Fluminense aposta em má fase do Vasco para encerrar jejum de vitórias

O Fluminense aposta em má fase do Vasco da Gama para encerrar jejum de vitórias contra o rival que já dura quase três anos.

Desde 22 de abril de 2017 o Fluminense não sabe o que é ganhar do Vasco. De lá para cá, além dos quase três anos, se passaram também dez jogos, e seja no Engenhão, em São Januário, no Mané Garrincha ou no Maracanã, palco do clássico à portões fechados deste domingo (15), às 18h, o Tricolor não venceu: foram sete derrotas e três empates, ainda que em muitos tenha tido até melhor atuação. Curiosamente, Abel Braga, hoje pressionado no rival, era o treinador do Flu naquela partida, o segundo 3 a 0 seguido no Campeonato Carioca daquele ano.

O retrospecto recente tampouco muda o panorama. Se foi superior ao rival nas décadas de 60, 70 e 80, o Fluminense viu a "freguesia" mudar de lado e não tem vencido muitas vezes o CruzMaltino, que emplacou sequências de invencibilidade como a de 13 jogos entre 1995 e 1997. Enquanto vivia seu calvário, o Tricolor viu o rival conquistar suas maiores glórias, como a Libertadores de 1998.

A virada no clássico teve nome e sobrenome, ainda que o personagem dividisse opiniões: Eurico Miranda. Ciente de que o Vasco precisava retomar um papel de soberania sobre os rivais, o ex-dirigente, não necessariamente enquanto presidente, fomentou rivalidades, provocou os adversários e criou antagonismos com Flamengo e Fluminense, que à época de sua chegada ao futebol cruz-maltino viviam seu apogeu.

Após a morte de Eurico, que neste março completa um ano, a poeira da rivalidade abaixou, e ainda que tenham tido lamentável episódio na interminável disputa pelo lado direito do Maracanã em 2019, Fluminense e Vasco, enquanto instituições, têm diretorias que convivem em paz.

Do lado tricolor, entretanto, há o desejo de "revirar" o jogo, e o Fluminense quer aproveitar a má fase técnica do rival em 2020 para afastar a sequência ruim no clássico.

"Jogo muito importante, é um clássico fantástico. Encaramos como mais um grande jogo importante do ano. Se a gente vencer, vamos continuar em primeiro. Queremos ganhar a Taça Rio, ou fazer a final com o maior número de pontos. Viemos mal do jogo com Figueirense, mas vamos buscar a vitória, para dar moral para quinta. Pedir para o torcedor possa ir nos apoiar, desde o primeiro minuto", disse o presidente Mario Bittencourt, em coletiva na sexta-feira (13).

Fluminense vem de derrota, mas lidera Carioca

O Fluminense sofreu derrota tão inesperada quanto preocupante na última quarta-feira, contra o Figueirense, pela Copa do Brasil. O revés jogou um balde de água fria nas quatro vitórias seguidas emplacadas pelo time de Odair Hellmann, que parecia ter encontrado o caminho das boas atuações com um time mais leve.

Para o jogo de hoje, Odair deve poupar alguns jogadores, incluindo Nenê, artilheiro da equipe em 2020 com nove gols e "ex-ídolo" da torcida do Vasco, time onde mais atuou no futebol brasileiro, com 132 jogos entre 2015 e 2018. Em seu lugar, deve entrar Paulo Henrique Ganso, camisa 10 e projetada grande estrela do elenco que ainda não se consolidou com a camisa tricolor. Outros titulares como Gilberto e Digão estão fora, e o time pode ser misto no Maracanã.

Com 21 pontos, o Fluminense lidera a tabela geral do Campeonato Carioca e ainda tem duas frentes para chegar à decisão estadual contra o Flamengo, que venceu a Taça Guanabara. O Tricolor também está na ponta do Grupo B da Taça Rio com seis pontos. Do outro lado, o Vasco, que somou apenas nove pontos em toda a competição, ainda não venceu no returno. Em caso de derrota, o Cruzmaltino não alcança mais o rival no segundo turno.

Leia mais sobre: Vasco x Fluminense, Campeonato Carioca

Comentários

Últimas notícias

Veja mais notícias »