Homenagens a Eurico Miranda marcam pré-jogo entre Vasco e Avaí

Homenagens a Eurico Miranda marcaram o pré-jogo entre Vasco e Avaí e São Januário, pela Copa do Brasil 2019.

Em noite de belas homenagens a Eurico Miranda, o Vasco fez uma digna celebração — dentro e fora de campo — à memória de seu eterno comandante, vitimado por um câncer no cérebro, terça-feira, aos 74 anos. No primeiro jogo após a morte do ex-presidente, venceu o Avaí por 3 a 2, em São Januário, e ficou mais perto da quarta fase da Copa do Brasil. No duelo de volta, dia 10 de abril, em Florianópolis, pode empatar para ficar com a vaga, graças aos gols de Danilo Barcelos, Rossi e Thiago Galhardo (Pedro Castro e André Moritz descontaram).

"Se no Brasil existirem apenas cinco grandes clubes, o Vasco estará entre eles. Se existirem apenas três, lá estará o Vasco. E se existir apenas um grande clube, este será o Vasco". A declaração de Eurico Miranda — uma das muitas dele enaltecendo a tradição do clube — foi mostrada no telão do estádio e emocionou os 13.360 torcedores na Colina, que também viram imagens de conquistas históricas sob o comando do ex-dirigente.

Emoção que parece ter contagiado os jogadores cruzmaltinos. O começo de jogo, porém, não foi dos melhores. Apesar da pressão inicial, eles viram o Avaí fazer 1 a 0 logo aos dez minutos. Fernando Miguel saiu mal do gol para cortar o cruzamento e Getúlio acertou uma cabeçada no travessão. No rebote, Pedro Castro mandou a bola para a rede.

O gol desnorteou o Vasco e João Paulo, aos 16, quase ampliou para o Avaí em chute que desviou em Werley e deslocou Fernando Miguel, mas foi para fora. Aos 23, João Paulo bateu falta e obrigou o goleiro do Vasco a difícil defesa.

Já o Vasco, que apostava nas triangulações ofensivas e em jogadas pelas laterais, teve a chance do empate nos pés de Yago Pikachu, aos 26, só que ele mandou a bola no travessão, para desespero da torcida, que já mostrava certa irritação com a atuação do time. O lance, porém, acendeu o time, que, decidido, partiu em busca do gol.

Aos 31, Lucas Mineiro finalizou de fora da área e Glédson se esforçou para ceder escanteio. Aos 32, Danilo Barcelos chutou rente à trave. Aos 34, porém, o camisa 14, enfim, balançou a rede. Em cobrança de falta, a bola desviou em Matheus Barbosa, e entrou no canto direito de Glédson. Alívio na Colina e a esperança de uma virada heroica no segundo tempo.

Virada que passa pelas alterações feitas por Alberto Valentim no intervalo. O Vasco voltou a campo com Bruno César e Rossi — nas vagas de Raul e Marrony — e, mais ofensivo, com maior poder de ataque, encurralou o Avaí em seu campo de defesa. A pressão surtiu efeito logo aos 12 minutos. Danilo Barcelos fez cruzamento preciso da esquerda e Rossi se antecipou ao marcador, para, de cabeça, marcar o segundo gol cruzmaltino e fazer justiça ao domínio dos donos da casa.

Camisa com homenagem a Eurico Miranda

A vantagem no placar deu mais tranquilidade ao Vasco, que quase ampliou aos 17, em finalização de Lucas Mineiro. De cabeça, ele desviou cobrança de falta de Bruno César para difícil defesa de Glédson. Aos 22, foi a vez de Pikachu perder boa chance — os vascaínos pediram um toque de bola na mão de Alex Silva na área, ignorado pelo árbitro.

Embalado, o Vasco seguiu na pressão e o terceiro gol saiu aos 26 minutos. Bruno César cobrou escanteio, Thiago Galhardo desviou e a bola bateu na trave. No rebote, o camisa 8 ampliou a festa na arquibancada. Festa que seria maior se André Moritz, aos 39, não tivesse diminuído para o Avaí. Mesmo assim, Eurico Miranda, de onde estiver, deve ter gostado e gritado o tradicional 'casaca'.

Leia mais sobre: Vasco x Avaí, Eurico Miranda

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »