Januário de Oliveira recorda narrações de gols históricos do Vasco

Januário de Oliveira, hoje com 80 anos, relembrou de gols e jogos marcantes do Vasco da Gama, que ele narrou no passado.

O Site Oficial do Vasco da Gama publicou nesta terça-feira (19), uma entrevista com o ex-narrador esportivo Januário de Oliveira, que por muito tempo trabalhou na TV Bandeirantes, TVE do Rio de Janeiro, além das Rádios Farroupilha, Mauá e Nacional.

Atualmente morando em Natal-RN, o dono dos bordões "cruel, muito cruel", "é disso que o povo gosta", "eeee o gol", entre tantos, relembrou narrações marcates de jogos do Gigante da Colina.

Januário, hoje aos 80 anos, contou que a estreia oficial de Juninho Pernambucano, na vitória vascaína contra o Santos na Vila Belmiro em 1995, por 5x3, foi o jogo mais marcante Gigante da Colina narrado por ele.

 - Sem dúvida o jogo inesquecível que narrei do Vasco foi a estreia do Juninho Pernambucano. Foi um jogo daqueles que "É disso que o povo gosta!", cheio de gols e emoção. É o tipo de jogo "cruel, muito cruel o jogador do Vasco. Nem foi preciso esperar o primeiro gol no Vasco. Já tinha visto ele jogando em Recife, magrinho, pequeno e já muito habilidoso. Quando chegou ao Vasco, deu um show de bola. Literalmente explodiu tudo.

O ex-narrador também relembrou de jogos do Vasco com Dener em campo. Januário conta detalhes de um gol do saudoso vascaíno, revelando a intensidade do entusiasmo que teve ao gritar GOL!.

- Um dos primeiros jogos do Dener pelo Vasco, quando ele veio da Portuguesa, ele participou de todos os gols e sofreu um pênalti, se machucou e teve que ser substituído. Num dos gols, foi fantástico. Ele saiu da área do Vasco, driblando e driblando, não deu pra ninguém, driblou um, dois, três, o primeiro ele driblou de novo, o goleiro saiu, ele driblou e entrou com bola e tudo. Eu gritei aquele gol com tanto entusiasmo, como se eu fosse um vascaíno roxo e comecei a usar todos os adjetivos que eu conhecia lindo, fantástico, maravilhoso... e me ocorreu o CRUEL! O Dener foi cruel com o Madureira. E assim surgiu.

Na entrevista ele ainda escalou o seu melhor Vasco de todos os tempos: Carlos Germano, Paulinho de Almeida, Brito, Fontana e Eduardo; Alcir, Roberto Dinamite e Tostão; Bebeto, Edmundo e Romário, o técnico: Antônio Lopes.

Januário de Oliveira

Outros assuntos abordados na entrevista

Gols importante que narrou

- Os gols, esses sim são os queridos de todos, pra mim em especial, me deixam extremamente orgulhoso e feliz! Espero ter passado um pouco do minha emoção em cada um deles. Eeeee o gol..... goooooooool! O gol ou os gols mais marcantes que narrei do Vasco acredito que tenham sido na década de 90. Naquela época os torcedores gritavam pelo campeonato, havia a briga pela coroa de Rei do Rio entre os atacantes dos quatro grande e depois a disputa se tornou interna entre Romário e Edmundo tornava tudo ainda mais competitivo. Teve a famosa frase do Romário: "agora a corte está completa, o rei, o príncipe e o bobo". A galera ia ao delírio. Cada gol de ambos já era uma atração à parte!

Saudade das transmissões no Maracanã e em São Januário

- Poxa vida! Qualquer um que tenha trabalhando na época em que trabalhei seguramente tem grandes recordações e muita vontade de voltar ao tempo para rever grandes jogos, jogadores e grandes colegas que me causam saudades. Ano passado estive no Maracanã e me emocionei bastante!

Leia mais sobre: Notícias Exclusivas

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »