferença, há uma possível saída do Dudu, que é um jogador importante do Palmeiras. Há várias questões táticas. Vamos dar uma estudadinha. Já procuramos estudá-los antes da pandemia e vamos estudar como virão depois da parada com algumas perdas possíveis, como a do Dudu.

Júnior Lopes e Thiago Kosloski em live da VascoTV

Confira outros tópicos:

Kosloski destaca aceitação dos atletas

- Acho que o principal ponto foi a aceitação das ideias e a mudança do comportamento. Isso é muito difícil, e era um desafio muito grande para a nossa comissão. Hoje, depois desses dois primeiros jogos e cerca de 20 dias de trabalho, agora temos de fazer alguns ajustes em termos de variação e de posicionamento, porque são os pequenos detalhes que fazem diferença. E inserindo comportamento que a gente quer. Os atletas vêm comprando a ideia e executando de uma maneira que nos deixa bastante feliz. E com certeza bastante esperançosos e empolgados de que as coisas vão acontecer da maneira que a gente quer. Temos que achar o equilíbrio entre defesa e ataque, que é a nossa principal meta para esse início de competição.

Quais objetivos do Vasco no Brasileiro?

Lopes: - Quando começa o Campeonato Brasileiro, todas as grandes equipes buscam o título sem dúvida. O Vasco é grande, vamos colocar no G-12, com os quatro de São Paulo, os quatro do Rio, os dois do Rio Grande do Sul e um de Minas não está na Série A, que é o Cruzeiro. Essas equipes sempre quando entram na competição, elas entrando buscando o título, e o Vasco não vai fugir disso. Pelo menos no início da competição, nosso pensamento é chegar o possível lá na frente. Vamos vendo como a competição desenrola, mas a nossa ideia é jogo a jogo, ir vencendo.

Quem sabe a gente estreia no Palestra Itália, vem de uma vitória. Aí vem no segundo jogo contra o Sport e consegue uma segunda vitória. Aí faz seis pontos, motiva e entra forte na competição. É uma competição muito longa, desgastante, e você vê aonde pode chegar ao longo dela. Mas lógico que num primeiro momento, o Vasco busca o título, sim.

Kosloski: - Não pode pensar diferente. Uma equipe da grandeza do Vasco tem que sempre brigar nas primeiras posições. Claro que sabemos que há equipes na nossa frente, tanto em relação a um trabalho mais longo e quanto ao investimento. Temos que correr atrás para diminuir essa diferença. É jogo a jogo. Aí durante o campeonato vamos ter a noção se vamos brigar pelo título, por Libertadores ou por Sul-Americana.

Pausa agora é prejudicial?

Lopes: - Não vejo de forma negativa, fizemos dois bons jogos e jogos que serviram para diversos tipo de avaliações, sejam individuais, coletivas, táticas ou técnicas. Acredito que a gente possa aproveitar essa nova parada de 30 dias para o grupo evoluir. Ramon conhecia melhor os atletas, está há um ano e meio aqui. Eu e Thiago estamos no dia a dia há um mês. Acho que até mesmo para o Ramon essa parada foi benéfica. Pudemos ver algumas adaptações que Ramon fez para ver se serve ou não. Esses dois jogos serviram como parâmetro muito interessante.

Ramon falou que vai buscar alguns amistosos, há alguma dificuldade em função da pandemia, mas a diretoria vai trabalhar em cima disso.

Kosloski: - A gente queria ter passado para a semifinal, mas vejo essa nova parada como muito positiva. A gente pôde analisar nossa equipe nesses dois jogos, chegou-se algumas conclusões sobre necessidade de melhora. Precisamos ter jogos-treinos, mas, por conta da pandemia, precisamos ser cuidadosos. Deixamos isso a cargo da diretoria.

Também acho que essa parada vai ser muito benéfica principalmente para o Ramon colocar alguns conceitos que estão em fase inicial. Com certeza isso vai refletir nos jogos subsequentes que temos no Brasileiro.

Acreditam que o Vasco vai conseguir manter na temporada a alta posse de bola demonstrada contra Macaé e Madureira?

Lopes: - É um conceito do Ramon e da nossa comissão. É importante ter a posse de bola dentro e fora de casa. Quem tem a bola está mais perto da vitória sempre. Temos trabalhado bastante essa questão da circulação e da posse de bola.

Benítez e Bruno César lutam por posição?

Lopes: - Hoje é importante o atleta executar várias funções. No Independiente, ele jogava mais pelo lado direito, mas também pode jogar pelo lado esquerdo e centralizado. Ele não vai brigar diretamente com o Bruno César. No último jogo, o Ramon não tirou o Benítez, tirou o Vinícius. E o Benítez ficou centralizado. Bruno César entrou bem, Benítez seguiu bem, e nós ficamos com um meio de bastante poder técnico.

Leia mais sobre: Futebol

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »